23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti A importância dos micronutrientes na cultura da batata

A importância dos micronutrientes na cultura da batata

 

Daniela Vitti

Engenheira agrônoma, doutora em Ciências e Coordenadora Técnica da Bio Soja

Emanuel Alexandre Coutinho Pereira

Consultor de Vendas da Agrozap, Uberaba (MG)

Renato Passos Brandão

Gestor agronômico da Bio Soja

 

Crédito Ana Maria Diniz
Crédito Ana Maria Diniz

Atualmente, a batata (Solanum tuberosum L.) é o 4º alimento mais consumido no mundo, superado apenas pelo arroz, trigo e milho. A batata é considerada a principal hortaliça no Brasil, tanto em área cultivada como pela preferência alimentar.

Mas, o consumo da batata no Brasil ainda é baixo, 15 kg/habitante/ano, enquanto que a média mundial é de 33,68 kg/habitante/ano. Os maiores consumidores mundiais de batata são os europeus dos países da União Europeia, com 96,15 kg/habitante/ano (FAO, 2008).

A área cultivada no Brasil com batata está em torno de 100.000 ha, com uma produção superior a 3 milhões de toneladas. A produtividade brasileira é de aproximadamente 17 t/ha. Entretanto, há produtores de batata com produtividade na faixa de 30 a 40 t/ha.

Minas Gerais, Paraná e São Paulo são os principais estados produtores de batata, com aproximadamente 98% da produção nacional. Estados como Paraíba, Bahia, Pernambuco, Mato Grosso do Sul, Sergipe e o Distrito Federal produzem batata em microclimas específicos ou em determinadas épocas do ano com condições climáticas favoráveis ao seu cultivo.

Com a melhoria no manejo da batata, especialmente com o uso de batata-semente de melhor qualidade e com irrigação, a produtividade subiu quase 40% desde o início da década de 1970, com um aumento de 15% na produção, mesmo com uma redução da área plantada.

Necessidades nutricionais da batata

A batata é a cultura que apresenta o maior consumo de nutrientes por hectare, dentre as 18 principais culturas brasileiras. A quantidade dos nutrientes exportadas pela batata é elevada, demonstrando a necessidade de adubações pesadas com esses nutrientes. Na Tabela 1 tem-se a necessidade dos nutrientes para a produção de 30 t/ha de tubérculos.

Tabela 1. Absorção de nutrientes para a produção de 30 t/ha de batata

Macronutrientes

kg/ha

Micronutrientes

g/ha

Nitrogênio (N)

120

Boro (B)

60

Fósforo (P2O5)

40

Cobre (Cu)

50

Potássio (K2O)

218

Ferro (Fe)

2.300

Cálcio (Ca)

46

Manganês (Mn)

70

Magnésio (Mg)

18

Molibdênio (Mo)

6

Enxofre (S)

10

Zinco (Zn)

100

Funções e sintomas de deficiências dos micronutrientes

  • Ø Boro (B): atua na formação da parede celular (efeito sinérgico com o Ca); promove a translocação dos açúcares das folhas para os tubérculos e demais órgãos das plantas. Atua na produção da celulose e lignina, conferindo maior tolerância da batata às pragas e doenças.

O B é um micronutriente com baixa mobilidade no floema da batata e os sintomas de deficiência ocorrem nos órgãos novos. Os sintomas de deficiência são as folhas novas pequenas, deformadas, mais grossas, enrugadas e quebradiças.

O sistema radicular da batata fica atrofiado, limitando a absorção de água e nutrientes. Os tubérculos tornam-se pequenos, com rachaduras internas, ocorre a formação do coração-oco e redução no tempo de armazenamento (Mesquita et al., 2011).

 

  • Ø Cobre (Cu): é necessário para a formação da clorofila, na síntese proteica e também na fotossíntese. Aumenta a resistência da batata às doenças. O Cu é um micronutriente com baixa mobilidade no floema da batata. Portanto, os sintomas de deficiência do Cu ocorrem inicialmente nas folhas mais novas da batata.

A deficiência de Cu causa redução no crescimento das plantas. As folhas mais novas adquirem coloração verde-acinzentada ou verde-azulada.

  • Ø Manganês (Mn): atua na formação da clorofila e ativador enzimático. O Mn é um micronutriente com baixa mobilidade no floema da batata. Portanto, os sintomas de deficiência do Mn ocorrem inicialmente nas folhas mais novas da batata. Ocorre clorose internerval das folhas novas (amarelecimento) e as nervuras permanecem verdes.

  • Ø Molibdênio (Mo): atua no metabolismo do N. É constituinte da enzima redutase do nitrato, responsável pela conversão do nitrato (NNO3-) a nitrito (NNO2), que posteriormente é convertido em aminoácidos e demais compostos orgânicos nitrogenados.

O Mo é móvel no floema da batata. Portanto, os sintomas de deficiência ocorrem inicialmente nas folhas mais velhas. A deficiência de Mo causa deformações no limbo foliar da batata.

  • Ø Zinco (Zn): atua diretamente no crescimento das plantas. Este micronutriente é essencial para a síntese do triptofano, que é precursor do ácido indolacético (AIA), que irá formar as enzimas responsáveis pelo alongamento e crescimento celular.

O Zn é um micronutriente com baixa mobilidade no floema. Portanto, os sintomas de deficiência do Zn ocorrem inicialmente nas folhas mais novas. Os sintomas de Zn ocorrem inicialmente nas folhas mais novas (apicais), que tornam-se pequenas e adquirem uma posição ereta. As margens das folhas apresentam-se curvadas para cima e ocorre o encurtamento dos internódios, com redução no crescimento da planta (Mesquita et al., 2011).

Figura 01

 

Essa matéria completa você encontra na edição de novembro da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Clique aqui para adquirir agora a sua.

Inicio Revistas Hortifrúti A importância dos micronutrientes na cultura da batata