Morango orgânico garante alta rentabilidade

0
67

Guilherme Vieira AlvesEngenheiro agrônomo, consultor em cultivo de morango, certificação orgânica e sistemas orgânicos de produçãoguilherme21@gmail.com

Maria Fernanda do PradoBióloga e produtora orgânica, responsável técnica pela produção da Quinta da Boa Vista Orgânicos – São Carlos (SP)

Ana Carolina do PradoJornalista, responsável pela comercialização da Quinta da Boa Vistaorganicosdaquinta@gmail.com

Na Quinta da Boa Vista (QBV), localizada em São Carlos (SP), o morango orgânico é um produto que garante boa rentabilidade. Apesar de atendermos supermercados e hortifrútis, o principal canal de escoamento do nosso morango é diretamente ao consumidor, em feiras e no delivery.

É uma cadeia de comercialização curta, sem atravessadores e sem tempo de prateleira, o que favorece um preço acessível ao consumidor, boa margem de lucratividade, ao mesmo tempo em que garante qualidade e frescor dos produtos aos clientes.

O morango orgânico é um produto bastante atrativo e aceito pelo público, o que facilita sua comercialização. No entanto, apenas isso não é suficiente.

Para garantir alta rentabilidade, é preciso investir em:

1. Planejamento de instalação da cultura, incluindo desenho adequado dos canteiros, definição do espaçamento entre plantas, origem das mudas, preparo do solo, plantio correto, etc.;

2. Tratos culturais (limpezas periódicas, monitoramento, adubações e pulverizações) para obter boa produtividade ao longo da janela de produção;

3. Adequada quantificação da mão de obra, visto que é uma cultura exigente nesse aspecto, principalmente durante a colheita;

4. Mapeamento do contexto e desenvolvimento de rede de comercialização adequada aos objetivos e perfil do produtor

Manejo do plantio à colheita

O cultivo da Quinta da Boa Vista vem sendo conduzido a campo aberto. Não consideramos que exista uma técnica em específico a ser destacada, mas sim um conjunto, entre elas a rotação de culturas, a construção de canteiros elevados e a adubação equilibrada, com base em análise de solo.

O manejo adotado está se mostrando capaz de dar condições para a expressão do potencial genético e fisiológico das plantas. A QBV está localizada em região relativamente quente, e mesmo assim, aspectos importantes de qualidade no pós-colheita (cor, aroma, firmeza, sabor) vêm sendo observados, garantindo a fidelização do consumidor local. Colhemos, até o momento, 750 g/planta, entre fruta fresca e congelada, e esperamos chegar a 1,0 kg/planta.

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.