25.6 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiCultivo de berinjela japonesa em estufas

Cultivo de berinjela japonesa em estufas

Douglas José Marques

Doutor e professor de Olericultura e Melhoramento Vegetal da Universidade José do Rosário Vellano-UNIFENAS

glauciogenuncio@gmail.com

 

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Nos últimos anos, o cultivo da berinjela vem se desenvolvendo muito, principalmente na Europa e nos Estados Unidos, tendo em vista que seus frutos são muito nutritivos e saborosos. Os países com maior produção são Israel (42,698 kg ha-1), valor bem acima daquele atingido na China (16,257 kg ha-1) e na América do Sul (13,061 kg ha-1), e ainda, no Brasil 25,981 kg ha-1, sendo os Estados de São Paulo e do Rio de Janeiro os dois maiores produtores.

A maior produção de berinjela é no Estado de São Paulo eatualmente são comercializados 24,521 toneladas.

O mercado consumidor brasileiro tem se tornado cada vez mais exigente quanto à qualidade do produto e preço, o que tem levado os produtores de oleráceas à utilização de cultivares e híbridos de alta produtividade e qualidade de frutos.Dentre essas cultivares se enquadra a berinjela japonesa.

Cultivo protegido de berinjela

O cultivo de berinjela japonesa deve ser feito preferencialmente em ambiente protegido. Esse sistema de produção favorece a maior adaptação da cultura, produção e frutos com maior qualidade.

A cultura da berinjela necessita de temperatura alta para o seu desenvolvimento, então, a utilização do cultivo protegido possibilita maior temperatura, que se traduz em ganho de eficiência produtiva, além de o cultivo protegido reduzir o efeito da sazonalidade, favorecendo a oferta mais equilibrada ao longo dos meses. Além disso, pode encurtar o ciclo de produção.

As variedades de berinjela mais comercializadas apresentam formato alongado, de 13 a 17 centímetros de comprimento, e cor roxo-escura, quase preta. Mas há também frutos com características diversas, como os finos e alongados de cultivares do tipo japonês, plantadas em São Paulo. São encontrados nas cores roxa e verde.

As arredondadas do tipo italiano têm casca púrpura ou rosa rajada, polpa adocicada e poucas sementes.As cultivares de berinjela japonesa com maior aceitação pelo mercado consumidor e pelos produtores são Kokuyo, ShoyaLong, KumamotoNaganassu, KokushiOonaga, KuroKunishiki. No entanto, o produtor deve procurar um agrônomo para indicar a cultivar que tenha maior aceitação comercial na sua região.

Nova Imagem

Por que em estufas?

As vantagens e oportunidades do cultivo protegido são muitas, dentre as quais:

ðAumenta a produtividade da cultura;

ðPossibilita o controle do ambiente, permitindo a produção de diversas culturas em diferentes regiões e épocas do ano;

ð Diminui o ciclo da planta;

ð Reduz o consumo de água, já que o sistema fechado reduz a evapotranspiração;

ð Proteção contra chuva, granizo e geadas;

ð Controle do vento e da radiação solar;

ð Melhor condição de trabalho para os funcionários;

ð Possibilidade de produzir e comercializar produtos diferenciados.

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Para as oportunidades, destacamos:

â–º Possibilidade de bom retorno econômico em áreas de pequena escala de produção;

â–º Consumidores dispostos a pagar mais por produtos de qualidade, especialmente por hortaliças diferenciadas;

â–º Comercialização na época de entressafra;

â–º Opção para regiões com alto custo da terra.

 

Dicas importantes

Antes de migrar para esse tipo de sistema de produção, não somente o produtor, mas também seus funcionários precisam estar capacitados a fazer o manejo correto, o qual difere do realizado em campo aberto em alguns momentos. Muitas doenças em cultivo protegido tendem a ser mais severas que em campo aberto.

Na maioria das vezes, a vulnerabilidade da planta está associada à prática comum de adensamento realizada em estufas, que cria condições favoráveis a determinadas doenças. Por isso, é de suma importância o conhecimento técnico, que determinará a produtividade a ser obtida ao longo dos anos.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de Julho 2017  da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira já a sua para leitura integral.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Maturação da cana-de-açúcar

Claudio Fernando De Gáspari Engenheiro agrônomo, especialista em manejo de cana-de-açúcar e gerente da Green Has do Brasil Ltda. comercial@greenhb.com.br   A cana-de-açúcar é uma cultura de fundamental...

Palini & Alves comemora 35 anos

Líder no mercado de máquinas para processamento de café, a diretoria foi homenageada no dia 13 de novembro, em Espírito Santo do Pinhal (SP),...

Nova variedade de Melancia com sabor e cor mais intensos é apresentada pela Seminis

Os produtores agora contam com a Red heaven, um híbrido precoce, com frutos grandes e cobertura foliar ainda maior do que outras variedades do...

Calagem superficial – Como a soja responde à técnica

A correção da acidez do solo em profundidade é fundamental. “Esse é o alicerce da casa, e é preciso fazer a correção“, ressalta Leandro...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!