23.6 C
Uberlândia
terça-feira, junho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiBanana da terra garante lucro e renda

Banana da terra garante lucro e renda

Autores

Gustavo Cesar Dias Silveira Engenheiro agrônomo, mestre e doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)gcsagro@gmail.com

Banana – Foto: Humberto Carvalho

A banana da terra, ou plátano, cujo nome cientifico é Musa sapientum, é a espécie que tem os maiores frutos, com cada um pesando em média 0,5 kg e comprimento de 30 cm. É achatada em um dos lados, tem casca amarela escura, sua polpa é bem consistente, de cor rosada, textura macia e compacta.

Por ser uma fruta que acumula muito amido, é consumida cozida, assada ou frita. São cultivadas principalmente nas regiões norte e nordeste, geralmente por pequenos produtores, como fonte adicional de renda, sem utilizar tecnologia e insumos modernos para aumentar a produtividade e melhorar a qualidade do produto.

Oferta x demanda

Por não ser uma espécie muito plantada no Brasil, existe uma demanda maior da banana da terra do que a oferta. Sendo assim, pequenos produtores familiares podem entrar nesse negócio e receber um valor muitas vezes acima das bananas convencionais (prata, nanica, etc.).

Segundo a Embrapa (2012), a banana da terra possui variedades que se destacam pela resistência ao mal-do-panamá e à sigatoka-amarela. Outras características que compreendem cultivares desse subgrupo são plantas mais tolerantes a solos de baixa fertilidade natural e a condições climáticas adversas.

Com isso, pode-se dizer que é uma cultura rústica, porém, não pode ser descartado o bom manejo para que se tenha produtividade e qualidade.

Manejo

A instalação de um bananal da terra é semelhante aos bananais tradicionais. A densidade de plantio pode variar de 1.100 a 2.600 plantas por hectare, sendo essa última mais adensada, uma tendência para o aumento da produtividade em pequenas propriedades. Por ser uma bananeira de porte alto, a colheita deve ser efetuada por dois operários.

Para uma boa produtividade, é necessário que não falte água, e que antes da implantação tenha-se feito uma boa correção do solo e adubações equilibradas de base e cobertura, para que a bananeira se devolva bem e produza frutos de qualidade elevada, atingindo assim padrões exigidos pelo mercado consumidor.

Em campo

Como exemplos práticos de campo, Almeida et al., (2019), cujo trabalho foi avaliar as características agronômicas de bananeira terra, cv. D’angola, em monocultivo e consorciada com açaizeiro em Rio Branco-AC, chegou à conclusão de que a produtividade é maior em plantios mais adensados, independentemente do sistema de cultivo (monocultivo ou consórcio).

Segundo Cavalcanti et al.  (2014), em Rio Branco (AC) as plantas de banana da terra cv. D`Angola cultivadas no espaçamento 3,0 x 3,0 m, sombreadas com seringueira, apresentaram menor severidade da sigatoka-negra. Porém, as maiores produtividades foram obtidas quando se adotaram maiores densidades de plantio (2,0 x 2,0 m), chegando a 29,49 t/ha.

Obstáculos

O grande problema da bananicultura brasileira, no que se refere à qualidade da fruta, reside no manejo do produto a partir da colheita. Nessa fase ocorrem vários danos que prejudicam a aparência do produto.

A falta de cuidados no manejo pós-colheita é responsável pela desvalorização da banana no mercado interno e pela perda de oportunidades de exportação da fruta brasileira. Como a banana da terra, de maneira geral, é cultivada por pequenos produtores como fonte adicional de renda, não há investimentos em técnicas e insumos para aumentar a produtividade e melhorar a qualidade do produto.

Com pouca infraestrutura de produção e pós-colheita, alguns produtores não têm condições de classificar e vender seu produto a preços baixos para atacadistas sem a presença de um intermediário.

Os agricultores devem investir em qualidade na hora da colheita, buscando proporcionar um produto final melhor, afinal, fazendo o manejo de forma correta, ele terá bons resultados.

Além disso, seria recomendável a organização dos produtores em cooperativas ou grupos de vendas, para acabar com a necessidade de atravessadores. Com isso, poderão garantir preços superiores, consequentemente, serão mais bem remunerados e poderão investir cada vez mais na própria infraestrutura e insumos.

Recomendações

[rml_read_more]

Segundo pesquisadores da Embrapa Amazônia Ocidental, normalmente para bananeira se utiliza o espaçamento de três metros entre as fileiras por três metros entre as plantas, o que representa cerca de 1,1 mil plantas por hectare. Porém, um menor espaçamento pode representar ganhos significativos em produção e produtividade.

Entre os espaçamentos avaliados, o de 2,0 m x 2,0 m foi o que mostrou maior viabilidade produtiva e econômica.  A produtividade média, nas pesquisas, com o plantio mais adensado (2,0 x 2,0) foi de 23,3 toneladas de banana por hectare, mais do que o dobro do volume médio obtido no Estado, de cerca de dez toneladas por hectare.

Considerando um preço médio de R$ 2,00/kg pago ao produtor, se trabalharem com o espaçamento adensado de 2,0 x 2,0 m e conseguirem produzir 23,3 t/ha, ele receberá R$ 46.600,00/ha de banana. Já se ele produzir a média de 10 t/ha, receberá R$ 20.000,00/ha de banana.

– Espaçamento: 2,0 m x 2,0

– Produção: 23,3 t/ha   

– Preço: 2,00 kg

Receita: R$ 46.600,00/ha

Produção média de 10 t/ ha = Receita de R$ 20.000,00/ ha

ARTIGOS RELACIONADOS

Maracujá: Nordeste ainda domina cultivo

O Brasil é o maior produtor mundial de maracujá. A produção nacional, no ano de 2018, de acordo com o IBGE, foi de 602.651 toneladas em uma área de 43.248 ha. A região nordeste destacou-se como a principal produtora, com 375.541 toneladas em uma área de 29.953 hectares, o que representou um aumento de 11% em relação a 2017.

A hora da colheita da manga

Givago Coutinho Engenheiro agrônomo e doutor em Fruticultura givago_agro@hotmail.com Herick Fernando de Jesus Silva Engenheiro agrônomo e doutorando em Fitotecnia/UFU herickfernando@gmail.com   O critério mais usado para a...

Produtores rurais precisam travar custos

O desconhecimento dos reais custos da produção de soja na safra 2016/17 foi um dos pontos constatados durante a segunda semana do Circuito Tecnológico...

Exportação de manga brasileira

Mesmo diante da pandemia da Covid-19, a manga do Brasil ultrapassou recordes ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!