Desafios na produção de sementes

0
57
Flores de cenoura – Fotos: Canal do Horticultor

Em conversas nas nossas redes sociais, percebemos que várias pessoas têm dúvidas e curiosidades sobre a produção de sementes de hortaliças. Pensando em esclarecer estas questões, selecionamos algumas perguntas para serem respondidas pelos técnicos convidados desta edição. 

Nesta matéria, que é a sétima da coprodução entre o Canal do Horticultor e a Revista Campo & Negócios, também falaremos sobre as sementes de hortaliças, como são produzidas e quais os desafios.

Convidamos o Engenheiro Agrônomo Israel Rosa Machado, que é Coordenador de Qualidade da ISLA Sementes, e o Biólogo Deusdedit Alves Pereira, Gestor de Qualidade de Sementes, que atua há mais de 30 anos na área de sementes de hortaliças.

Qual a legislação que regulamenta a produção de sementes no Brasil? 

A legislação de sementes no Brasil é regulamentada pela Lei Nº 10.711 de 5 de agosto de 2003,que dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas. Também são importantes os seguintes marcos regulatórios:

-Decreto Nº 10.586 de 18 de dezembro de 2020 (Regulamenta a Lei nº 10.711, de 5 de agosto de 2003, que dispõe sobre o Sistema Nacional de Sementes e Mudas).

-Instrução Normativa Nº 9 de 2 de junho de 2005 (Aprova as normas para produção, comercialização e utilização de sementes)

-Instrução Normativa Nº 42 de 17 de setembro de 2019 (Estabelece as Normas para a Produção e a Comercialização de Sementes e Mudas de Espécies Olerícolas, Condimentares, Medicinais e Aromáticas e os seus padrões de sementes).

Além destas, existem dezenas de outras Instruções Normativas que estabelecem padrões e procedimentos e que regulamentam a produção de sementes. 

Em quais regiões ficam os campos de produção de sementes?
Existem grandes regiões nas quais a ISLA realiza a produção de sementes: Região Sul do RS (municípios de Candiota, Hulha Negra, Pedras Altas, Herval e Pinheiro Machado) e Região Norte de MG (municípios de Jaíba, Matias Cardoso, Janaúba e Gameleiras). Além destas principais regiões, há uma produção localizada no município de Joanópolis/SP.

Para plantas enxertadas, seus frutos darão sementes de qual genética?

Atualmente não trabalhamos com plantas enxertadas na produção de sementes. A planta enxertada é utilizada para produção de frutos com características de interesse conforme a parte do enxerto (cavaleiro), enquanto o porta-enxerto (cavalo) confere condições de rusticidade e adaptabilidade às doenças de solo e questões hídricas, por exemplo.

Qualidade em Tecnologia de Sementes

A produção de sementes de hortaliças no Brasil é produzida na sua maioria por empresas privadas. São poucas as empresas especializadas em produção de sementes.

O Brasil tem condições edafoclimáticas muito interessantes para produção de sementes da maioria das espécies de hortaliças e vem crescendo no ranking dos principais produtores de fornecedores de sementes do mundo. Esta combinação favorável é encontrada em regiões no Brasil, onde solo, temperatura, umidade do ar, regime de chuvas, fotoperíodo e altitude estão entre os principais fatores determinantes para aptidão à produção de sementes.

Quais são as melhores regiões para produção de sementes?

As principais regiões produtoras de sementes de hortaliças no Brasil são:

  • Sul (Candiota, Rio Grande do Sul e municípios vizinhos) – Cebola, cenoura, coentro, rabanete, salsa e outros; 
  • Centro Oeste e Nordeste (Vale do São Francisco, Bahia) – Abóbora, melão, coentro, pimentão e outros; 
  • Norte de Minas Gerais (Jaíba, Janaúba, Matias Cardoso) – Abóbora, pepino, melão, alface, tomate e outras;
  • Sudeste (São Paulo) – produção de sementes híbridas de tomate, pimentão e outros.

Sementes: principal insumo na produção de hortaliças

Para obtenção de sementes de qualidade além da região adequada é necessário que se tenha boas variedades, de alto desempenho.

Para cada variedade é necessário que se faça o melhoramento genético, obtendo sementes genéticas de qualidade, que darão origem às sementes comerciais.

Na Isla fazemos o melhoramento de nossas cultivares OP (do Inglês Open Pollination – que significa polinização aberta) em campos específicos para fins de sementes genéticas, fazendo o roguing*, eliminando plantas fora do tipo (of type). Usamos também o método de seleção das melhores plantas e frutos com características desejadas pelo mercado.

Exemplo: no caso das espécies alógamas as plantas foram autofecundadas, protegendo flores masculinas e femininas, fazendo polinização dirigida, criando assim progênies; destas depois de 2 a 3 gerações elegemos a melhor progênie, criando então uma variedade de alto desempenho garantindo assim uma produção e fornecimento de hortaliças de qualidade ao consumidor final.

Além do trabalho com híbridos, que envolve muitos anos de pesquisas e diversos parceiros no Brasil e em diversos outros países, para disponibilizar cultivares de qualidade nas mais de 150 espécies que a empresa trabalha.

Como determinar a qualidade de sementes?

As sementes de hortaliças podem ter sua qualidade determinada por suas características genéticas, físicas, fisiológicas e sanitárias.

Campo de produção de sementes de alface

Quando é a hora de colher as sementes?

Para entender o melhor momento de colher as sementes, é preciso noção de vários aspectos, como botânica, biologia, fisiologia e demais atributos das espécies vegetais em questão. O ponto que determina a hora certa de colher é chamado de maturação fisiológica, quando as sementes atingem o maior tamanho e maior peso, estando maduras e aptas à colheita. Neste ponto a semente atinge a máxima germinação e vigor. 

Frutos de abóbora com sementes no ponto de maturação fisiológica

Flores de cenoura em fase de polinização

Importância da UBS*

O beneficiamento de sementes é uma etapa importantíssima dentro do processo de produção de sementes, o qual tem o objetivo principal aprimorar as características físicas das sementes. 

Na entrada à UBS – Unidade de beneficiamento de sementes, as sementes chegam do campo, embaladas em sacos de pano, ráfia ou bags de acordo com a espécie. Todas vem devidamente identificadas e passam pelo processo de limpeza, eliminando impurezas, sementes mal formadas ou danificadas. Também são classificadas e padronizando por tamanho ou peso, formando lotes uniformes e de boa qualidade física, fisiológica e sanitária. Assim são garantidos os principais processos para uma maior longevidade da semente. As sementes com umidade acima do padrão, passam pelo processo de secagem. 

Sementes na chegada à UBS – Porto Alegre, RS

As sementes beneficiadas são enviadas para o laboratório de análise, para verificação de pureza, germinação e vigor. Após a aprovação dos lotes, as sementes são armazenadas câmaras com ambiente controlado.

As sementes armazenadas são retiradas da câmara para tratamento e embalamento de acordo com a demanda de mercado. São disponibilizadas em embalagens acessíveis a vários públicos, desde envelopes, cartelas, pacotes e baldes.

Baldarat comenta que além das sementes convencionais, hoje a ISLA já conta mais de 40 variedades orgânicas, certificadas, das quais várias já estão em fase comercial e outras ainda em etapas de lançamento.

Clique aqui para conferir as sementes orgânicas – ISLA

Como conservar as sementes para manutenção das características? Como armazenar? 

CADS* – Centro de Armazenagem de Sementes da ISLA, em Porto Alegre/RS

Os principais fatores que afetam a conservação das sementes são a umidade e a temperatura do ambiente. Quanto menores estes valores, menor também será a perda do potencial fisiológico das sementes, e consequentemente maior será a longevidade da semente. Portanto, o ideal é o armazenamento das sementes em ambientes com umidade e temperatura baixas, o que em empresas de sementes é realizado em câmaras de ambiente controlado. Em ambientes domésticos, após um pacote de sementes ser aberto, o armazenamento pode ser feito em embalagens que dificultem a troca de ar com o ambiente, como por exemplo, embalagens tipo “zip lock” ou garrafas pet, deixando-as na geladeira. Caso isto não seja possível, é aconselhável armazenar as sementes em um ambiente frio e seco, protegidas da incidência de luz.

Desafios da produção

Para a Engenheira Agrônoma Amanda Inoue, um dos principais desafios de produzir sementes de hortaliças é aprimorar os métodos de produção e manejo para as novas cultivares que são buscadas para atender a demanda de uma horticultura diversificada. A pesquisa e o desenvolvimento de manejo para produção de sementes é fundamental para a evolução do setor.

Amanda percebe uma crescente em busca por alimentação mais saudável e aumento no consumo de hortaliças, frutas e vegetais em geral. Neste ponto a produção de sementes preza pela qualidade e diversidade de sementes, para produção de hortaliças, temperos, ervas, flores e demais plantas olerícolas.

Novos estudos de eficiência no manejo são fundamentais, assim como bom uso de recursos e insumos na produção. 

Roguing: O termo estrangeiro se refere à prática de examinar a lavoura de produção de sementes com o objetivo de eliminar plantas atípicas e garantir a pureza da semente ao fim do ciclo. Prática fundamental que consiste em eliminar plantas atípicas no momento certo, em todos campos de produção mantendo assim a pureza varietal.

UBS: Unidade de beneficiamento de sementes. É onde ocorrem os processos de limpeza e beneficiamento das sementes.

CADS: Centro de armazenagem de sementes.

RAS: Regras para Análise de Sementes, disponível neste link.

Confira mais sobre este assunto em:

Produção de sementes

Material Embrapa

Legislação para insumos agrícolas

Conheça mais sobre o caminho da semente: Por dentro da ISLA