27.6 C
Uberlândia
quarta-feira, abril 17, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesEstiagem e calor extremo exigem planejamento com soluções nutricionais

Estiagem e calor extremo exigem planejamento com soluções nutricionais

Períodos de estresse climático durante o verão podem afetar lavouras de ciclo curto, como a do milho, gerando perdas que podem ser evitadas com uma boa estratégia

As chuvas neste início de ano vêm amenizando, em muitas regiões agrícolas brasileiras, os efeitos do calor intenso e da estiagem, elevando a umidade do solo e estancando momentaneamente perdas que se desenhavam em diversas culturas. De outro lado, em outras partes do país, o excesso de chuvas também tem afetado o desenvolvimento das lavouras, com o encharcamento do solo e a baixa luminosidade que afeta a fotossíntese, vital para o desenvolvimento das plantas.

Lígia Aguiar, coordenadora de Desenvolvimento Técnico de Mercado da Ubyfol (Divulgação I Grupo Uby Agro)

Com o atual cenário de clima seco e altas temperaturas, as consultorias têm revisado sistematicamente para baixo a projeção das safras de grãos para 2024. Sobretudo em relação à redução das áreas plantadas e produção do milho safrinha, devido ao atraso no plantio da soja, que interfere no timing ideal para a implantação da cultura do milho, trazendo maiores riscos ao produtor. Seja qual for o panorama, é importante que o agricultor continue monitorando as projeções e as condições climáticas, e tenha uma carta na manga para garantir bons resultados de produtividade.

Fator determinante para alcançar as metas de produção, a água desempenha papel crucial nos processos metabólicos da planta. Durante o ciclo de diferentes culturas, o déficit hídrico causa impactos negativos na qualidade e nas propriedades do grão. A ocorrência de estiagem durante o estágio de seu enchimento, período crítico de exigência de água do milho, por exemplo, causa diminuição do acúmulo de matéria seca nos grãos, o que antecipa sua maturação e reduz seu tamanho.

Para Lígia Aguiar, coordenadora de Desenvolvimento Técnico de Mercado da Ubyfol, é fundamental que o produtor tenha em mente as alterações climáticas do fenômeno El Niño nas diferentes regiões do país, para que ele programe adequadamente a safrinha do milho e, assim, possa se preparar da melhor forma possível, visando potencializar o metabolismo da planta para obter maiores produtividades. “Os períodos de estiagem e/ou excesso de chuvas contribuem com inúmeros fatores negativos para a cultura. Devido ao estresse hídrico, a planta tem o seu metabolismo reduzido – o que afeta o desenvolvimento e a produtividade da lavoura. Essa é, portanto, uma questão recorrente que deve servir para estimular a busca por soluções que mitiguem esses problemas e, ao mesmo tempo, ampliem a visão e o conhecimento do produtor rural sobre a fenologia da cultura, para que ele possa utilizar tecnologias eficientes na dosagem e no momento corretos”, ressalta.

Pertencente à categoria de fertilizantes foliares, Verdatto é uma solução nutricional desenvolvida pela Ubyfol, cujo objetivo é promover maior atividade fotossintética, aumentar eficiência do uso da água e potencializar o metabolismo antioxidante das plantas, impactando diretamente em sua construção e tornando-as altamente eficientes para suportarem melhor os períodos de estresse. Além disso, o produto conta com a tecnologia exclusiva da Ubyfol – a Polihexose –, que garante absorção eficiente dos nutrientes presentes na formulação.

“É uma solução líquida que fornece nutrientes, como magnésio, fósforo e potássio, favorecendo a associação a estímulos fisiológicos da planta, devido ao balanço de aminoácidos (alta concentração em glicina e prolina) e modulando-os para potencializar a fotossíntese, o metabolismo antioxidante e a osmorregulação (eficiência do uso da água)”, explica Lígia. “É um produto que entrega segurança e inovação ao produtor, por apresentar compatibilidade com as misturas de tanque e maior eficiência de absorção e translocação. E mais: por aumentar a fotossíntese, a planta fica verde por mais tempo, conservando a coloração das folhas do baixeiro, condição que é denominada de “stay green”, ressalta.

Após dois anos de pesquisas realizadas em parceria com o professor Carlos Crusciol, do campus da Unesp, em Botucatu (SP), foi validada a melhor curva de dose/resposta do Verdatto para ser empregado na cultura do milho. Os resultados mostraram, quando o produto foi aplicado em V4 à V8, o incremento na fotossíntese de até 46% (quando utilizado na dosagem de 4L/ha, refletindo num aumento de 12,8 sc/ha, potencializando-se a capacidade produtiva da cultura.

A solução também entregou excelentes respostas em se tratando de aumento dos índices de produtividade, segundo pesquisas realizadas pela Ubyfol em conjunto com a Agro Marochi, na safrinha de 2023. De acordo com dados conclusivos desse trabalho, houve um incremento de produtividade de 9,0 sc/ha na dose de 4L/ha parceladas em V4 e V8, e diferença estatística entre as produtividades obtidas.

ARTIGOS RELACIONADOS

Manejo biológico do solo contribui para aumento de 4 sc/ha na soja

Os produtores de soja que já se planejam para a próxima safra devem ter como foco principal a construção de um solo equilibrado em seus aspectos...

Custos da soja e milho sobem acima de 25%

A indicação do estudo, conduzido pelo diretor Técnico da FecoAgro, Tarcísio Minetto, é que as duas culturas terão uma alta acima de 25% nos desembolsos para o próximo período.

Seguro rural pagou R$ 4,1 bilhões em indenizações em 2021

A Superintendência de Seguros Privados (Susep) divulgou a Síntese Mensal dos principais dados ...

Brasil está entre os maiores produtores e exportadores de algodão

Segundo levantamento da safra de grãos da Conab em 11 de novembro...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!