27.7 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 22, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosExigência de água e sistemas de irrigação do abacateiro

Exigência de água e sistemas de irrigação do abacateiro

O abacateiro é uma cultura que demanda água, porém, com sistemas de irrigação adequados, é possível otimizar o uso desse recurso e garantir um crescimento saudável das árvores.

Brenda Ventura de Lima e Silva
Engenheira agrônoma e mestra em Fitopatologia – IF Goiano
brenda.ventura@ifgoiano.edu.br

Isabeli Barbosa Brito
Graduanda em Agronomia – IF Goiano – Campus Morrinhos
isabeli.brito@estudante.ifgoiano.edu.br

Ana Paula Gonçalves Ferreira
Engenheira agrônoma e mestranda em Olericultura – IF Goiano Campus Morrinhos
ana.goncalves@estudante.ifgoiano.edu.br

Na agricultura moderna, em que a água disponível para a irrigação é cada vez mais escassa e o regime de chuvas inconstantes, o planejamento hídrico das culturas torna-se cada vez mais importante.

A água disponível no solo é um dos fatores limitantes no desenvolvimento das plantas. Portanto, quando o potencial de água disponível no solo reduz abaixo do limite exigido pela planta, as raízes não conseguem mais absorver em quantidade suficiente para atender às demandas da transpiração. Nesta faixa, se diz que a cultura está com déficit hídrico.

Como consequência, as plantas diminuem o seu desenvolvimento, comprometendo a produtividade e dependendo do nível de estresse hídrico pode levar à planta a morte.

A água é fundamental nos processos fisiológicos, morfológicos, bioquímicos e moleculares nas plantas, sendo que a restrição hídrica pode afetar negativamente o seu crescimento vegetativo e produtividade, comprometendo a integridade da membrana celular e a taxa de fotossíntese.

O estresse hídrico pode provocar modificações na planta, variando conforme a espécie, o estádio de desenvolvimento e a quantidade de água no solo. Assim, o planejamento hídrico da cultura do abacateiro é fundamental para a obtenção de altas produtividades.

O caso do abacate

O cultivo de abacate tem crescido significativamente nos últimos anos no Brasil, o qual já ocupa a quarta posição no ranking a nível mundial, com cerca de 20 mil hectares em produção e aproximadamente de 250 mil toneladas em 2022.

Essa crescente produção deve-se às propriedades nutricionais e funcionais do abacate, já que é uma cultura extensamente rica em propriedades nutricionais. Destaque para o potássio, zinco e ferro, além de ter propriedades medicinais, podendo ser usado para tratamentos intestinais, como disenteria e possuindo ação vermicida.

A produção brasileira de abacate está distribuída principalmente na região sudeste, com destaque para o estado de São Paulo.

O abacateiro necessita de temperaturas mais elevadas e maior teor de umidade para seu melhor desenvolvimento. Assim, um dos maiores desafios dos fruticultores tem sido a adoção da forma correta da tecnologia de irrigação, já que este fator é indispensável para o aumento de produtividade e melhor qualidade do fruto.

Condições climáticas ideais

O abacateiro é uma espécie de planta tropical de origem na América, mais precisamente na região mexicana e do Panamá. A planta pode sobreviver a temperaturas entre -4°C e 40°C. No entanto, mudanças bruscas de temperatura podem estressar a planta.

As geadas podem ser um dos fatores limitantes para o cultivo da espécie, mas por outro lado, altas temperaturas podem limitar a sua produção. A temperatura ideal para o abacateiro está em torno de 20°C. Em locais onde as temperaturas são muito abaixo ou muito acima das mencionadas anteriormente, podem causar queimaduras em folhas novas.

Assim, para o cultivo de abacateiros, o ideal é que se escolham regiões onde não ocorram geadas, que sejam protegidas de ventos fortes e que recebam bastante luz solar.

Produtividade e saúde do abacateiro

O abacate é considerado uma cultura com intensiva demanda por água. No entanto, as quantidades exatas estão intimamente ligadas às condições ambientais, características do solo e idade das árvores. Em locais de clima quente, o uso de água por essa planta pode ser de cerca de 45 litros por dia.

Devido a sua alta demanda por água, em condições de estiagens prolongadas haverá a queda das folhas, o que fará com que a produção seja menor. Ainda vale ressaltar que as folhagens do abacateiro, quando em déficit hídrico, não apresentam o sintoma de murchamento.

Dessa forma, o produtor deve se atentar para a falta de água, principalmente em plantas jovens, uma vez que estas ainda não apresentam um sistema radicular robusto e profundo.

Manejo hídrico

Investir em um bom abastecimento de água é indispensável para a qualidade do pomar de abacate. Assim, o ideal é, inicialmente, verificar a disponibilidade de água na propriedade e adotar uma forma eficiente de irrigação. Os meios de irrigação mais utilizados por fruticultores para o abacateiro é a irrigação por gotejamento e por aspersores.

Portanto, vale destacar que a melhor forma de garantir uma quantidade necessária de água para o bom desenvolvimento da planta e dos frutos, sob condições adversas de regime hídrico, será garantida por meio de uma boa escolha do sistema de irrigação, de modo a proporcionar um molhamento do solo uniforme e regular da área de cultivo.

Lembrando que, apesar da demanda por água, o abacateiro é muito sensível também ao excesso de umidade no solo. Portanto, a frequência de regas no inverno, quando a evapotranspiração é menor, deve ser de no máximo uma vez por semana, enquanto nas estações mais quentes é necessário cinco vezes na semana, de acordo com o estádio fenológico da planta.

Tudo sob controle

O controle da umidade é importante, pois tanto a falta quanto o excesso podem ser prejudiciais para o abacateiro. No caso do encharcamento do solo, pode causar podridão interna nas raízes, mortalidade dos galhos, amarelecimento das folhas e sensibilidade aos altos teores de sal e cloro.

Diante dessa informação, deve-se, prioritariamente, cultivar o abacateiro em solos leves, profundos, bem drenados. Solos encharcados predispõem as plantas à gomose ou podridão-do-pé.

Assim como o excesso de água é prejudicial, a falta de recursos hídricos também é um empecilho para a saúde do pomar. Quando o abacateiro passa por condições de estresse hídrico, apresenta sintomas como o amarelecimento das folhas, assim como o mau desenvolvimento das mesmas e o impacto no desenvolvimento e qualidade dos frutos.

Vale ressaltar, também, a qualidade da água, atentar-se à procedência do recurso hídrico e fazer irrigações equilibradas de acordo com a topografia do terreno e a necessidade hídrica da cultura, que são fatores de extrema relevância.

Exigências abacateiro

Em razão de o abacateiro ser uma cultura tropical, sua demanda por água e altas temperaturas é alta. As folhas dessa árvore são grandes e macias e, consequentemente, a evapotranspiração é alta. Portanto, o abacate necessita de rega regular, principalmente nos períodos de floração e frutificação.

A cultura necessita de aproximadamente 1.300 mm de precipitação bem distribuída ao decorrer do ano. Estima-se que em períodos quentes do ano, como nas estações de primavera/verão, a demanda hídrica pode variar de 40 – 220 L/dia.

No início do desenvolvimento do abacateiro, primeiros dois anos, a irrigação tem papel muito importante. Assim, em locais com possíveis ocorrências de veranicos ou secas prolongados deve-se irrigar 50 litros no primeiro ano de vida do abacate e 90 litros no segundo, afim de certificar o sucesso da florada e bom início de frutificação.

Planeje tudo

Para determinação da implantação da cultura e da quantidade ideal de rega, é necessário avaliar a aptidão da área para esta cultura. Este fator inclui a análise da textura do solo, uma vez que solos argilosos retêm mais umidade, enquanto os solos arenosos sofrem mais com a falta de água devido à baixa capacidade de retenção.

É necessário, também, analisar a disponibilidade hídrica da propriedade, a viabilidade do acesso aos corpos d’água e usar cobertura morta a fim de reter a umidade no solo. Importante conhecer a legislação vigente sobre o uso de água para irrigação.

Distribuição adequada de água

Para que o abacateiro ofereça um rendimento sustentável ao longo do seu ciclo de vida, é necessário que o abastecimento de água seja eficiente e bem distribuído no pomar. O abacate tem como origem as regiões subtropicais e tropicais úmidas, onde as chuvas são abundantes, o que faz com que em algumas regiões com condições climáticas diferentes necessitem de irrigação extra para conseguir atender às demandas hídricas da planta.

Para pomares de abacate, os principais sistemas de irrigação utilizados são o gotejamento e aspersão de baixo volume. A irrigação por gotejamento pode proporcionar economia de água de até 65%, quando comparada com formas convencionais.

Neste sistema, é necessária uma bomba com alta potência para aspirar uma quantidade considerável de água para abastecer o reservatório, o que vai variar com o número de plantas no pomar.

Na irrigação por gotejamento, o agricultor também pode realizar as fertirrigações, ou seja, a aplicação de nutrientes juntamente com água de irrigações periódicas, o que otimiza tempo e recurso financeiro.

Para a instalação de um sistema eficiente de gotejo faz-se necessário a implantação de 2 – 4 emissores por abacateiro ou a utilização do sistema de micro-spray. Estes devem ser localizados próximos ao sistema radicular das plantas e a projeção do dossel deve ser acompanhada com o passar do tempo.

O agricultor ainda deve se atentar ao local onde esses gotejadores serão colocados, uma vez que a irrigação será mais eficiente se os mesmos forem posicionados próximos às raízes ativas da planta, ou seja, nos limites da projeção do dossel.

Um fato importante e que deve ser levado em consideração para a irrigação por gotejo é que, à medida que a planta cresce, os emissores devem ser mudados de posição para garantir a eficiência da irrigação.

ARTIGOS RELACIONADOS

Poda de formação do abacateiro

O cultivo do abacateiro vem se expandindo em todo o mundo, e no Brasil isso não é diferente ...

Produtores mineiros investem em sistema alternativo de morango

  Modelo pode reduzir em até 50% o uso de defensivos e aumentar a produtividade em até 30%   Produtores de morango do Sul de Minas estão...

Azospirillum brasilense potencializa sistema de produção da soja

Lucas Guilherme Bulegon Andre Gustavo Battistus Engenheiros agrônomos e doutorandos em Agronomia da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste) Deise DalazenCastagnara PhD. em Zootecnia e professora da...

Substâncias húmicas são aliadas do desenvolvimento radicular do feijoeiro

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro Universitário...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!