Blockchain a favor dos produtores rurais

0
63
Crédito Internet

Executivos com larga experiência de mercado, Walter Dissinger, ex-presidente mundial BASF e ex-CEO da Votorantim Cimentos, Francisco Pereira, fundador e atual CEO da Trademaster e ex-diretor da Bunge e Marcelo Borba, grande produtor rural em Tocantins e Goiás e fundador e ex-CEO da MB Engenharia, se uniram e criaram a MasterBarter, startup que nasceu para democratizar o modelo de Barter (troca de grão futuro por crédito e/ou insumos) no país.
 

Fundada em setembro de 2020, a empresa recebeu, até o momento, um aporte de R$ 5 milhões de seus fundadores, investidores anjos e dos fundos Parallax Ventures e FRAM Capital e já se prepara para uma rodada seed. “O modelo de Barter não é novo e agricultores utilizam a ferramenta para financiamento do custeio de safra, mas o acesso ainda é muito restrito ao grande produtor rural das culturas de soja, milho e algodão. Ainda há muito potencial para incluir agricultores menores e de culturas novas nesta jornada de financiamento”, destaca o CEO e fundador da empresa, Walter Dissinger.
 

As soluções desenhadas pela MasterBarter funcionarão como um motor para escalar o processo de Barter, dando mais autonomia, liberdade e facilidade de monetização para o produtor rural. “Nossa missão é promover a inclusão financeira e empoderar o produtor rural, dando mais potência ao agronegócio”, ressalta o CEO.
 

A agfintech criou uma conta digital que facilita o acesso ao crédito utilizando a produção agrícola como moeda de pagamento. “Criamos o BarterCard, onde um contrato inteligente fechado em nossa plataforma digital permite que ele deposite o produto agropecuário vendido diretamente no armazém que existe em sua conta digital”, complementa Walter Dissinger.
 

No aplicativo, o produtor consegue converter o grão em dinheiro sempre que precisa de liquidez e gasta com seu cartão BarterCard. “É o único cartão de crédito com bandeira Mastercard que oferece prazo safra para produtores rurais”, complementa Dissinger.
 

Norteada por princípios ESG (Environment, Social & Governance), a MasterBarter garante que suas tecnologias estimulam práticas sustentáveis. “Se de um lado oferecemos serviços de SaaS (Software as a Service) em Blockchain para os originadores de produtos agropecuários, melhorando seu processo de contratação, do outro, cumprimos com protocolos rígidos regulatórios, atuando como Instituição de Pagamento para todos estes participantes ecossistêmicos da cadeia do agronegócio”, afirma o co-founder, Marcelo Borba.
 

Crescimento acelerado

Em menos de um ano, a MasterBarter está operando com mais de 10 clientes, incluindo Cooperativas, Distribuidores verticalizados e Indústrias de insumos. A projeção para 2022 é transacionar, em suas tecnologias, volume financeiro superior a R$ 400 milhões.
 

Pensando no futuro, a agfintech tem planos ambiciosos, projetando cadastrar 80 mil agricultores e transacionar mais de R$ 7 bilhões em três anos. A startup niciou o negócio com uma parceria inédita com a Mastercard, a bandeira escolhida para o cartão oferecido aos produtores rurais.
 

Sobre a MasterBarter

A MasterBarter é uma Agfintech que cria soluções diversificadas e inteligentes, baseadas em blockchain, para escalar exponencialmente a aplicação do modelo de Barter no Brasil. A empresa promove a inclusão financeira dos produtores rurais, dando mais segurança nas transações e a sustentabilidade das culturas do agronegócio. Fundada em 2020 por Walter Dissinger, ex-presidente mundial da BASF e ex-CEO da Votorantim Cimentos, Francisco Pereira, fundador e atual CEO da Trademaster e ex-diretor da Bunge e Marcelo Borba, grande produtor rural em Tocantins e Goiás e fundador e ex-CEO da MB Engenharia, a MasterBarter já recebeu R$5 milhões de investimento de seus fundadores e dos fundos Parallax Ventures e FRAM Capital.