23.3 C
São Paulo
sexta-feira, julho 1, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Granfinale - Resultado que se vê

Granfinale – Resultado que se vê

Fotos Vitor Imbrizi
Fotos Vitor Imbrizi

Vitor Flávio Imbrizi é produtor de café na região de Três Pontas (MG), na fazenda Estrela. Vitor produz em parceria com um grupo, totalizando 270 hectares de café. “A fazenda era do senhor Edmundo Otaviano Silva, que faleceu e ficou para os filhos. Recentemente, o grupo de produtores adquiriu um equipamento da Granfinale ” o Silo- Secador.Conhecemos o equipamento há quatro anos e resolvemos adquirir nesse ano. Pesquisamos bastante antes de fazer a compra, conversamos com quem tinha e então adquirimos o nosso“, relata.

O Grupo tinha outras opções no mercado, não com esse volume nem com essa capacidade – 264 mil litros de café. A demanda era devido à quantidade de café produzida, para adiantar o processo de colheita e ter onde secar.

“Além da fazenda ter sua própria colhedeira, tem na região muita máquina de aluguel para colher café. O nosso gargalo estava no pós-colheita, no terreiro de café. E o Silo- Secador veio para auxiliar nisso, nos dando capacidade maior de secagem. Podemos colher maior volume por dia e evitamos o terreiro.Estamos na terceira semana de uso do equipamento, e embora ainda estejamos nos adaptando ao sistema, estamos satisfeitos com seu desempenho. O equipamento é novo, mas acredito que tem tudo para dar certo e nos entregar o que foi oferecido“, elogia o produtor.

O cafeicultor Vitor Flávio Imbriziestá satisfeito com o secador da Granfinale - FotosVitor Imbrizi
O cafeicultor Vitor Flávio Imbriziestá satisfeito com o secador da Granfinale – FotosVitor Imbrizi

Qualidade

Vitor trabalha com café cereja descascado. “Posso colocar 30 mil litros de café em um dia e no dia seguinte acrescentar mais 30 mil litros até completar o volume total ou parcial do silo, e então inicio o processo de secagem para que o resultado final seja homogêneo.No mercado existem equipamentos com a mesma função, porém, com capacidade bem abaixo do Silo-Secador Granfinale.O que nos fez optar pelo equipamento Granfinale foi a capacidade e a qualidade do produto, além do sistema de pré limpeza a seco chamado Tarara que facilita a secagem“, determina.

Ainda segundo ele, é um produto de bastante qualidade, principalmente material. “É um produto bem diferenciado dos outros que pesquisamos, de qualidade bem superior.Comparando com um secador que custa R$ 60 mil e cabe 15 mil litros de café, o Silo-Secador Granfinale sai bem mais barato, mesmo o seu valor sendo mais alto.Como o valor é maior, o investimento se paga em um prazo maior, mas para ser viável o produtor tem que ter no mínimo 150 hectares de lavoura. Para um pequeno produtor o silo não seria viável“, pondera.

Fredy Dechandt, gerente comercial, explica que a Granfinale está lançando um Silo-Secador menor, justamente para atender os cafeicultores que possuem áreas de café menores. Então, além do Silo-Secador de 250 mil litros, também disponibilizamos equipamentos de 90 mil litros“, esclarece Fredy Dechandt.

Dos 270 hectares de cafés plantados por Vitor, sua média produtiva na fazenda é de 34 sacas de café por hectare. Ele trabalha com safra zero em até 40% da área, e tem lavouras que produzem até 95 sacas por hectare, bianual, e então volta para a média de 47 sacas por hectare, puxado pelas lavouras novas.

Antes da aquisição do silo secador, o produtor fazia a secagem no terreiro e com secadores rotativos menores. Como procura fazer um café diferenciado, cereja descascado, o Silo- Secador Granfinale seca o grão, enquanto os secadores menores que ele já tinha recebem os cafés boias e verdes. “O Silo-Secador Granfinale é um produto bem diferenciado do que encontramos no mercado hoje“, finaliza.

 

Essa matéria você encontra na edição de junho de 2018 da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

 

Ou assine

Inicio Revistas Grãos Granfinale - Resultado que se vê