Plantas recebem um estímulo a mais

0
65
Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Àmedida que nossa agricultura torna-se mais madura e intensiva, maior é o uso de produtos sofisticados, que fazem o ajuste fino do manejo produtivo da lavoura

 

Um dos exemplos dos insumos “melhoradores de produção“ são os bioestimulantes e os biorreguladores. Países cujas áreas de plantio há muitos anos não se expandem, e tradicionalmente se dedicam à culturas muito intensivas e de alto valor, como Chile, Espanha, Italia e Alemanha, usam largamente esse tipo de produto.

O biorregulador é uma classe de produtos que trabalha com o estímulo das plantas. Diversas famílias de produtos podem ser chamadas comumente de biorreguladores, como os reguladores vegetais, cuja definição correta é a de produtos com base em hormônios sintéticos que atuam no crescimento e desenvolvimento das plantas. São tanto compostos de estímulos, como os reguladores de crescimento, maturadores de frutos ou inibidores de maturação, sendo todos classificados como defensivos pela legislação (popularmente chamados de agroquímicos ou agrotóxicos).

O termo mais usado no mercado, que engloba uma família mais abrangente de produtos, é o bioestimulante. Marcelo Rolim, gerente de bioestimulantes e nutrição da Adama, explica que essa é a denominação mais comum de uma classe de produtos que são os fertilizantes foliares que têm efeito sobre o metabolismo das plantas, atuando em outros fatores, além do nutricional.

Atuação

Cada fornecedor desenvolve o bioestimulante com um composto, ou uma combinação de compostos, que têm ação específica dentro da planta. A escolha de sua composição vai resultar em formas distintas de atuação, em tipos diferentes de efeitos, ou mesmo na abrangência do que ele consegue fazer na planta.

Alguns bioestimulantes fornecem compostos que são essenciais para o crescimento dos tecidos das plantas, auxiliando em épocas que são mais decisivas para o seu desenvolvimento. Outros trabalham com o estímulo fisiológico, induzindo respostas de forma semelhante aos estimulantes sintéticos, como os hormônios vegetais.

Plantas menos estressadas

A soja poderia chegar a 300 sc/ha, caso todas as flores virassem grãos - Crédito Luize Hess
A soja poderia chegar a 300 sc/ha, caso todas as flores virassem grãos – Crédito Luize Hess

As plantas sofrem vários tipos de estresse. A produtividade média de soja no Brasil gira ao redor das 51 sc/ha, mas trabalhos de potencial teórico indicam que a soja poderia chegar a 300 sc/ha, caso todas as flores dos cultivares mais produtivos virassem grãos.

“Logicamente, um pé de soja não tem estrutura física e metabólica para manter uma carga produtiva como essa, mas sabemos que os concursos de produtividade, como os realizados pelo CESB, no Brasil, têm conseguido produtividades superiores a 110 sc/ha, em condições de campo. Existe um grande potencial para os agricultores evoluírem, e umas das ferramentas existentes são os bioestimulantes, que vão ajudar as lavouras a expressar seu potencial genético“, declara Marcelo Rolim.

Lavouras de alta produtividade são como atletas profissionais de uma olimpíada, que para terem um bom resultado final precisam de alta performance em todos os quesitos e todos os pontos de uma competição.

Porteira adentro

  • Ademir Pavelegine
    Ademir Pavelegine

    Produtor: Ademir Pavelegini

Município: Mangueirinha (PR)

Cultura: soja

O ExpertGrow foi comparado com outros produtos similares do mercado. Constatei, no final, com a colheita do talhão em que estava posicionado o ExpertGrow, que o produto obteve um rendimento superior, em média, de 3,0 sc/ha a mais. Percebi nitidamente que os grãos passaram a ter uma coloração e aspecto mais saudáveis, maior maturação e coloração da planta. A planta se manteve mais tempo verde“.

  • Ricardo Belle
    Ricardo Belle

    Produtor: Ricardo Bellé ” gerente da fazenda Daniela Cristina

Município: Campo Verde (MT)

Cultura: milho

“O tratamento com ExpertGrow, em relação à testemunha, foi superior em produtividade. A equipe da Adama deu um ótimo suporte na fazenda, acompanhando a área tratada durante a safra“.

  • Helton Campos
    Helton Campos

    Produtor: Helton Juliano A. Campos ” Fazenda São Francisco

Município: Campo Verde (MT)

Cultura: algodão

“Gostei muito do produto e pude perceber que é muito eficiente. Estimula a planta, apresentado um maior pegamento de flores, e assim apresenta um maior número de maçãs, consequentemente uma maior carga de pluma”.

  • Amilton Baggio
    Amilton Baggio

    Produtor: Amilton A. Baggio

Município: Sorriso (MT)

Cultura: soja

“Percebi no visual da soja um vigor mais acentuado das plantas e verificamos um acréscimo de 12% de vagens na área ExpertGrow em relação à testemunha“.

 

Essa matéria completa você encontra na edição de Novembro da revista Campo & Negócios Grãos. Clique aqui para adquirir já a sua.