29.4 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesRazão estoque/uso de café suaves e os impactos

Razão estoque/uso de café suaves e os impactos

Confira os impactos sobre diferenciais e a razão do estoque pelo uso.

As cotações do café em NY estavam em faixa de consolidação, com suporte em 170 c/lb. Porém, com dois grandes riscos baixistas: a incerteza gerada pós-quebra do SVB e a flutuação entre sentimento de aversão e apetite ao risco, em conjunto à pressão de venda dos produtores brasileiros em antecipação à colheita 23/24.

Com taxas de comercialização historicamente baixas para a safra 22/23, os estoques viraram um ponto baixista para o mercado, principalmente às vésperas da colheita de 23/24 — safra não recorde, de forma alguma, mas com maior produção de arábica quando comparado ao último ciclo. Além disso, a média móvel (MM) de 7 dias ficou abaixo da MM de 14 dias e os preços se estabeleceram abaixo da MM de 100 dias, o que contribuiu para a pressão de baixa.

Os diferenciais na Colômbia e em Honduras também foram pressionados esta semana, chegando a 46 c/lb e 22 c/lb, respectivamente — enquanto outras qualidades atingiram níveis ainda mais baixos de diferenciais nas duas origens.
 

Para contextualizar: no ciclo 22/23, a produção global de suaves caiu novamente, com problemas climáticos e de desinvestimento impulsionando essa queda. Para 23/24, há potencial de crescimento, embora ainda abaixo do recorde de 18/19. Consequentemente, a relação E/U aumenta apenas 1 ponto percentual.
 

Os produtores têm estado de fato à margem de forma geral, esperando uma resposta em NY, o que impactou diretamente nos números das exportações para a maioria das origens. As exportações da Colômbia caíram 15% no ano, e as de Honduras, 10%. Portanto, há um impacto da oferta limitada, de fato, mas os produtores à margem e o menor interesse por esses cafés também estão desempenhando um papel na dinâmica dos suaves.
 

Para os próximos meses, o desenvolvimento da safra 23/24 estará em andamento nessas origens. Até agora, a Colômbia esteve sob a influência do La Niña: chuvas consistentemente altas. O mesmo pode ser dito de Honduras. Apesar dos problemas que as chuvas trouxeram para o ciclo 22/23, esses níveis de chuva são atualmente positivos para a produção, pois serão necessários sob um El Niño ativo — que traz clima mais seco, especialmente na América Central.

ARTIGOS RELACIONADOS

Seminário do café – Bons negócios e conhecimento para qualidade e produtividade

  Com a proposta de fortalecer o conhecimento e estimular os negócios, o evento foi realizado nos dias 02, 03 e 04 de outubro em...

Novo modelo distribuidor de adubo orgânico garante maior economia para o produtor

Equipamento foi desenvolvido pela Piccin Implementos Agrícolas e confere inúmeros benefícios Aumentar a produtividade é o objetivo de grande parte dos produtores em todo o...

Fosfito reduz o pH da calda de pulverização do cafeeiro

Wesley Devair Bittencourt Machini Engenheiro agrônomo da AgroBR Consultoria Agrícola wdevair@hotmail.com   O uso do fosfito na lavoura de café reduz o pH da água/calda de pulverização,item de...

Estados Unidos adquirem 20% dos Cafés do Brasil

Total de café brasileiro vendido ao exterior atingiu 33,27 milhões de sacas com receita cambial de US$ 4,81 bilhões no período de janeiro a outubro de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!