16.6 C
Uberlândia
terça-feira, maio 28, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasORPLANA busca fortalecer protagonismo dos produtores de cana

ORPLANA busca fortalecer protagonismo dos produtores de cana

Repasse de CBios e melhora na precificação da cana são algumas demandas em andamento; Cana Summit será realizado nos dias 10 e 11 de abril.

Canavial

A ORPLANA – Organização das Associações de Produtores de Cana-de-Açúcar do Brasil tem buscado, nos últimos anos, mais destaque e protagonismo para seus mais de 12 mil produtores. O trabalho desenvolvido pela maior representante de canavicultores do Brasil e do mundo – 33 associações integrantes em seis estados brasileiros – é para que a classe ganhe cada vez mais espaço e lugar de fala, sendo inserida nas políticas públicas e nas discussões econômicas governamentais e de órgãos do setor.

Dentro desse propósito, a ORPLANA promove o Cana Summit nos dias 10 e 11 de abril, em Brasília/DF, com fóruns e painéis sobre as temáticas sucroenergéticas e o potencial dos produtores de cana do Brasil.
 

“Há diversas leis em que o produtor de cana-de-açúcar não está inserido. Precisamos mudar esse cenário. O nosso desafio há mais de uma década é conseguir essa inserção do produtor de cana, mostrar sua importância e o Cana Summit tem esse papel”, explica o CEO da ORPLANA, José Guilherme Nogueira.
 

Entre os desafios da ORPLANA está a busca junto à indústria e governo de um acordo viável para o repasse financeiro dos CBIOs (Créditos de Descarbonização), dentro do programa RenovaBio (Política Nacional de Biocombustíveis). Outra reivindicação antiga diz respeito à melhora na precificação da cana por parte do Consecana (Conselho de Produtores de Cana-de-Açúcar, Açúcar e Etanol do Estado de São Paulo), já que o valor pago atualmente – menos que US$ 35 por tonelada – fica aquém dos custos de produção e aparece na retaguarda da tabela mundial.
 

“Queremos dar voz para os produtores de cana e fazer que seus anseios sejam ouvidos. Sobre o repasse de CBIOs, o valor repassado é inviável, já que fica abaixo do esperado pelos produtores. Ocorre ainda que nem todas as usinas repassam os valores devidos, além de utilizar os dados dos mesmos para a captura de créditos”, reforça o executivo.
 

Em relação ao impasse com o Consecana, acordo firmado em outubro do ano passado prevê a revisão dos parâmetros técnicos e econômicos e apresentação de um novo valor até 30 de junho de 2024, com a aplicação de ajustes, se necessário, ainda na safra 2024/2025.
 

“São vários os projetos e políticas públicas em que buscamos um alento ao produtor. E estar em Brasília com um evento de grande porte é uma forma de fincar a bandeira e mostrar que a classe tem força, está unida e empenhada em alcançar seus objetivos”, conclui Nogueira.

ARTIGOS RELACIONADOS

Nova cultivar de soja é ideal para regiões frias

Autores Luís Paulo Benetti Mantoan - Doutor em Ciências Biológicas/Botânica - UNESP, Botucatu (SP) - luismantoan@gmail.com Carla Verônica Corrêa - Doutora em Engenharia Agronômica - UNESP,...

Funcafé ultrapassa R$ 3,5 bilhões em liberações para o setor cafeeiro

O volume representa 61% da programação inicial de R$ 5,7 bilhões da safra 2020/2021

Maior incidência de pragas eleva área tratada

A maior safra de grãos da história será colhida em 2021: a produção deve superar 269 milhões de toneladas (+4,3% sobre a anterior), mesmo em meio aos desafios impostos pela pandemia da Covid-19.

Rastreabilidade dos alimentos proporciona retorno ao produtor

Num momento em que a segurança dos alimentos ganha ainda mais relevância, a rastreabilidade se fortalece como um processo eficiente para os agricultores cumprirem com a legislação vigente, levando informações precisas aos consumidores, além de otimiza o controle da produção

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!