21.3 C
Uberlândia
domingo, julho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesSafra de soja: como otimizar insumos na dessecação pré semeadura?

Safra de soja: como otimizar insumos na dessecação pré semeadura?

Divulgação

Capim amargoso, capim pé de galinha, buva, são algumas das principais plantas daninhas que preocupam o agricultor para a safra 2022/23. Com planejamento, manejo adequado de dessecação antes da semeadura e o uso de ferramentas digitais, como xarvio®, é possível fazer o controle destas invasoras e evitar perdas de produtividade nas lavouras de soja.

Nos últimos cinco anos, a solução de Mapeamento Digital Inteligente — que engloba o Mapeamento Digital de Plantas Daninhas –, já mapeou mais de 800 mil hectares, totalizando 5,6 milhões de fotos coletadas. Os mapas customizados, gerados a partir das imagens captadas pelos drones, permitem que a aplicação de herbicidas e outros defensivos seja realizada somente onde é necessário. Os mapas gerados são transferidos para o pulverizador, o que possibilita otimizar recursos e ter mais eficiência em toda a operação no campo.

“As soluções digitais contribuem para a tomada da decisão certa, no momento mais adequado para cada cultivo. São serviços que vêm para facilitar e otimizar o trabalho do agricultor, podendo aumentar a rentabilidade por talhão e apoiar ainda mais nas práticas sustentáveis. Nas áreas mapeadas com a solução da BASF, a otimização de insumos no manejo de plantas daninhas foi de 62% em média”, reforça Lucas Marcolin, gerente Comercial do xarvio® Digital Farming Solutions.

Na cultura da soja, o desenvolvimento da planta é diretamente afetado pela redução de recursos como água, luz e nutrientes causados pela matocompetição. A presença de plantas daninhas pode afetar a produtividade e causar perdas de até 15% da produção mundial de grãos de acordo com a Embrapa.

No Centro-oeste, o início do plantio da soja ocorre entre setembro e outubro. “Estamos no período ideal para realizar o manejo de dessecação pré-plantio. Sabemos que vai depender muito do planejamento de cada agricultor. De uma maneira geral, a primeira dessecação ocorre de vinte a trinta dias antes do plantio, com o uso de um herbicida de amplo expectro e, após, aplicações sequenciais pensando nas daninhas de difícil controle“, explica Alan Castro, coordenador técnico de produtos digitais do xarvio® Digital Farming Solutions.

Alan ainda explica que a presença de plantas invasoras resistentes gera preocupação ao setor produtivo.“O fato de termos cada vez mais resistência, e a agressividade e rapidez de infestação destas plantas daninhas, faz com que seja mais que necessário ter em mãos dados precisos de onde, como e quando aplicar. E o Mapeamento Digital de Plantas Daninhas do xarvio® FIELD MANAGER tem papel importante nesse contexto, porque contribui para preservar a eficiência das moléculas dos produtos e controlar o rebrote das invasoras.“

O agricultor Egon Hoepers Junior, de Santa Rita do Trivelato (MT), comenta que está muito satisfeito com a solução. “De todas as tecnologias que temos no mercado, eu vejo que essa é uma que está alinhada ao futuro, pois é a única que você vê o dinheiro sendo economizado. Com as outras, você vai saber só no futuro se deu alguma economia. Com o xarvio® eu vejo na hora. Consigo ver o que é cultura e o que é planta daninha, e tomar a decisão“, explica.

ARTIGOS RELACIONADOS

Rhizobium e Azospirillum: coinoculação na soja com bactérias

Gisele da Silva Bernardo Melo Montes Nogueira Borges Engenheiros agrônomos - Brasilquímica A soja, uma cultura amplamente cultivada, demanda uma quantidade significante de nitrogênio para...

Integração de atividades beneficia toda a cadeia

  Edemar Moro Doutor, especialista em ILP e professor da Universidade do Oeste Paulista (Unoeste) edemar@unoeste.br A ILPF é o sistema dos sistemas, ou seja, permite trabalhar...

Congresso Andav 2022 reúne 8 mil participantes

A retomada da edição presencial do Congresso Andav 2022 mostrou a pujança do agronegócio brasileiro.

Programa ABR tem primeiras fazendas certificadas na safra 20212022

Trinta e duas fazendas localizadas na Bahia e oito em Goiás estão entre as primeiras propriedades certificadas na safra 2021\2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!