13 C
São Paulo
terça-feira, junho 28, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Aumento de produtividade da soja com a aplicação de bioestimulantes

Aumento de produtividade da soja com a aplicação de bioestimulantes

Carla Verônica Corrêa

cvcorrea1509@gmail.com

Bruno Novaes Menezes Martins

brunonovaes17@hotmail.com

Engenheiros agrônomos, doutorandos da UNESP, Campus de Botucatu (SP)

Crédito Shutterstock
Crédito Shutterstock

O bioestimulante proporciona incremento no número de vagens por planta e produtividade de grãos, tanto em aplicação via sementes quanto via foliar, confirmado por estudos.

Todavia, a maior produtividade não está relacionada ao maior crescimento da parte aérea, considerando-se a altura das plantas, ramos por planta e altura de inserção da primeira vagem. Em relação ao aumento da produtividade, o bioestimulante é mais efetivo quando aplicado na fase reprodutiva.

O que são e como atuam os bioestimulantes

Bioestimulantes são misturas de reguladores vegetais com outras substâncias de natureza química diferente, como aminoácidos, enzimas, vitaminas e minerais, que em função da sua composição, concentração e proporção das substâncias, favorecem o crescimento e desenvolvimento vegetal, estimulando a divisão celular, diferenciação e o alongamento das células, podendo também aumentar a absorção e a utilização de água e dos nutrientes pelas plantas.

A ação de um bioestimulante corresponde ao complemento no auxílio da manutenção fisiológica, o que pode ser muito importante em condições estressantes às quais uma lavoura se encontra diariamente, como estresse abiótico devido à falta ou excesso de água e altas ou baixas temperaturas, ou bióticas, como pragas e doenças.

Pelo fato de apresentarem misturas de reguladores vegetais, como auxinas, giberelinas, citocininas, entre outros, atuam em processos que estimulam o crescimento vegetal devido à maior divisão, alongamento e diferenciação celular, promovendo maior crescimento da planta, o que permite o aumento da capacidade fotossintética e de absorção de nutrientes e água, o que reflete diretamente em todas as fases de desenvolvimento, como a germinação de sementes, crescimento e desenvolvimento, floração, frutificação e senescência.

Assim, os bioestimulantes podem levar a incrementos de produtividade de muitas culturas, sendo que a soja já apresenta pesquisas mais detalhadas, inclusive com alguns produtos registrados.

 A aplicação de bioestimulantes pode ser realizada em várias fases da cultura - Crédito Shutterstock
A aplicação de bioestimulantes pode ser realizada em várias fases da cultura – Crédito Shutterstock

Mais produtividade

Os bioestimulantes, por apresentarem em sua composição reguladores vegetais, atuam em todo o metabolismo vegetal, promovendo o desenvolvimento e crescimento da planta. Os reguladores atuam no crescimento por alongamento, extensão da parede celular e na germinação das sementes por induzirem a síntese de enzimas que promovem a quebra e a mobilização de substâncias de reserva no endosperma das sementes.

Atuam, também, no crescimento pelo alongamento do caule, no desenvolvimento reprodutivo, além de afetar a transição do estado juvenil para o maduro, bem como a indução da floração e o estabelecimento da vagem, e ainda no comprimento dos internódios, na área foliar e no acúmulo de matéria seca, além de mobilização de nutrientes, formação e atividade dos meristemas apicais, quebra da dominância apical, retardamento da senescência de folhas e frutos, superação de gemas, síntese de proteínas, retardando a senescência, promoção de resistência a doenças, entre outras atuações, que contribuem para o ideal desenvolvimento da planta.

Tudo isso contribui para a formação de um maior número de vagens e enchimento de grãos, o que resulta em maior produtividade.

Os bioestimulantes induzem a floração e o estabelecimento da vagem - Crédito Miriam Lins
Os bioestimulantes induzem a floração e o estabelecimento da vagem – Crédito Miriam Lins

Manejo

A aplicação de bioestimulantes pode ser realizada em várias fases da cultura. Em sementes, é importante para promover homogeneidade da germinação, na fase vegetativa para promover maior desenvolvimento e crescimento vegetativo, além de melhorar o desenvolvimento do sistema radicular, e no início da fase reprodutiva para a formação de vagens e enchimento de grãos.

No entanto, o produtor deve ficar atento para as indicações presentes na bula de cada produto comercial, pois estes trazem informações sobre o estádio fenológico mais adequado para a aplicação do produto.

Sem erros

Por se tratar de mistura de reguladores vegetais, deve-se atentar a vários fatores. Concentrações inadequadas resultam em desenvolvimento vegetativo excessivo ou desequilíbrio hormonal na planta, acarretando em perdas de produção.

Fatores como estádios de desenvolvimento da planta também são um aspecto que deve ser avaliado cuidadosamente. Fatores climáticos e nutricionais também podem interferir, contribuindo para resultados não satisfatórios. Assim, para evitar problemas, o produtor deve procurar informações junto ao agrônomo para que possa ser feita a recomendação adequada, tanto da concentração como da época ideal de aplicação.

Além disso, se o produtor não estiver familiarizado com o emprego do bioestimulante, pode realizar testes de concentrações e épocas de aplicações em pequenas áreas, antes de realizar sua aplicação em área total. Dessa forma, o produtor chegará a resultados que correspondem à realidade de sua região e de seu modo de produção.

Os bioestimulantesincrementam a produtividade da soja - CréditoShutterstock
Os bioestimulantes incrementam a produtividade da soja – CréditoShutterstock

 

Essa matéria completa você encontra na edição de maio 2017 da revista Campo & Negócios Grãos. Adquira já a sua para leitura integral.

Inicio Revistas Grãos Aumento de produtividade da soja com a aplicação de bioestimulantes