20.6 C
Uberlândia
sexta-feira, abril 19, 2024
- Publicidade -
InícioPecuáriaApiculturaApicultores brasileiros buscam mercado internacional

Apicultores brasileiros buscam mercado internacional

Alimento é pouco presente na dieta diária do brasileiro e é mais reconhecido pelos efeitos medicinais

Quando se pensa no mel, o consumidor brasileiro logo associa seu uso a práticas medicinais. O mercado apícola brasileiro produz mel em quantidade suficiente para o consumo nacional, mas o mercado doméstico não apresenta demanda correspondente. Como alternativa, apicultores têm se voltado para a exportação.

Créditos: iStock

A geleia real, a cera, o pólen e outros produtos relacionados a abelhas chegam ao mercado a partir do esforço de apicultores. Apesar de esses produtos terem sua demanda, o principal item comercializado é o mel. No Brasil, apiários de todo o país, produzem, juntos, cerca de 40 mil toneladas/ano, mas a informalidade nesse nicho impede dados concretos e projeções precisas.

Grande parte do mel que circula no mercado interno é negociado a partir de meios que não produzem comprovação fiscal. Esse aspecto é reflexo direto da cultura nacional, que ainda vê o mel como um produto medicinal.

Os maiores consumidores do produto estão entre as classes A e B, adquirem-o por meio de mercados e consideram que o produto é caro como alimento, mas barato como medicamento. A sangria nos dados, resultado do mercado informal, vem sobretudo dos consumidores das classes C, D e E, que adquirem o produto por meio de pequenos distribuidores.

No geral, o Brasil tem uma cultura de consumo do mel em que o produto é considerado um medicamento e não faz parte da alimentação diária.

Mercado internacional

Como alternativa, o apicultor brasileiro tem se voltado cada vez mais para a exportação. Em meados dos anos 2000, a produção de mel brasileira representava apenas 5% do mercado mundial e era quase estritamente voltada para o consumo interno.

Esse cenário mudou a partir do veto da exportação dos principais produtores mundiais, China e Argentina, que receberam a restrição devido a problemas de origem sanitária.

Após a mudança de panorama, a exportação de mel se tornou mais viável e o produto nacional passou a ter destaque no mercado mundial. Com o uso de recursos financeiros como o fluxo de caixa livre, o apicultor brasileiro pode iniciar o ingresso no mercado internacional. O processo é bem simples, uma vez que o mel brasileiro tem qualidade e atende às exigências sanitárias.

É ideal que ao longo do tempo haja investimento por parte do governo e dos principais agentes sociais a favor da popularização do mel como alimento. Tal estratégia permitiria a estabilização do mercado apícola, levando equilíbrio e garantindo estímulo à produção, aumento na oferta e baixa nos preços. Os resultados seriam benéficos para todos.

Enquanto projetos e estratégias não são colocados em prática, o apicultor brasileiro pode encontrar estabilidade na exportação.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Mercado de produtos biológicos já movimenta quase R$ 1 bilhão no Brasil

Conforme a empresa, culturas de soja, cana e algodão estão entre as que mais demandam insumos do gênero; segmento deve seguir crescendo no País

Anvisa mantém proibição do uso do herbicida Paraquat

Produtos químicos, como os herbicidas, são amplamente utilizados na agricultura no controle de plantas daninhas.

Como a tecnologia beneficia o mercado de saúde animal

Empresas do setor, como a pioneira nessa jornada, MSD Saúde Animal, aplica as novas tecnologias e produtos para desenvolver ainda mais os setores de animais de produção e de companhia.

Qualidade com produtividade: Novas variedades de algodão da BASF chegam ao mercado

Na tarde da última segunda-feira (01), o mercado brasileiro conheceu as novas variedades de algodão da FiberMax®, marca líder em sementes de algodão da BASF. As novidades que trazem qualidade, tecnologia e sustentabilidade para as lavouras estão disponíveis para a safra 2021/22.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!