Inicio Revistas Hortifrúti Quais os benefícios dos aminoácidos em repolho?

Quais os benefícios dos aminoácidos em repolho?

0
561

Autores

Jorge Jacob Neto
Professor titular e Ph.D. – Departamento de Fitotecnia – Instituto de Agronomia – Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
j.jacob@globo.com
Joice de Jesus Lemos
Engenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia
joicelemosufrrj@hotmail.com
Fotos: Shutterstock

O repolho (Brassica oleracea var. capitata) é uma hortaliça herbácea, com folhas arredondadas e cerosas, formando uma cabeça compacta. Esta planta é originalmente de clima mais ameno, entretanto, ao longo do tempo, com o trabalho de melhoramento vegetal, foram obtidas cultivares adaptadas a temperaturas elevadas, possibilitando o plantio e a colheita em diferentes épocas e regiões do País.

O repolho pertence à família das brássicas, a mesma de outros vegetais, como o brócolis e a couve-flor, e possui grande importância econômica, por ser consumido por grande parte da população mundial. O repolho é a brássica mais consumida no Brasil, apresentando um alto valor nutricional, com elevadas concentrações de cálcio, fósforo, proteínas, vitamina A e C.

Exigência nutricional

Esta hortaliça possui elevada necessidade de nutrientes, principalmente nitrogênio e potássio, sendo necessário realizar adubação, visto ser uma das hortaliças mais extratoras de nutrientes do solo.

Recomenda-se aplicar nitrogênio e potássio, fornecidos aos 30 e 60 dias, elementos que aceleram o desenvolvimento normal da cabeça, principalmente quando associado a esterco orgânico. A adubação com nitrogênio tende a aumentar a produção e otimiza a qualidade de repolho.

Por outro lado, doses reduzidas de nitrogênio podem resultar em baixa produtividade e em plantas de cabeças menores. Como acontece com outras plantas, doses elevadas de nitrogênio podem favorecer o crescimento excessivo das folhas.

O nitrogênio mineral, após ser absorvido e assimilado, participa de várias ações metabólicas, como a formação de aminoácidos e proteínas. A relação direta entre a concentração de nitrogênio na planta e a função fisiológica dos aminoácidos ainda não é bem entendida. Isto acontece provavelmente devido ao fator quantitativo, ou seja, a planta necessita de doses maiores de nitrogênio, muito superiores às que os aminoácidos poderiam fornecer.

Entretanto, pode ser especulado que um dos efeitos da entrada de aminoácidos nas células da planta poderia ser o fornecimento do nitrogênio contido em suas moléculas em subdoses, aumentando o rendimento.

É consenso que, além da adubação orgânica, a fertilização com nutrientes minerais deve atender os princípios da nutrição equilibrada das plantas.

Os aminoácidos

A utilização de aminoácidos na agricultura é mais eficiente quando sua aplicação é realizada diretamente na planta via foliar ou nas sementes. A aplicação pode ser associada à adição foliar de micronutrientes, macronutrientes e inseticidas/fungicidas nas culturas.

Entre as principais funções dos aminoácidos, podem ser citados: síntese de proteínas, formação de compostos intermediários dos hormônios vegetais endógenos e efeito complexante em nutrientes. Essas ações lhe fazem ser considerados compostos antiestressantes. Na literatura científica, resultados positivos da aplicação de aminoácidos têm sido encontrados em culturas anuais, como milho, feijão, soja e trigo, plantas perenes e em olerícolas.

Os reguladores de crescimento ou biorreguladores são substâncias que, quando aplicadas na planta, produzem efeito similar aos hormônios naturais, e geralmente contêm aminoácidos. Nos últimos anos têm sido encontrados inúmeros resultados de pesquisa mostrando efeitos positivos da aplicação de produtos comerciais contendo biorreguladores, aumentando o enraizamento, provocando quebra de dormência e até mesmo aumento da produtividade.

Em repolho

São escassos os trabalhos sobre o efeito da aplicação de aminoácidos em repolho. Recentemente, entretanto, foi mostrado que a aplicação de citocinina (90 mg/L), auxina (50 mg/L) e giberelina (50 mg/L), conjuntamente, produziram efeito em vários parâmetros fisiológicos e morfológicos das plantas. Os autores mostraram que a aplicação de cinco diferentes doses do produto contendo os aminoácidos citados produziram efeitos benéficos à planta de repolho.

Neste trabalho foram realizadas cinco aplicações do produto ao longo do ciclo a partir das plantas com sete a oito folhas. Observou-se que existe uma correlação linear das doses utilizadas do regulador de crescimento com a produção fotossintética, peso fresco da cabeça do repolho, diâmetro da cabeça vertical e horizontal, folhas comerciais e firmeza.

Entretanto, a concentração celular de CO2 diminuiu linearmente, de acordo com o aumento das doses do produto. Para o peso fresco da cabeça do repolho, plantas pulverizadas com 200 mL da mistura de reguladores de crescimento contendo aminoácidos chegaram a atingir 3,46 kg, valor que corresponde a 21,7% a mais do que o tratamento sem aplicação do produto.

Atuação

Os aminoácidos atuam no metabolismo primário e secundário das plantas, tendo em vista que esses são essenciais para a formação e composição das proteínas vegetais e suas funções específicas não só em repolho, mas também em outras plantas.

A glicina, por exemplo, atua na formação de clorofila nas plantas; a prolina na fertilidade dos grãos de pólen e firmeza das paredes celulares. Outros aminoácidos, como o ácido-glutâmico, auxiliam no desenvolvimento dos meristemas das plantas e na frutificação.

 A asparagina e o glutamato são ligados à conexão entre o ciclo do carbono e do nitrogênio, o que influencia diretamente na síntese de carboidratos, açúcares e proteínas nas plantas. Existem relatos de que o uso de aminoácidos pode até auxiliar no controle de doenças de repolho e também na redução da população de insetos, como a mosca-branca.

Opções

Como mencionado em outros artigos publicados pelos autores deste trabalho, nos últimos anos os estudos com o uso de aminoácidos têm crescido, e há frequentes relatos de aumento da produtividade das culturas. São encontrados hoje no mercado novos produtos elaborados pelas empresas com formulações diferentes de aminoácidos, associados ou não a reguladores de crescimento sintéticos ou orgânicos.

Os custos da lavoura ainda são difíceis de serem previstos devido aos diferentes graus de tecnologias agrícolas que podem ser utilizadas para a cultura do repolho. O custo final, portanto, dependerá do número de aplicações e da produtividade esperada. Existem poucos relatos de fitotoxicidade para a planta quando se utiliza produtos com aminoácidos, e quando encontrados são geralmente associados ao adjuvante.

Existem relatos de que o uso de aminoácidos pode até auxiliar no controle de doenças de repolho e também na redução da população de insetos, como a mosca-branca.

SEM COMENTÁRIO