Fertilizante de liberação controlada

0
69

Fernanda Barbosa Reisfernanda15reis@gmail.com

Tarcísio da Silva Vasconcelostarcisiovasconcelos589@gmail.com

Graduandos em Agronomia – Universidade Estadual do Maranhão (UEMA)

Thiago Feliph Silva FernandesEngenheiro agrônomo e mestrando em Agronomia/Produção Vegetal – Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (FCAV/UNESP), Campus de Jaboticabal – SPthiagofeliph@hotmail.com

Mamão – Crédito: Brapex

O nitrogênio é um nutriente limitante na cultura do mamoeiro. Quando em doses adequadas, pode proporcionar o aumento da produtividade, enquanto a sua falta pode prejudicar a produção (Marinho, 2001). Ademais, entre todos os nutrientes, ele é o que mais reage com o ambiente. No solo, poderá sofrer numerosas reações, ocasionando perdas por lixiviação, desnitrificação e volatilização (Freitas, 2017).

A perda de nutrientes por diversos processos é contida quando se utiliza fertilizantes de liberação controlada, e mesmo em quantidades menores, (cerca de 20 a 30%, quando comparados aos fertilizantes convencionais) garantem eficiência e alcance de alta produtividade (Borsari, 2013).

Quem são eles

Fertilizantes nitrogenados de liberação controlada são fertilizantes altamente solúveis e com boa disponibilidade de N para as plantas, como a ureia, apresentam revestimento ou podem ser encapsulados por alguns materiais de origem orgânica ou inorgânica, considerados uma ótima fonte de nitrogênio, pois liberam o nutriente de forma controlada de acordo com as exigências da planta (Cahill et al., 2010).

Os principais benefícios de se utilizar os fertilizantes de liberação controlada são: diminuir de forma considerável a perda de nutrientes por processos de lixiviação e volatilização, além de reduzir os impactos ambientais da poluição (Borsari, 2013).

Para que a liberação ocorra de forma favorável à cultura, há vários compostos que podem ser empregados para o revestimento destes grânulos, por exemplo, o enxofre elementar (S), polietilenos, termoplásticos, poliuretanos, resinas plásticas, entre outros elementos (Guelfi, 2017).

O revestimento dos grânulos, além de melhorar a disponibilidade de N para a planta, mantém-se protegido contra intempéries ambientais que favoreçam a sua perda, sendo liberado e incorporado ao solo pela precipitação (Almeida, 2016).

O percentual de nutriente liberado destes fertilizantes irá depender do tipo de material utilizado no revestimento, da espessura, da temperatura e do teor de umidade do solo, além da quantidade de água das chuvas que este solo recebeu (GueIfi, 2017).

Custo

Na maioria das vezes, os fertilizantes com tecnologia de liberação controlada são mais caros quando comparados aos convencionais, devido ao tipo e quantidade de materiais que são utilizados para o revestimento na produção.

Porém, por garantirem uma melhor eficiência e disponibilidade de nutrientes para as plantas, o produtor de mamoeiro poderá reduzir os custos em 12% e aumentar sua produtividade em 30%, quando comparado aos fertilizantes convencionais.

Além do N, os fertilizantes de liberação controlada também podem influenciar na disponibilidade de outros nutrientes. Simão (2017) observou que em mudas de Mamoeiro da cultivar ‘THB’, a aplicação destes fertilizantes proporcionou um melhor aproveitamento de potássio (K) na cultura, quando comparado a fertilizantes convencionais.