21.6 C
Uberlândia
sábado, junho 22, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioMercadoMicrotorrefação paranaense revoluciona o mercado de cafés especiais

Microtorrefação paranaense revoluciona o mercado de cafés especiais

A Café do Moço surgiu em 2009 com o objetivo de fomentar o mercado de cafés no Brasil apostando em parcerias sustentáveis com produtores

20171205_160325Às vezes é preciso um empurrãozinho da vida para transformar o destino. E foi graças a isso que surgiu a paixão de Leo Moço pelos cafés. Toda essa história começou em 2005, quando o até então analista de sistemas decidiu jogar tudo para o alto e traçar novos planos, caindo no mundo em busca de sua nova paixão: o café. Morou durante três meses em uma fazenda produtora para entender todo o processo, do plantio à torra. Conheceu inúmeros produtores e “provou, provou, provou“, como costuma dizer.

Após pesquisar muito e adquirir experiências pelo Brasil, Léo Moço lançou, em 2005, seu primeiro empreendimento na área, implantado dentro da livraria Largo das Letras, no Rio de Janeiro, sua cidade natal. Três anos mais tarde, fundou o Cafuné, também na capital carioca. Na sequência, trabalhou como consultor e ajudou a criar a casa O Café, em Nova York (EUA). A paixão por esse mundo cresceu e em 2009 surgiu o Grupo Café do Moço, com sede em Curitiba, que hoje engloba o BaristaCoffee Bar e a microtorrefação Café do Moço, que tem revolucionado a forma de se produzir cafés especiais no Brasil.

LeoMoco_24

O projeto nasceu com o objetivo de quebrar paradigmas e tornar o café especial uma realidade no país, entregando aos clientes a melhor bebida com preços acessíveis. “Nossa missão é criar um ciclo sustentável em toda a cadeia deste universo tão rico e com muito a ser explorado“, explica Léo Moço. A torra do café é feita de forma artesanal, com os grãos selecionados pelo próprio barista diretamente com os produtores, tudo a partir de visitas e provas regulares. Todo esse trabalho resulta em bebidas bem peculiares, com características únicas e que, antes de tudo, valorizam o trabalho dos pequenos produtores.

Os grãos vêm deLeoMoco_78 diversas regiões do Paraná e de outros estados brasileiros, selecionados a partir de pesquisas realizadas pelo barista.  Cada saca recebe um carinho especial, sendo preparada com o maior cuidado possível, respeitando suas características. “Nosso processo é bem artesanal, desde o treinamento dos produtores para a produção correta até a torrefação. Hoje, nossa produção é enviada para qualquer parte do país. Os cafés são torrados semanalmente e enviados de acordo com a demanda“, explica Léo Moço.

Reconhecimento nacional

Em 2013, Léo foi consagrado como o Melhor Barista do país e ficou em segundo lugar no Campeonato Brasileiro de Preparo de Café, com um café fermentado com leveduras de cerveja. Em 2015, conquistou novamente o título de Melhor Barista com o primeiro resultado do projeto RedFoot, que apoia pequenos produtores do centro-norte do Paraná a melhorarem a produção de café.

Para mais informações sobre a microtorrefação, acesse o site www.cafedomoco.com.br.

ARTIGOS RELACIONADOS

O agronegócio diante da eleição presidencial

O PIB de 2018 chega a 1,36% e o de 2019 apresenta crescimento de 2,50%. Para a taxa de câmbio, o valor em dezembro foi de R$/US$ 3,70 e R$/US$ 3,76 para 2019. E, finalmente, a taxa Selic para estes dois anos seria de 6,50% e 8,00%, respectivamente. No geral, melhoramos os indicadores em relação a outubro de 2018, provavelmente com crescimento da confiança e anúncio inicial da equipe do presidente Bolsonaro.

Ácidos húmicos disponibilizam fósforo para as plantas

Nilva Teresinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora do Curso de Engenharia Agronômica do Centro Regional Universitário de Espírito...

Biológicos contra lagartas do morango

  Dirceu Pratissoli Doutor em Entomologia, professor e pesquisador do NUDEMAFI/CCA-UFES pratissoli@cca.ufes.br Atualmente, duas lagartas vêm provocando danos à cultura do morangueiro, sendo estes quanti e qualitativos, ambos...

Algas marinhas – Benefícios sem fim às folhosas

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!