Híbridos entregam produtividade de 40 a 50 sc/ha

0
14

Daniela AndradeEngenheira agrônoma e mestre em produção vegetal – Universidade Federal de Lavras (UFLA)daniela.agronomia@hotmail.com

Erica Camila ZielinskiEngenheira agrônoma e mestranda em Produção Vegetal – Universidade Federal do Paraná (UFPR)ericacamilazielinski@gmail.com

Daniele Brandstetter RodriguesEngenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia e supervisora de Controle de Qualidade de Sementes ufpelbrandstetter@hotmail.com

Milheto – Crédito: Shutterstock

Os agricultores brasileiros estão buscando levar mais lucratividade às suas propriedades, com alternativas que ajudam a obter renda durante a safrinha. A produtividade dos híbridos de milheto pode ultrapassar 50 sacas por hectare.

O mercado de grãos de milheto já está consolidado por sua qualidade e diferenciais e, por isso, apresenta alta liquidez, com preços atingindo 90% do valor do milho na maioria das regiões produtoras. Além da produção de grãos, o milheto é bastante utilizado para melhorar o solo para a próxima cultura, levando muitos benefícios para a soja, por exemplo.

Mais produtividade

De maneira geral, a cultura do milheto denomina-se uma espécie altamente versátil, rústica, com elevada capacidade de romper as camadas compactadas do solo, pois tem um sistema radicular profundo, o qual, além de promover a descompactação, recicla nutrientes minerais.

Assim sendo, pode-se afirmar que o milheto é fortemente responsivo à disponibilidade de condições favoráveis ao material em questão. Em geral, os milhetos híbridos disponíveis no mercado vêm apresentando tetos produtivos cada vez maiores, possibilitando ótimos resultados em termos de produtividade.

Benefícios do milheto para outras culturas

Os benefícios do cultivo de milheto são vários, entre os quais destaca-se o eficiente controle dos nematoides, com baixo fator de reprodução para o nematoide das lesões (Pratylenchus brachyurus), proteção do solo, já que produz elevado conteúdo de palhada na entressafra da soja, por exemplo, o que possibilita o plantio direto, diminuindo o custo de produção da oleaginosa.

Ainda, atua como supressor de possíveis sementes de plantas daninhas na área de cultivo.

Outro benefício que vale ressaltar é a segurança de plantio de uma cultura com menor demanda hídrica, fator de grande importância para as regiões dos cerrados brasileiros, onde plantios tardios de milho apresentam riscos de perda de produtividade em decorrência da estiagem, momento em que o milheto entra como uma cultura competitiva.

Época de semeadura

Neste quesito, a decisão é dependente do propósito do cultivo do milheto. Para cobertura do solo, bem como com finalidade de cultivo de grãos, o plantio é realizado como safrinha, após a colheita da soja, sendo recomendado para os cerrados o plantio entre 01º de fevereiro a 15 de março, janela ideal em função da disponibilidade hídrica da região.

Para utilização dos materiais com propósito forrageiro, é recomendado realizar o plantio no período do verão, entre os meses de outubro a fevereiro.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.