16.4 C
Uberlândia
quinta-feira, julho 18, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioNotíciasA importância da uniformidade no fornecimento de água e fertilizantes nas produções...

A importância da uniformidade no fornecimento de água e fertilizantes nas produções hortícolas

Imagem de arquivo

O Brasil é um dos principais produtores e exportadores de frutas e hortaliças do mundo, segundo a consultoria da Carlos Cogo, a fruticultura brasileira movimentou US$ 1,077 Bilhão em 2022, com destaque para a manga e o melão com 24% e 23% respectivamente do volume exportado. Diversos são os fatores que fazem o nosso HF ser consumido globalmente, e certamente a uniformidade dos produtos faz toda a diferença, tornando-o mais atraente a ser consumido.

A busca pela uniformidade se inicia pela escolha da área a ser produzida, passando pela variedade, insumos ofertados e pelo sistema de irrigação, sendo essa parte fundamental nesse processo. A irrigação se torna o fiel da balança pelo fato de fornecer não apenas a água, mas também a possibilidade de se aplicar fertilizantes e produtos biológicos para proteção de cultivo. Mas para que o sistema tenha boa performance, é necessário que a escolha do emissor de água (gotejador) leve em consideração as condições da área, sendo uma delas o relevo.

Na irrigação localizada existem dois tipos de emissores, os autocompensados e os não autocompensados. Os autocompensados possuem uma membrana que compensa a variação de pressão durante a irrigação, de forma que o emissor forneça a quantidade de água, desde o início da linha de gotejadores até o final. Para áreas declivosas este tipo de gotejador é o mais adequado. Quanto ao gotejador não autocompensado, ele não possui a membrana de compensação de pressão, havendo assim um limite máximo de pressão de trabalho pré-estabelecido para que não haja alteração na vazão do gotejador durante toda a linha de emissores. Este tipo de emissor é recomendado para áreas com pouca ou nenhuma declividade.

O relevo do solo interfere na distribuição da água e fertilizantes, assim como o comprimento da linha de gotejadores. Em áreas com declividade acentuada, o comprimento da linha de gotejadores autocompensados é maior, proporcionando confiabilidade na quantidade de água e fertilizantes a ser ofertada, independente do relevo, desde o início até o fim da linha de cultivo. A utilização deste emissor gera redução de custo total no projeto de irrigação pelo potencial redução de malha hidráulica e outros componentes.

A uniformidade no fornecimento dos insumos para a planta, seja do início ao fim da linha de cultivo, proporciona ao produtor frutos maiores, com maior brix e com a taxa de refugo menor. Pois todas as plantas receberão uma quantidade igual de água e potencialmente de fertilizantes, sendo possível produzir em sua plenitude. Com isso, o agricultor tem uma produção capaz de ser ofertada nos melhores e mais exigentes mercados, resultando em mais rentabilidade.

Por Maxwell Soares da Silva, Especialista Agronômico da Netafim

ARTIGOS RELACIONADOS

Plantio direto aumenta eficiência da água

Plantio direto: preservando a água e maximizando a produção agrícola

Estudo sobre mercado de nutrição da soja

A consultoria Spark Inteligência Estratégica entrega nos próximos dias o levantamento inédito ‘Painel Mercado Nutrição Soja’.

Agristar tem novo diretor de produção

Enio Filho assume o setor da empresa, que é referência na produção e ....

Arbolina: Novo estimulante mais resistente à seca

O uso de bioestimulantes na agricultura acarreta ganhos nas maiorias das culturas em que ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!