Crotalária: redução de nematoides

0
131

Suzeth Carvalho SousaGraduanda em Agronomia – Unicerradosuzecarvalho10@gmail.com

Pauletti K. RochaEngenheira agrônoma, mestra em Agronomia e diretora do curso de Agronomia – Unicerrado paulettirocha@unicerrado.edu.br

Lavoura de soja atacada por nematoides – Crédito: Rosângela Silva

De acordo com a Sociedade Brasileira de Nematologia (SBN), anualmente os danos causados por nematoides chegam a R$ 35 bilhões, sendo que só na cultura da soja as perdas estimadas giram em torno de R$ 16,2 bilhões. Na literatura já foram descritas mais de 15.000 espécies de nematoides, sendo 4.100 hospedeiros de plantas, os quais causam danos diretos e indiretos à diversas lavouras, podendo acarretar prejuízos significativos aos produtores de todas as partes do mundo.

É necessário uma atenção minuciosa quanto ao ataque desses parasitas, pois muitas vezes os sintomas não são percebidos ou, quando percebidos, são atribuídos a outras pragas ou doenças, visto que há espécies com capacidade de zerar a produção em uma lavoura, como o nematoide de galhas em soja (Meloidogyne sp.), considerado o mais importante no Brasil, devido a sua alta capacidade de dispersão no ambiente e sua presença ser facilmente detectada pela deformidade causada no sistema radicular.

Outros gêneros relacionados aos cultivos agrícolas também são responsáveis por prejuízos expressivos, sendo alguns capazes de viver em ambientes com excesso de água e outros resistentes a estresses hídricos por períodos de meses ou anos.

Causas

Os nematoides são introduzidos nas áreas de cultivo através da água de irrigação, mudas produzidas em substratos ou solos contaminados, máquinas e implementos agrícolas e movimentação de pessoas e animais no local. Esses parasitas possuem um estilete bucal que, ao ser introduzido na planta, retira os nutrientes e injeta toxinas no interior das células vegetais, provocando injúrias como o surgimento de estruturas irregulares, chamadas galhas e escurecimento de tecidos.

Habitualmente, eles estão presentes no solo e atacam as raízes das plantas, entretanto, recentemente foi identificada uma espécie que causa danos à parte aérea, sendo esse o Aphelenchoides besseyi, causador da doença soja louca II, que provoca retenção foliar e haste verde. A presença na lavoura pode ser notada através do surgimento de reboleiras, onde as plantas apresentam crescimento reduzido e amarelecimento foliar.

Alerta máximo

A veracidade dos nematoides como pragas se deve ao fato de que, uma vez presentes na área, é praticamente impossível extingui-los, porém, realizar um manejo integrado pode ser uma forma de minimizar os danos causados por esses parasitas por meio do uso de cultivares tolerantes ou resistentes, rotação ou sucessão de culturas, controle biológico e controle químico.

Mesmo com a possibilidade de não erradicar “totalmente” esses vermes, é necessário buscar estratégias para minimizar os prejuízos causados, sendo uma delas, manter a população abaixo do nível de dano econômico com o cultivo de plantas de cobertura (adubos verdes) que não são hospedeiras de nematoides.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.