14.6 C
Uberlândia
quinta-feira, maio 30, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioDestaquesTratamento de sementes com polímeros coloridos

Tratamento de sementes com polímeros coloridos

Amanda Carvalho Penidoapenidoufla@gmail.com

Debora Kelli Rochadeborarocha.agro@gmail.com

Engenheiras agrônomas, mestras e doutorandas em Produção e Tecnologia de Sementes – Universidade Federal de Lavras (UFLA)

Semente – Crédito: Marcelo Madalosso

A utilização de sementes de elevada qualidade é extremamente importante, pois garante ao agricultor uma implantação da lavoura correta e bem-sucedida. A qualidade de sementes é composta por um conjunto de atributos que são determinantes no desenvolvimento da semente quando colocada no solo, pautados na qualidade física, fisiológica, genética e sanitária.

Dentre os atributos de qualidade da semente, o aspecto sanitário é um fator importante na manutenção da qualidade das sementes. A proliferação de fungos de solo e de armazenamento são importantes causadores de perda da qualidade, pois as sementes contaminadas podem causar danos imediatos à germinação e vigor, com consequência prática no estabelecimento da cultura em campo.

Além disso, as sementes são importantes fontes de inóculo infectivo nas áreas, seja a curta e/ou a longas distâncias.

Tratamento de sementes

Nesse contexto, o tratamento de sementes se faz necessário. O tratamento de sementes tem por objetivo assegurar a qualidade sanitária das sementes, por meio da aplicação de produtos químicos ou biológicos que sejam eficientes para controlar fitopatógenos, principalmente fungos associados às sementes ou aqueles presentes no solo, além de atuar contra o ataque inicial de pragas específicas do solo, sendo umas da primeiras práticas realizadas no manejo integrado de pragas (MIP).

Além disso, a tecnologia de aplicação do produto deve ser realizada de forma correta e exige conhecimento técnico. Por exemplo, o tamanho da semente pode influenciar a regulagem da máquina de tratamento, e por isso o cálculo da dose correta a ser aplicada deve ser feito por quilo de semente a ser tratada, no caso de sementes de soja e algodão, e por unidade, no caso de sementes de milho.

Composição

Atualmente, vários são os produtos levados através da semente, como inseticidas, fungicidas, nematicidas, inoculantes e micronutrientes, polímeros e pó secante, havendo assim a necessidade de segurar estes materiais nas sementes sem que prejudique a qualidade final da semente comercializada.

Dentre esses produtos, os polímeros têm sido incorporados ao tratamento de sementes de maneira recorrente, diante dos benefícios agregados à tecnologia.

Polímeros: conceito e utilizações no TS

[rml_read_more]

Os polímeros usados no recobrimento de sementes podem ter origem orgânica, natural e renovável. São constituídos de materiais de origem vegetal ou animal, ou mesmo fósseis originários do petróleo, bem como de fontes inorgânicas.

Eles podem ser incolores ou coloridos e vêm sendo largamente utilizados na agricultura. Os polímeros coloridos auxiliam na visualização e identificação daquela semente que recebeu o produto.

O polímero é um produto inerte que adere todos os produtos aplicados nas sementes, como por exemplo fungicidas e inseticidas. Além disso, atua como um filme uniforme que forma um adesivo entre a calda aplicada e as sementes, aprimorando assim a qualidade final do tratamento.

Para serem usados no recobrimento de sementes, os mesmos devem permitir as trocas gasosas entre semente e ambiente e, principalmente, não afetar a qualidade fisiológica das sementes.

 Sua utilização torna-se fundamental, uma vez que durante o tratamento das sementes ocorre o desprendimento de pó e quanto maior este desprendimento, maior a perda de ingrediente ativo por semente, acarretando em maior ineficiência do tratamento, processo esse que, com o uso de polímero, é evitado.

Variedades

Existe no mercado uma variedade grande de polímeros, sendo indicado utilizar aquele que melhor represente sua realidade em relação à espécie, quantidade a ser tratada e o principal objetivo de uso do produto.

Alguns deles são vendidos com efeito bioestimulante que auxilia na germinação, no vigor e no enraizamento da planta. No entanto, mesmo diante dos benefícios oferecidos pelo mercado com diversas tecnologias e pacotes mais completos, é importante ressaltar que os polímeros devem apresentar a sua principal função, que é a maior aderência entre a calda do tratamento de sementes e a superfície dela.

Vantagens e custo-benefício do uso da técnica

Como já mencionado anteriormente, o tratamento de sementes possui vantagens importantes que contribuem para o sucesso da produção agrícola. No entanto, esta tecnologia também apresenta riscos, como por exemplo, a exposição dos operadores durante a aplicação do produto para tratamento, possível perda destes produtos por lixiviação em decorrência de chuvas, formação de pó no momento da semeadura e problemas relacionados à desuniformidade do recobrimento das sementes.

Para isso, as indústrias têm utilizado os polímeros, que criam uma película de revestimento sobre a superfície da semente, trazendo, portanto, maior precisão e segurança no processo de tratamento de sementes.

Durante o tratamento das sementes ocorre o desprendimento de pó, que nada mais é que a perda dos produtos aplicados na semente, e quanto maior este desprendimento, maior a presença de sementes com subdoses, acarretando em menor eficiência do tratamento.

Com o uso do polímero esse efeito é minimizado, pois uma das principais vantagens dele está relacionada ao melhor recobrimento das sementes, melhorando a distribuição da calda de tratamento nas sementes e, com isso, levando maior uniformidade e aderência dos ativos e aditivos na superfície das mesmas.

Dentre todas as características de composição dos polímeros, uma propriedade de grande importância é a sua capacidade de manter os produtos fitossanitários fixados sobre a semente até a semeadura. Essa característica é essencial para conferir maior resistência à abrasão e redução no desprendimento de poeira que pode ser nociva ao ambiente e aos organismos não-alvo.

Mais vantagens

O uso dessa tecnologia permite outras vantagens, como por exemplo a proteção da semente no campo. O polímero tem a capacidade de aderir à película de tratamento na semente e, mesmo após uma chuva intensa, ele impede que o produto fixado na semente seja lixiviado, garantindo assim que a planta realmente esteja protegida, sem que ocorra a perda do produto e garantindo a eficiência do tratamento fitossanitário. 

Um benefício que o uso de polímeros confere às sementes é a maior fluidez e plantabilidade devido à camada de revestimento na superfície ser totalmente lisa. No plantio, essa característica substitui a necessidade do uso de grafite antes da semeadura, pois com a mesma função, o polímero melhora o fluxo das sementes nos discos de semeadura, e com isso, evita a quebra de sementes e a ocorrência de duplas e falhas, estes que influenciam no estande de plantas desejado e na competição entre plantas por água e nutrientes. Isso tem um impacto positivo no desenvolvimento da lavoura e na produtividade.

Qual o custo?

O custo do uso de polímeros está geralmente atrelado ao tratamento de sementes, pois geralmente os pacotes oferecidos pelas empresas que realizam o tratamento industrial de sementes já vem incluso esta tecnologia no processo.

O tratamento de sementes representa em torno de 2 a 3% do custo total da lavoura, um investimento relativamente baixo para o produtor e que possui alto potencial de retorno. A aplicação correta do tratamento de sementes é essencial para garantir que todas as sementes estejam com a quantidade adequada de produto e assim possa maximizar as vantagens do uso da técnica. 

A relação custo/benefício é favorável, pois o agricultor que faz um tratamento de sementes correto assegura o desenvolvimento mais sadio, vigoroso e mais rápido das plantas, tornando-as mais propícias a expressar seu potencial produtivo.

Além disso, permite a segurança do estande de plantas, assegurando maiores níveis de produtividade, maior eficiência dos insumos utilizados, uso racional de defensivos agrícolas e maior rentabilidade.


Cuidados e recomendações

Como já relatado anteriormente, o uso de polímeros no tratamento de sementes traz inúmeras vantagens. No entanto, são necessários alguns cuidados para garantir a qualidade das sementes.

Os polímeros devem ser ajustados de acordo com as características e especificidade de cada tipo de semente, além de ser compatível com todos os pacotes de ativos e aditivos que são geralmente usados no tratamento de sementes. Existem, também, empresas que trabalham com polímeros específicos para cada região, usando produtos distintos para diferentes regiões e todos com suas próprias condições específicas de cultivo.

É importante ressaltar que essa tecnologia tem o principal objetivo de trazer maior eficiência ao tratamento de sementes, que pode melhorar o desempenho em campo nos aspectos físicos, fisiológicos e sanitários.

No entanto, para que essa técnica seja eficiente, a mesma não deve afetar negativamente a germinação e o vigor das sementes. Portanto, a escolha do produto que irá compor o tratamento das sementes é fundamental para não interferir no desenvolvimento das mesmas. O produto deve ser indicado para a espécie em que será utilizado, possuir uma fórmula adequada e bem desenvolvida.

Durante a aplicação, também são necessários alguns cuidados, como seguir a dose recomendada dos produtos a serem fixados nas sementes, utilizar equipamentos específicos para tratamento de sementes e sempre ter o cuidado com a limpeza, regulagem e manutenção do maquinário, afim de evitar possíveis contaminações e garantir a qualidade das sementes após o tratamento.

É importante ressaltar que a coloração de sementes tratadas é obrigatória por lei, para diferenciar sementes tratadas daquelas sem tratamento. As cores, além de identificarem as sementes tratadas das não tratadas, pode ser utilizada para diferenciar tratamentos e identificar cultivares. Com isso, há um melhor controle, segurança e maior uniformidade no processo.

Contudo, o uso de polímeros no tratamento de sementes é uma ferramenta importante para garantir um bom recobrimento e assertividade da dose aplicada nas sementes, além de auxiliar na execução de um plantio mais eficiente.

Com a escolha correta e a aplicação de acordo com as orientações para cada tipo de semente, é possível maximizar os seus aspectos positivos.

ARTIGOS RELACIONADOS

Consultores e pesquisadores debatem inovações para o agronegócio no 2º TecNufarm

Evento da australiana Nufarm abordou plantas daninhas, doenças e pragas da última safra e tecnologias de ponta para as lavouras de soja, milho e...

Hormônios revolucionam a agricultura

  Jorge Celestino Verde dos Santos Engenheiro agrônomo, produtor rural e consultor verde.jorge@hotmail.com Diogo de Almeida Verde Engenheiro agrônomo e representante comercial   Os biorreguladores são compostos por uma combinação de...

O que esperar dos novos híbridos de milho para a safra 2017/18

Odair José Marques Engenheiro agrônomo e professor de Fitotecnia da Universidade Federal de Uberlândia - Campus Monte Carmelo ojmarques@ufu.br Ainda não há um número preciso de quantos...

Tratamento de sementes com aminoácidos estimula enraizamento

  A aplicação de bioestimulantes na agricultura não é muito antiga, porém, já está bem disseminada entre os agricultores. O desenvolvimento de processos para a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!