18.6 C
Uberlândia
segunda-feira, maio 27, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasVittia 3T23: micros de solo têm maior receita

Vittia 3T23: micros de solo têm maior receita

Companhia segue com foco no futuro e investe em dois novos Centros de Distribuição.

A Vittia, empresa brasileira de biotecnologia e nutrição especial de plantas com soluções para diversas culturas agrícolas, divulgou os resultados do 3T23. No acumulado do ano até setembro, os produtos biológicos são o destaque da evolução de receita líquida: o crescimento foi de 11,6%, passando de R$ 137,0 milhões em 2022 para R$ 152,8 milhões em 2023. No recorte do trimestre, o avanço foi de 5,7%, indo de R$ R$ 90,4 milhões para R$ 95,6 milhões.
 

Outro destaque no 3T23, com crescimento de 44%, os produtos da linha de micros de solo apresentaram boa recuperação e fecharam o acumulado com uma queda de somente 0,3% – de R$ 105,0 milhões para R$ 104,6 milhões. No trimestre, passaram de R$ 38,6 milhões para R$ 55,7 milhões – reflexo da postergação das compras por parte do produtor, assim como do atraso no planejamento da safra.
 

“Observando o cenário climático e com dificuldades na comercialização da safra 2022/2023 em função de um volume recorde de safra e da queda dos preços das commodities, o produtor atrasou a compra de insumos para a safra 2023/2024 e para a subsequente safrinha, enxergando que a postergação das compras poderia beneficiar o custo de aquisição dos insumos, que caiu junto ao preço das commodities”, explica o CFO e Diretor de Relações com Investidores da Vittia, Alexandre Del Nero Frizzo.
 

Neste cenário adverso em relação à demanda, a Vittia continuou observando ao longo do 3T23 crescente adoção de práticas sustentáveis pelo agricultor, que juntamente com a busca pela redução de custos e maior produtividade nas lavouras, continuou aumentando o interesse e experimentação pelas tecnologias biológicas da Vittia. É nesse sentido que a companhia tem os investimentos em P&DI como um de seus pilares. Em 9 meses, os gastos cresceram 23,1% (de R$ 17,4 milhões foram para R$ 21,5 milhões). No trimestre, houve uma leve redução de 6,3% (de R$ 6,9 milhões para R$ 6,5 milhões).
 

No entanto, o movimento de adiamento das compras por parte do produtor, como o previsto, ainda teve impacto nos números da companhia. No caso da receita líquida, no período de 9 meses houve uma queda de 17,4%, (de R$ 621,0 milhões para R$ 512,8 milhões). No 3T23 ela saiu de 307,7 milhões para 291,4 milhões – queda 5,3%.
 

O EBITDA ajustado foi de R$ 158,0 milhões para R$ 96,9 milhões no acumulado (queda 38,6%) e no mesmo período a margem EBITDA ajustado caiu 6,5 p.p, saindo de 25,4% para 18,9%. No 3T23 o EBITDA ajustado foi de R$ 116,1 milhões para R$ 90,1 milhões. A margem caiu 6,8 p.p, saindo de 37,7 % para 30,9 %.

Já o lucro líquido foi de R$ 98,2 milhões para R$ 56,0 milhões (queda de 42,9%) e, no 3T23 passou de R$ 77,4 milhões para R$ 58,1 milhões (queda de 25,0%).
 

Outro destaque do período foi o pagamento de R$ 35,6 milhões em juros sobre capital próprio – o que corresponde ao valor bruto de R$ 0,25073431 por ação.
 

Tocantins e Minas Gerais receberão novos Centros de Distribuição

Com o crescimento do mercado de produtos biológicos no país e o conhecimento cada vez maior dos benefícios dos bioinsumos para o agricultor e o meio ambiente, a Vittia segue investindo para alcançar cada vez mais produtores. Nesse sentido, as cidades de Araguaína (TO) e Coimbra (MG) receberão os novos Centros de Distribuição da companhia.
 

Com investimento total de R$ 460 mil reais, os locais terão estoque refrigerado para produtos biológicos e capacidade de armazenar, em conjunto, 750 paletes. “Os novos CDs possibilitarão maior proximidade com os clientes da região, assim como uma maior capacidade de armazenamento e expedição de produtos”, destaca o CFO da Vittia, já que a presença em Coimbra irá facilitar o escoamento de produtos tanto para o oeste de Minas Gerais quanto para o norte do Rio de Janeiro e Espírito Santo. Já Araguaína está localizada ao norte do Tocantins, o que irá permitir à companhia atender também clientes de regiões do Pará e Maranhão.
 

Sempre com o olhar para o futuro, os investimentos da Vittia são constantes. Vale relembrar que a companhia está investindo R$ 160 milhões na planta industrial de São Joaquim da Barra (SP) – a maior fábrica de biológicos da América Latina, e com a conclusão a segunda fase, no meio deste ano, a Vittia triplicou a capacidade de produção da fermentação sólida.

Destaque em sustentabilidade, Vittia conquista Prêmio Eco pelo segundo ano consecutivo

Em sua 40ª edição, o Prêmio Eco reconheceu a Vittia como uma das empresas que promovem melhores práticas empresariais voltadas à sustentabilidade dos negócios, da sociedade e do meio ambiente. A companhia foi vencedora na categoria “Sustentabilidade em Produtos & Serviços”, com o case de pesquisa Soluções Biológicas para a Resiliência Climática – em que relaciona a utilização de tecnologias biodefensivas e a redução, nos cultivos de soja, de danos desencadeados por déficit hídrico e variações climáticas.
 

Sobre a Vittia

A Vittia, empresa brasileira de biotecnologia e nutrição especial de plantas, com soluções para diversas culturas agrícolas, está presente há 52 anos no país com a missão de permitir aos produtores ganhos de rentabilidade por área e melhoria do balanço socioambiental, entregando excelência em produtos e serviços para a agricultura.
 

Sempre expandindo sua atuação a favor do agronegócio por meio de pesquisa, tecnologia e desenvolvimento, a empresa, dedicada à produção de insumos de alta tecnologia para a agricultura, conta com diversos produtos nas linhas de adjuvantes, inoculantes (fertilizantes biológicos), acaricidas, controle biológico, fertilizantes foliares, fertilizantes organominerais, condicionadores de solo, micronutrientes granulados para solo e sais para a agricultura e pecuária.
 

A Vittia possui três unidades industriais localizadas em São Joaquim da Barra, além de unidades em Serrana, Ituverava e Artur Nogueira, no estado de São Paulo, e em Paraopeba e Patos de Minas, no estado de Minas Gerais. Atualmente, conta com cerca de 1.200 colaboradores entre equipes administrativas, de produção e especialistas de campo. Comprometida com os princípios da sustentabilidade, a empresa visa criar valor por meio da inovação e ampliação de negócios com aquisições estratégicas no mercado. Em 2022, a receita líquida da empresa foi de R$ 851 milhões.
 

Além disso, a Vittia recebeu do MAPA o Selo Agro+ Integridade, que se destina a premiar empresas do agronegócio que, reconhecidamente, desenvolvem boas práticas de gestão de integridade, ética e sustentabilidade.

ARTIGOS RELACIONADOS

Adubação biológica proporciona mais produtividade com maior rentabilidade

O solo compactado ao longo dos anos faz com que as plantas agricultáveis (soja, milho, girassol, trigo, cana-de-açúcar, citricultura, café, hortaliças, pastagens e outras)...

Fertilizantes organominerais e sua aplicação na agricultura

AutoresRegina Maria Quintão Lana Professora de Fertilidade e Nutrição de Plantas – Universidade Federal de Uberlândia (UFU) rmqlana@ufu.br Miguel Henrique Rosa Franco Doutor em...

Acadian Bioswitch e seu desempenho na soja

Marcos de Oliveira Bettini PhD em irrigação, fisiologia do estresse pela UNESP Lilian A. Saldanha Lima PhD Market DevelopmentScientist Lucas de Souza Vasques Engenheiro agrônomo e técnico comercial...

Saladete rasteiro: Mais sabor com menor custo

  O plantio de tomate saladete rasteiro reduz o custo de produção, principalmente com mão de obra, visto que elimina as etapas de estaqueamento e...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!