19.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosSoja precoce é oportunidade para produtores de algodão irrigado

Soja precoce é oportunidade para produtores de algodão irrigado

Cultivar de Soja – Crédito TMG

Na hora de planejar uma nova safra de soja, os produtores rurais e suas equipes precisam escolher as sementes com a maior assertividade possível para que se atinja a performance desejada na lavoura. Para áreas com cultivo de soja na primeira safra e algodão na segunda temporada, a escolha certa da cultivar de soja influencia diretamente no sucesso ou não da safra de algodão.

Desta forma, a soja precoce se tornou peça chave para produtores rurais do Oeste da Bahia conquistarem altas produtividade em ambas as culturas, pois proporciona o estabelecimento de uma safra de algodão (irrigado) ainda no mês de janeiro para colher em meados de julho. No estado, o algodão segunda safra pode ser semeado até 10 de fevereiro.

De acordo com o 2º levantamento da safra 2019/20, divulgado pela Associação de Produtores e Irrigantes da Bahia (Aiba), a região Oeste da Bahia foi responsável por plantar uma área superior a 1,6 milhão de hectares de soja. Luiz Stahlke, assessor de agronegócio da Aiba, explica que desse total, cerca de 100 mil hectares foram destinados para a soja irrigada, dos quais aproximadamente 45 mil hectares também irrigados tiveram a oleaginosa semeada na abertura de plantio, a partir de 8 de outubro, para atender a janela de semeadura do algodão segunda safra.

Opção para o produtor

               O produtor rural Augusto José Montani, do distrito de Roda Velha, em São Desidério (BA), tem boa parte de sua área destinada à soja precoce em pivô central, pois também cultiva algodão na sequência. Ele conta que na safra 2019/20 a cultivar escolhida foi a TMG 7067IPRO e que colheu 82 sacas por hectare em uma área de 96 hectares. “O ciclo dela foi de 90 a 92 dias, tem alta produtividade e como tem resistência à ferrugem dá mais segurança”, explica.

                Além dessas características, Montani destaca que a cultivar demonstra estabilidade produtiva, pois na safra 2017/18 já havia plantado uma área teste em pivô, onde colheu 76 sacas por hectare. “Pretendo continuar com a TMG 7067 e na próxima safra teremos uma área maior de soja precoce”, define.

                Com grupo de maturação 7.2 na região do cerrado brasileiro, além da precocidade adequada para a antecipação do algodão, a TMG 7067IPRO é uma cultivar com alto peso de grãos (PMG), ampla adaptabilidade e a combinação das tecnologias Inox® e Intacta RR2 PRO™.

De acordo com a Representante Técnico Comercial da TMG no Oeste Baiano, Simoni Ribas, para os produtores que pretendem semear a cultivar na abertura de plantio em pivô, a população recomendada é de 400 a 450 mil plantas finais por hectare.

ARTIGOS RELACIONADOS

Queda no preço dos fertilizantes pode levar produtores rurais a recuperação judicial

A diferença dos preços de quem comprou fertilizantes na alta e agora está tendo que lidar com a venda de seus produtos na baixa pode agravar crises já eminentes.

Percentuais de umidade na reta final da colheita de soja

Produtor deve estar atento ao teor de água no grão, condições de temperatura e a umidade relativa do ar, caso opte pelo armazenamento.

Nutrição de plantas – Detalhes podem fazer toda a diferença

  Engº Agrônomo MSc. Luiz Antônio Busato Gerente Técnico Defensive Engª Agrônoma MSc. Bruna Marchesi Coordenadora de Pesquisa & Desenvolvimento Grupo Defensive&Agrovant   A adequada nutrição das plantas é dependente de...

BASF e TMG levam à campo cultivares de algodão e soluções de manejo

Giro Tecnológico Algodão BASF e TMG levou à campo, pelo segundo ano consecutivo, as novidades do portfólio de cultivares de algodão TMG e as...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!