19.9 C
Uberlândia
segunda-feira, abril 15, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasTrabalho sobre impactos ambientais no solo é premiado pela Sociedade Brasileira de...

Trabalho sobre impactos ambientais no solo é premiado pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo

Projeto laureado auxilia na obtenção de informações para fins de avaliações do risco de poluição e de estratégias de remediações com baixo custo-benefício

Antes de aplicar o calcário é importante fazer a análise do solo - Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

Foi durante a 20ª Reunião Brasileira de Manejo e Conservação do Solo da Água, realizada entre 20 e 24 de novembro, em Foz do Iguaçu (PR), que um trabalho realizado na Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz“ (USP/ESALQ), em parceria com a Unesp Jaboticabal, recebeu o prêmio de melhor trabalho científico da Comissão de Poluição, Remediação do Solo e Recuperação de Áreas Degradadas. O evento foi organizado pela Sociedade Brasileira de Ciência do Solo.

 

Intitulado “Predição de Cu, Zn e Pb utilizando espectroscopia de reflectância difusa”, o estudo desenvolvido no Laboratório de Química do Solo (LQS), do Departamento de Ciência do Solo (LSO) da ESALQ, tem como autores o professor Luís Reynaldo Ferraciú Alleoni, do LSO, e dos pesquisadores Livia Arantes Camargo, José Marques Júnior e Gener Tadeu Pereira, da Unesp Jaboticabal.

De acordo com Alleoni, a determinação dos teores de elementos potencialmente tóxicos (EPTs) nos solos é necessária para avaliação de seus impactos ambientais. Além dos métodos de extração química normalmente usados em laboratórios, o estudo avalia técnicas mais baratas e que gerem menos resíduos, como a espectroscopia de reflectância difusa (ERD). “Entretanto, para validar uma nova técnica como a ERD é preciso realizar análises químicas em um laboratório de referência, assim como é credenciado o LQS da ESALQ, acreditado no INMETRO pela ISO 17025 desde 2012“, destacou o docente. “No laboratório, foram utilizadas a espectrometria de emissão ótica (ICP-OES) e a ERD para obtenção dos teores de cobre (Cu), chumbo (Pb) e zinco (Zn) em amostras de solos do Nordeste do Estado de São Paulo intensamente cultivados com cana-de-açúcar“, explicou o docente.

O pesquisador afirma que os valores foram satisfatoriamente preditos pela espectroscopia de reflectância difusa, principalmente para Cu e Zn. “As técnicas de predição dos elementos potencialmente tóxicos apresentadas no trabalho podem auxiliar na obtenção de informações para fins de avaliações do risco de poluição e quanto às estratégias de remediações com baixo custo-benefício“, concluiu Alleoni.

Os participantes do projeto, que teve apoio da FAPESP e do CNPq, buscam agora adaptações quanto aos preditores e estratégias de calibração dos modelos de predição dos teores de EPTs em solos mineralogicamente diferentes e/ou situados em variados modelos de paisagem.

Alicia Nascimento Aguiar

MTb 32531

05/12/2016

ARTIGOS RELACIONADOS

Uso de algas aumenta produtividade da soja

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

Mostarda – condimento de sabor suave a picante

    No Brasil, o molho de mostarda é o terceiro mais consumido, atrás do ketchup e da maionese.As mostardas usadas comercialmente são das...

Tendências e diretrizes para o setor sucroenergético em nível nacional e mundial

O evento, que será realizado entre os dias 18 e 20 de agosto de 2020, contará com a participação de representantes de entidades setoriais, universidades e dirigentes das principais empresas da cadeia produtiva do segmento

Soluções simples podem minimizar crise hídrica em Minas

Os “meninos do Dolfinho“, apelido que ganharam em função da popularidade do pai, são cinco irmãos solteiros, entre 45 e 55 anos, que vivem...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!