23.3 C
São Paulo
terça-feira, julho 5, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Pesquisadores preparam dez novos cultivares de maracujá

Pesquisadores preparam dez novos cultivares de maracujá

Fábio Gelape Faleiro

Pesquisador em Genética e Biotecnologia – Embrapa Cerrados

fabio.faleiro@embrapa.br

 Pesquisadores preparam dez novos cultivares de maracujá
Pesquisadores preparam dez novos cultivares de maracujá

Muitos produtores de maracujá ainda têm o hábito não recomendado de fazer suas mudas de maracujá utilizando sementes obtidas em pomares anteriores, ou seja, não utilizam sementes registradas de cultivares melhorados geneticamente. Esse hábito é uma das causas da baixa produtividade média do maracujá obtidas por produtores no Brasil.

No Ministério da Agricultura existem vários cultivares registrados, entre eles a BRS Gigante Amarelo, BRS Rubi do Cerrado, BRS Sol do Cerrado, FB 200, FB 100, IAC 273, IAC 275.

O trabalho de melhoramento genético busca cultivares com alta produtividade, qualidade física e química dos frutos, resistência a doenças, entre outras características de interesse. Dependendo da região do Brasil e do sistema de produção, alguns cultivares podem ter melhor desempenho agronômico que outros. É importante que os produtores possam testar esses cultivares em suas condições de cultivo.

Aceitação de mercado

No caso do maracujazeiro azedo, cultivares com frutos maiores e maior rendimento de polpa (maior quantidade de polpa em relação ao peso total do fruto) tem maior aceitação no mercado de fruta fresca. No caso da indústria, frutos com maior rendimento de polpa e maior quantidade de sólidos solúveis (ºBrix) tem maior aceitação.

No caso do maracujazeiro azedo, o mercado prefere frutos grandes, bonitos e com alto rendimento de polpa, que são preferidos pelo consumidor. Existem cultivares de maracujazeiro doces e silvestres que estão conquistando os consumidores nos últimos anos.

Neste caso, o aroma e o sabor da polpa são determinantes, assim como a presença de substâncias funcionais como flavonoides e carotenoides, que são benéficas para a saúde.

BRS Rubi do Cerrado - Créditos Divulgação Embrapa Cerrados
BRS Rubi do Cerrado – Créditos Divulgação Embrapa Cerrados

Lançamentos Embrapa

Além de novas cultivares de maracujazeiro azedo, a Embrapa e parceiros estão preparando cultivares de maracujazeiros silvestres, doces e ornamentais para serem lançados nos próximos anos.

Existe um planejamento para o lançamento de aproximadamente 10 novos cultivares nos próximos cinco anos. Dos 10 cultivares a serem lançados nos próximos anos, dois apresentam características de plantas ornamentais (flores rosas e azuis), dois são de maracujazeiros doces (consumo direto da polpa), dois para porta-enxerto (cultivares utilizados para produção de mudas enxertadas com resistência à fusariose), três de maracujazeiros silvestres e um de maracujazeiro azedo.

Vantagens dos híbridos silvestres

Estes híbridos silvestres têm sido produzidos dentro do programa de melhoramento genético do maracujá visando ao desenvolvimento de novos cultivares de maracujazeiro azedo, doce, ornamental, silvestre e para porta-enxertos.

A vantagem desses híbridos é combinar características de interesse, como alta produtividade, resistência a doenças e ótimas características físicas e químicas de frutos.

Uma logística para a produção e comercialização das mudas também é necessária. Na Europa uma muda chega a custar mais de R$ 100,00 e um vaso estruturado para Passifloras mais de R$ 400,00, mostrando que vale a pena investir nesses materiais.

Essa matéria você encontra na edição de abril da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua.

 

Inicio Revistas Hortifrúti Pesquisadores preparam dez novos cultivares de maracujá