Novo avanço de molécula herbicida na safra de milho verão 2022-23

0
213
José de Freitas, engenheiro agrônomo/Divulgação

Os planos da companhia de origem ítalo-japonesa Sipcam Nichino Brasil para a safra 2022-23 consideram um novo avanço de mercado para o herbicida de marca Click®. Essa solução à base da molécula Terbutilazina, desenvolvida na Europa e trazida pela empresa ao País há cerca de dois anos, recebeu avaliações favoráveis de parte de produtores e órgãos de pesquisas nas últimas safras de milho verão e também na safrinha, segundo informa o engenheiro agrônomo José de Freitas, da área de desenvolvimento de mercado.

“Click® superou resultados de tratamentos-padrão consolidados no campo. Demostrou eficácia e entregou diferenciais ao produtor ante plantas daninhas de difícil controle que desafiam o produtor durante toda a safra”, salienta Freitas.

Segundo o agrônomo, avaliações da Fundação Rio Verde, por exemplo, respaldaram a aplicação da Terbutilazina associada ao Glifosato e ao óleo mineral, uma prática que transferiu eficácia de 94% a 100%, na pós-emergência das invasoras trapoeraba (Commelina benghalensis), vassourinha-de-botão (Spermacoce verticillata), erva-de-santa-luzia (Euphorbia hirta), capim-pé-de-galinha (Eleusine indica) e soja-tiguera (Glycine max).

“Nos campos montados na região de Lucas do Rio Verde (MT), a produtividade média bateu em 134,6 sacas por hectare, índice 13% superior ao obtido nos tratamentos-padrão comparados”, acrescenta Freitas. “Trata-se de ganho médio de 1,2 saca por hectare. Observamos que devido à atividade pré-emergente, Click® teve excelente efeito residual, com controle de novos fluxos de capim-pé-de-galinha, fator que entrega ao produtor uma lavoura mais limpa.”

Já no Paraná, diz Freitas, o herbicida Click® mostrou efetividade no controle da trapoeraba, (Commelina benghalensis). Segundo ele, pesquisadores da Supra Pesquisas/Universidade Federal do Paraná (UFPR) observaram que o controle dessa erva de manejo relevante para a agricultura do estado chegou perto de 99%.

Conforme Freitas, no Paraná, Mato Grosso e em São Paulo, vários experimentos e áreas comerciais de milho-safra e milho-safrinha reforçaram os benefícios da atividade pré-emergente e o efeito residual da Terbutilazina, “que auxiliou de maneira representativa no controle de novos fluxos das plantas daninhas buva, poaia-branca e pé-de-galinha, além de trazer melhor supressão de capim-amargoso”. Nessas regiões, aponta Freitas, o herbicida também contribuiu para uma área mais limpa após a colheita. “O herbicida mais aplicado no tratamento-padrão, com a atrazina, utilizado nessa região, igualou as marcas da Terbutilzazina, mas fora então aplicado a doses maiores e em alguns casos na dose dobrada”, conclui José de Freitas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!