18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Novidades abrem a programação do 10º Congresso Brasileiro do Algodão

Novidades abrem a programação do 10º Congresso Brasileiro do Algodão

Algodão - Crédito Amipa
Algodão – Crédito Amipa

 

O 10º Congresso Brasileiro do Algodão, será promovido de 1º a 04 de setembro, em Foz do Iguaçu e deverá reunir cerca de 1.200 participantes

 

Com uma programação que inclui desde plenárias sobre o mercado mundial de algodão e tendências econômicas até mesas redondas para discussão de temas de interesse pontual do setor, o 10º Congresso Brasileiro do Algodão, que será promovido de 1º a 04 de setembro, em Foz do Iguaçu (PR), terá início com a realização simultânea de cinco minicursos, no período das 14h às 18h.

Destinados a gerentes, administradores, engenheiros agrônomos e agrícolas e a consultores, os minicursos abordam assuntos bem específicos da prática do dia a dia do produtor de algodão, como controle biológico de pragas; manejo de áreas infestadas por nematoides; planejamento e manejo de lavouras transgênicas nos sistemas de produção e fatores que afetam a qualidade das fibras do algodão.

Os interessados em participar devem optar pelo minicurso, de preferência no ato da inscrição, pois as vagas são limitadas.

Temas

Cada minicurso tem um coordenador e entre três a quatro especialistas que apresentarão aspectos diversos do tema central. Todos os profissionais foram selecionados pela Comissão Científica do congresso, que é coordenada pelo pesquisador da Embrapa Algodão, Eleusio Freire, engenheiro agrônomo, mestre em Agronomia e doutor em Genética e Melhoramento de Plantas.

Promovido pela Abrapa ” Associação Brasileira dos Produtores de Algodão, o 10º CBA tem como tema “Qualidade, Caminho para a Competitividade“ e deverá reunir cerca de 1.200 participantes, entre produtores, pesquisadores, agrônomos, consultores, fornecedores de máquinas, implementos e serviços e demais profissionais do agronegócio.

Plenárias

“Panorama político e econômico do Brasil“ e “Algodão Brasileiro e mundial: mercado, perspectivas e marketing“ são os temas das duas primeiras plenárias.A primeira plenária tem como palestrante Ricardo Amorim, presidente da Ricam Consultoria Empresarial. Em sua palestra, ele apresentará aos congressistas o panorama político e econômico brasileiro em comparação com o cenário mundial, traçando as perspectivas futuras para as economias do Brasil e do mundo.

Já a segunda plenária e que tem como tema “Algodão Brasileiro e mundial: mercado, perspectivas e marketing“, terá uma dinâmica diferente. Ela será aberta com uma palestra de José Sette, diretor executivo do ICAC – Internacional CottonAdvisoryCommitee. Na sequência, haverá um amplo debate, que terá como mediador o jornalista William Waak, da Rede Globo, e contará com a participação de cinco debatedores, que terão 10 minutos para expor seus respectivos assuntos.

A equipe de debatedores é integrada por: João Carlos Jacobsen Rodrigues, presidente da Abrapa, que apresentará as demandas dos produtores para expansão da produção brasileira de algodão; Antonio Esteves, da ANEA ” Associação Nacional dos Exportadores de Algodão, que fará uma exposição sobre o aumento das exportações como estimulador da produção interna; Rafael Cervone, presidente da ABIT ” Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção, que irá abordar a competitividade da indústria têxtil brasileira; André Nassar, secretário de Políticas Agrícolas, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que falará sobre as políticas públicas de apoio a cotonicultura, e Fabiana Ferreira Alves, diretora do Rural Banking (Rabobank), que discorrerá sobre os fatores que otimizam a oferta de crédito para produção de algodão.

Mesas-redondas

A programação do Congresso contará com a realização de 12 mesas-redondas que tratarão dos diversos aspectos, tecnologias e tendências da cotonicultura brasileira.

No primeiro bloco de mesas-redondas, serão abordados os seguintes temas: manejo de lepidópteros e mosca-branca nos sistemas produtivos do cerrado; sistemas de produção do algodão com menor risco: situação atual e perspectivas; novos cultivares de algodão; refúgio como estratégia na utilização de cultivares transgênicas – situação atual e perspectivas; avaliação de métodos e fungicidas para controle de ramulária e mofo branco no algodoeiro, e sensoriamento remoto e manejo da cultura do algodão e dos recursos naturais.

No segundo bloco, os temas das mesas-redondas serão: análises das safras 2013/14 e 2014/2015: produtividade, custos, qualidade e rentabilidade; avaliação de diferentes métodos de destruição de restos culturais para variedades transgênicas e convencionais; biotecnologias no algodoeiro: eficiência, custos, problemas e perspectivas; tecnologias e normas para pulverização aérea;manejo de plantas daninhas de difícil controle e tigueras, no algodão transgênico, e situação atual e caminhos possíveis para o manejo de resistência de pragas-alvo tecnologia BT na cultura do Algodão no Brasil – experiência do IRAC e da Embrapa.

Todas as mesas-redondas contam com dois a seis palestrantes cada, todos especialistas nos setores, incluindo pesquisadores, produtores e executivos. Os interessados em participar devem optar pela mesa-redonda de interesse no ato da inscrição, pois as vagas são limitadas.

O evento será realizado no centro de convenções do resort Recanto das Cataratas. Inscrições e mais informações no site: http://www.congressodoalgodao.com.br

Essa matéria você encontra na edição de julho da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar.

Inicio Revistas Grãos Novidades abrem a programação do 10º Congresso Brasileiro do Algodão