18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Destaques Matéria seca dita hora de colher o abacate

Matéria seca dita hora de colher o abacate

Na etapa de colheita de determinado fruto é necessário que se conheça seu ponto de maturação.

Givago Coutinho Doutor em Fruticultura e professor efetivo – Centro Universitário de Goiatuba (UniCerrado)givago_agro@hotmail.com

Abacate – Crédito: Shutterstock

O cultivo do abacateiro é estendido a quase todas as zonas tropicais e subtropicais no mundo e seus frutos têm como principal forma de utilização o consumo in natura, além de serem consumidos em outros países na forma de saladas, sopas, purês, polpa condimentada, dentre outras. Sua polpa apresenta elevado valor alimentício, além de elevados teores de gorduras, proteínas, carboidratos, vitaminas (A, B, C, D, E) e sais minerais.

Neste contexto, conhecer o ponto de maturação para colheita dos frutos é essencial na garantia de sucesso na produção e manutenção das características essenciais que garantam a boa qualidade destes.

Avaliação da matéria seca

Na etapa de colheita de determinado fruto é necessário que se conheça seu ponto de maturação. O abacate é conhecido é classificado como um fruto climatérico. Nessa classificação, frutos climatéricos são aqueles cujo amadurecimento é acompanhado por um pico na atividade respiratória, além do que, ocorre também um pico de produção de etileno, podendo coincidir ou ocorrer antes do pico na atividade respiratória.

Neste sentido, os frutos climatéricos são colhidos ainda verdes, enquanto que os frutos não-climatéricos devem ser colhidos após completarem o amadurecimento.

A maturação do abacate se completa depois que o mesmo é colhido, mas isso ocorre apenas caso os frutos tenham atingido a adequada maturação interna, que é determinada pelo teor de óleo, proteínas e carboidratos.

Ponto certo

Um dos melhores indicativos de maturidade fisiológica para determinação do ponto de colheita do abacate é a porcentagem de matéria seca, que por sua vez tem relação com o acúmulo de óleo que apresenta índices mínimos conforme o país.

Relata-se que na Califórnia é adotado como ponto mínimo de acúmulo de matéria seca de 18 a 19% para a variedade Fuerte e 19,8% para ‘Hass’, respectivamente. Já o teor de óleo do fruto adotado para a colheita no mesmo local é no mínimo de 8%. Estas variedades apresentam elevados teores de óleo nos frutos.

Outros critérios, além da porcentagem de matéria seca e teor de óleo, são a mudança de coloração, modificação da densidade do fruto, observação do envoltório da semente e tempo decorrido desde a florada, além da observação da polpa em torno da semente.

Em geral, o tempo gasto entre a formação e a maturação do fruto é variável entre as diferentes variedades, sendo que para as variedades da raça ‘Antilhana’ dura em torno de cinco a oito meses, para a ‘Guatemalense’ de 10 a 13 meses e para as da raça ‘Mexicana’ são necessários de seis a oito meses. Além disso, a colheita dentro de uma mesma variedade pode se estender por um longo período. 

Erros mais frequentes

De forma geral, o ponto de maturação fisiológica é aquele no qual o fruto está no estádio que pode ser colhido sem que haja alteração da qualidade em sua composição, ou seja, apresenta a qualidade mínima exigida pelo consumidor. Além disso, permite ser manuseado de forma adequada, tanto na colheita quanto na pós-colheita.

Neste ponto pode ser realizado o amadurecimento dos frutos por etileno. Muitos produtores realizam a colheita dos frutos neste ponto pela facilidade em poder manuseá-los. Contudo, os frutos que se encontram no ponto de maturação fisiológica ainda não apresentam características ideais indicadas para o consumo in natura ou para alguns processos de agroindustrialização.

Já o ponto de amadurecimento corresponde à última fase do processo de maturação – neste caso, o fruto já apresenta características de sabor, textura e aroma próprias ao consumo em relação ao tamanho máximo e à qualidade ideal para consumo.

Caso os frutos sejam colhidos antes que seja atingido o ponto ideal de maturação, ou seja, o ponto de maturação fisiológica, os frutos tendem a murchar e não amadurecem corretamente, tornando-se inaptos para o consumo.

Assim, observar o ponto de maturação fisiológica é essencial para colheita dos frutos, garantindo a manutenção de suas características ideais ao consumo. Vale ressaltar que o abacate não completa seu amadurecimento enquanto ligado à planta-mãe por razões fisiológicas. 

Além disso, quanto maior o tempo que o fruto permanecer ligado à planta-mãe, também menor será o período necessário ao seu completo amadurecimento após a colheita. Com relação à época do ano, esta não corresponde a um bom indicativo para se iniciar a colheita, devido às variações climáticas anuais poderem antecipar ou retardar a maturação.


Dicas úteis

Com relação à maturação na pós-colheita, produtos cujo princípio ativo liberado seja o etileno podem ser utilizados como método no processo de maturação dos frutos, podendo-se, neste caso, antecipar a maturação. Já a refrigeração pode ser utilizada para adiar a maturação e favorecer a conservação dos frutos no período pós-colheita.

Inicio Destaques Matéria seca dita hora de colher o abacate