22.8 C
Uberlândia
quarta-feira, julho 17, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosBertanha - 40 anos de pura agricultura

Bertanha – 40 anos de pura agricultura

Créditos Fransérgio Leão
Créditos Fransérgio Leão

São 40 anos de fábrica da Bertanha e 40 anos de cafeicultura. A empresa nasceu fabricando máquinas para café, e por um período de 15 anos abriu a atividade para outros setores da agricultura, sem nunca perder o elo com o café.

“Nos últimos dez anos concentramos toda a nossa atenção na cafeicultura, com o lançamento do projeto de recolher os grãos do centro da rua, um processo totalmente mecanizado em que conseguimos resgatar todo o café de varrição com o advento da Mogiana e da Varre-tudo. Os armazéns nunca tinham visto chegar tanto café de varrição no intervalo de três anos. Trabalhamos nesse projeto visando melhorar o café de varrição por meio do processo de arruação, resultando na máquina Varre-tudo“, relata Sid Bertanha, proprietário da empresa.

A partir de 2007 se efetivaram as vendas das máquinas para este fim, aumentando a quantidade de máquinas comercializadas. No trabalho desses 10 anos adquirimos conhecimento, experiência, informação para ajustes finos e melhoria de produtividade. “Estamos guardando todo esse estudo e trabalhando no processo. Em 2017 começamos com várias novidades na engenharia da Mogianae da Varre-tudo, para elas trabalharem e andarem com maior velocidade, recolher o café mais limpo e separar melhor as impurezas. Estávamos ansiosos para a chegada da Agrishow para mostrarmos toda a linha de colheita do chão renovada, com essa reengenharia“, conta Sid Bertanha.

Com as inovações, as máquinas foram reinventadas e dobraram a sua capacidade de produção, trabalho, velocidade e eficiência.

Créditos Fransérgio Leão
Créditos Fransérgio Leão

Portfólio

Durante a Agrishow, a Bertanha apresentou uma Varre-tudo 3 em 1 reestilizada, com uma nova engenharia, movida a óleo diesel, para tratores com potência 40% menor, com eficiência de varrição melhor e velocidade de trabalho maior.

“Resumimos as Mogianas em quatro modelos distintos, sendo uma básica, de menor porte, chamada pé-de-boi, que atende os pequenos produtores com eficiência, mas na medida do médio/pequeno produtor. Temos máquinas padrão e outras voltadas para propriedades mais tecnificadas, sendo uma totalmente mecânica e duas hidráulicas, uma com auto compensação, toda automática, com acionamentos elétricos e hidráulicos. Foram batizadas de Original Super, Hidráulica Super e a Hidráulica Compensada Super“, detalha o proprietário da empresa.

Créditos Fransérgio Leão
Créditos Fransérgio Leão

Além desta linha, a Bertanha destacou também duas colhedoras, tanto a de arrasto como a autopropelida, com melhor construção hidráulica e elétrica, e ainda mais robustez de trabalho, durabilidade em horas trabalhadas e baixa manutenção.

“As nossas colhedoras, tanto a F1 como a F2, são máquinas que trouxeram profundas inovações na colheita da árvore, reduzindo os danos causados aos pés de café na colheita mecanizada. Ela tira mais café da árvore, e é tão sensível ao pé de café que pode fazer o que nenhuma outra máquina faz – ir e voltar na mesma rua, sem quebrar os galhos e sem prejudicar o pé de café“, garante Sid.

O empresário deixa como mensagem para o cafeicultor que ele pode investir no setor sem medo, porque o futuro do café é altamente promissor e está crescendo vertiginosamente. “A missão da Bertanha é trabalhar para aumentar cada vez mais a tecnologia de mecanização da cafeicultura, trazendo aos cafeicultores sempre novidades boas para que ele possa produzir cada vez mais com menor custo“, conclui.

Sid Bertanha, proprietário da empresa - Créditos Fransérgio Leão
Sid Bertanha, proprietário da empresa – Créditos Fransérgio Leão

Essa matéria você encontra na edição de junho 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua.

ARTIGOS RELACIONADOS

Bioestimulante – Alternativa para fortalecer as plantas

Considera-se bioestimulante qualquer substância ou microrganismo aplicado nas plantas visando melhorar a absorção e o aproveitamento dos nutrientes, a tolerância a estresses abióticos e a produção e sua qualidade, independentemente de seu conteúdo nutricional.

Qual o melhor momento de plantar cenouras?

Agnaldo Donizete Ferreira de Carvalho Pesquisador da Embrapa Hortaliças A melhor época para plantio de cenoura são as estações outono-inverno, que começam em março e se...

Clima seco favorece colheita e moagem atinge 48,80 milhões de toneladas na 2ª quinzena de junho

Na segunda quinzena de junho, as unidades produtoras da região Centro-Sul processaram 48,80 milhões de toneladas ante a 43,19 milhões da safra 2023/2024 –...

Manejo biológico da broca do colmo

Valéria Rosa Lopes Doutora em Agronomia pela Universidade Federal do Paraná (UFPR) e engenheira agrônoma na Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!