20.6 C
Uberlândia
sexta-feira, abril 19, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesUsina Caçu (GO) adere à campanha Fogo Zero

Usina Caçu (GO) adere à campanha Fogo Zero

Divulgação

Fogo Zero foi o nome escolhido pela Copersucar, maior comercializadora de açúcar e etanol do mundo, para a campanha de conscientização contra incêndios no campo. O objetivo é orientar a população sobre como prevenir este tipo de ocorrência, como e a quem comunicar, explicando também como se originam os casos acidentais e como evitá-los, incentivando a denunciar queimadas criminosas e alertando para os danos que podem causar para a comunidade.

Os incêndios podem ocorrer durante todo o ano, principalmente em períodos caracterizados pelo clima seco, pouca chuva, ventos fortes e altas temperaturas. Segundo dados da Defesa Civil, o Brasil ocupa o 1º lugar entre os países da América Latina com maior número de focos de incêndio em 2022. Foram, até 7 de setembro, mais de 107 mil focos (+10% em relação ao mesmo período de 2021).

Mesmo com um elevado grau de mecanização e tecnologia em seus processos, principalmente nas atividades para a colheita das safras, as mais de trinta usinas associadas à Copersucar entendem a necessidade de continuar a contribuir com a prevenção de incêndios, fazendo campanhas de educação e incentivo nas cidades onde tem atuação.

“As usinas desenvolvem ações para a proteção ambiental da vegetação nativa, da área produtiva de cana-de-açúcar, da qualidade do ar e da preservação dos recursos hídricos, além do cuidado com as comunidades das regiões em que temos atividade. Os incêndios trazem efeitos negativos para toda a sociedade, para a economia e ao meio ambiente, colocando em risco os moradores, impactando áreas nativas e a biodiversidade. Por isso, apoiamos as nossas usinas associadas a manterem protocolos, treinamentos, plano de ação e campanhas de conscientização para prevenir este tipo de ocorrência de forma a contribuir com uma sociedade melhor”, declarou Maria Cláudia Trabulsi, coordenadora de sustentabilidade e meio ambiente da Copersucar.

Cada uma das unidades produtivas associadas dispõe de equipes brigadistas de prontidão, com treinamento para lidar com qualquer adversidade desta natureza, comunicação interna para troca de informações e segurança, além de possuírem mecanismos para evitar e combater os incêndios acidentais. As usinas contam também com o apoio fundamental dos bombeiros socorristas das regiões em que estão instaladas.

Este é o caso, da Usina Caçu, localizada no município de Vicentinópolis (GO), que realiza o patrulhamento de todas as suas fazendas por meio de uma equipe qualificada, além de monitoramento por satélite em tempo real.  

De acordo com Alexandre Soncini, diretor da Caçu, a equipe de prevenção e combate a incêndios é formada por 115 brigadistas, 17 caminhões de combate ao fogo, 3 torres de monitoramento, além de 10 pontos de monitoramento terrestre e um telefone exclusivo para receber denúncias por parte da comunidade.  “Investimos muito na prevenção e combate ao fogo para garantir aos nossos colaboradores e à comunidade segurança e qualidade de vida. Anualmente, aplicamos cerca de R$ 3,6 milhões na manutenção de toda esta estrutura”.

Usina Caçu/Divulgação

A população também deve fazer a sua parte

A população que vive no entorno das áreas de produção da cana também tem um papel importante na prevenção de incêndios. Em muitos casos, o fogo nas plantações começa nas áreas de limite do canavial, nas ruas do entorno ou nas rodovias, provocado por ações inadequadas como jogar bituca de cigarro no mato, descarte do lixo de forma incorreta, soltura de balões, entre outras atividades ilegais. Um simples papel de alumínio jogado em uma vegetação seca associado aos raios solares, pode facilmente iniciar um incêndio. Por isso, as usinas associadas à Copersucar investem em ações de conscientização para mudar o comportamento e as atitudes que potencializam riscos de incêndio.

A usina Caçu, por exemplo, desenvolveu uma campanha que engloba outdoors com mensagens de alerta em locais estratégicos nos municípios goianos de Vicentinópolis e Pontalina, além de organizar um programa de visitas a mais de 50 propriedades da região, com o objetivo de conscientizar a comunidade. Nessas conversas com a população, a equipe da Caçu também disponibiliza materiais impressos com informações para a prevenção de incêndios e o número de contato da usina para denúncias.

ARTIGOS RELACIONADOS

Algas podem melhorar a eficiência dos fungicidas

Luís Antônio Siqueira de Azevedo Professor de Fitopatologia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro e diretor técnico da LASA Suporte em Proteção de...

Aplicação aérea de maturadores

O sucesso na produção de açúcar e álcool da cana-de-açúcar está diretamente associado ao fornecimento de matéria-prima de alta qualidade tecnológica.

O nitrogênio e a cana-de-açúcar – Como acertar na fonte e dose

Lucas Miguel Altarugio KauêTonelliNardi Graduandos em Engenharia Agronômica ESALQ/USP Gerson Marquesi Engenheiro agrônomo Eduardo Zavaschi Engenheiro agrônomo e doutor em Agronomia Grupo de Apoio à Pesquisa e Extensão "...

Confiança do agronegócio cresce 1,9 ponto e interrompe trajetória de queda

  Apesar da recuperação, índice fecha ano quase dez pontos abaixo na comparação com 2014   O fim do ano trouxe um pouco de ânimo para cadeia...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!