21.6 C
Uberlândia
segunda-feira, junho 24, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiBacillus thuringiensis no controle de brocas do tomate

Bacillus thuringiensis no controle de brocas do tomate

 

Andrés da Silva

Engenheiro agrícola, M.Sc. e consultor em cultivo protegido

andresdasilva@live.ca

 

Bacillus thuringiensis no controle da broca do tomate - Créditos Luiz Bambini
Bacillus thuringiensis no controle da broca do tomate – Créditos Luiz Bambini

Apesar da grande importância do tomate no Brasil, esta sofre prejuízos enormes devido às pragas, em especial a broca pequena e grande do tomate, ambas lagartas da ordem Lepdoptera, conhecidas por danificarem diretamente os frutos das plantas, reduzindo a disponibilidade deles para a comercialização.

A broca pequena é uma praga tida pelos produtores como muito difícil de se controlar, pois após a eclosão dos ovos da larva, a broca pequena não demora mais que duas horas para penetrar nos frutos dificultando, desta maneira, o uso de inseticidas e agentes biológicos.

É comum os produtores terem perdas de mais de 50% da produção, chegando a até 90%, em determinadas situações. A broca grande, por sua vez, é uma praga importante nas culturas de milho e algodão, mas nos últimos anos, dado o seu caráter de alta polifagia (encontrada em mais de 180 espécies cultivadas e nativas) e grande capacidade de migração (pode voar 1.000 km em dois a três dias), tem tido importância em outras culturas, especialmente no tomate.

Hoje, em muitas lavouras mais de 60% das aplicações de inseticidas são feitas para o controle de lagartas.

 Bacillus thuringiensis no controle da broca do tomate
Bacillus thuringiensis no controle da broca do tomate

Medidas para conter a praga

Por se tratar de pragas que atacam os frutos principalmente no início de seu desenvolvimento, devemos tomar medidas preventivas, desde o planejamento até o plantio da lavoura.

Um programa integrado de pragas é fundamental para o controle destes insetos. Recomenda-se a utilização do MIP (Manejo Integrado Pragas). De maneira simplificada, podemos definir o MIP em ações culturais, físicas, biológicas e químicas, que devem ser utilizadas de maneira racional e integrada para se obter resultados ótimos no controle das pragas em geral.

As ações ditas culturais vão desde a escolha do local de cultivo (clima x períodos de maiores incidências), das variedades escolhidas, da qualidade e sanidade das mudas, do uso da rotação de cultivos, adoção de vazio sanitário, o uso de barreiras vivas (1 m de altura, no mínimo), e cuidados no preparo do solo, assim como a imediata disposição final dos restos de cultura, a fim de diminuir as chances de autocontaminação e de infestação da lavoura.

As ações culturais devem favorecer o estabelecimento de plantas generativas, vigorosas e saudáveis. Deficiências nutricionais, estratégias de irrigação incorretas e/ou tratos culturais indevidos (ou atrasados) debilitam as plantas, tornando-as mais suscetíveis às pragas em geral.

Sintomas de broca em folha de tomateiro
Sintomas de broca em folha de tomateiro

Barreiras físicas

O uso de telados ou de estufas agrícolas são uma excelente barreira física no controle da broca. O cultivo em estufas permite, entre outros, a intensificação e alongamento do ciclo de cultivo, melhor uso da mão de obra e maior produtividade (de cinco a 10 vezes maior que o campo aberto), além de facilitar amplamente o monitoramento e a implantação de um MIP.

Seguindo uma tendência mundial, estimamos que dentro de cinco a 10 anos mais de 30% da produção atual de cultivo de tomate de mesa no Brasil seja feita na forma de cultivo protegido devido, sobretudo, à eficiência no controle de pragas e na redução do uso de água.

Outra técnica de barreira física que pode ser utilizada com eficiência é o ensacamento dos frutos (a mesma técnica utilizada na produção de goiaba). Para mais detalhes ver a Circular Técnica 33 da Embrapa Solos (Projeto Tomatec).

broca em folha de tomateiro
broca em folha de tomateiro

Biológicos

Para a aplicação dos controles biológicos e químicos é importante ter em mãos uma metodologia de monitoramento das pragas simples e eficaz. Para tanto, é preciso conhecer bem os hábitos e o ciclo de vida de cada praga para estabelecer uma estratégia eficaz de controle com o menor custo.

No caso das brocas do tomate, podemos fazer um monitoramento tanto observando a infestação nas plantas como em armadilhas especialmente desenvolvidas para este fim. Apesar de seu custo, o uso de armadilhas para monitoramento dos adultos facilita muito o trabalho do produtor.

Gravena & Benvenga (2010), em seu estudo de Monitoramento da broca-pequena-do-fruto para tomada de decisão de controle em tomateiro estaqueado, sugerem a inspeção de 12 amostragens com cinco plantas cada por talhões de um ha a cada duas semanas.

Para a broca-pequena deve-se avaliar visualmente uma penca por planta contendo frutos com diâmetro médio de 2 cm. O nível de ação é dado quando tivermos ao menos 5% das pencas com ovos ou com sinais de perfurações. No caso do monitoramento dos adultos, utilizam-se armadilhas do tipo Delta contendo feromônio sexual sintético.

Ainda Segundo Gravena & Bevenga, o nível de ação, no caso do monitoramento em armadilhas, é de 0,24 e 0,23 adultos na armadilha por dia, para os cultivos em ciclo de verão e inverno, respectivamente.

Essa matéria completa você encontra na edição de março da revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira a sua para leitura completa.

 

ARTIGOS RELACIONADOS

Termotécnica inova com bases de isopor® para cultivo

O cultivo de frutas, legumes, verduras e flores passa por uma transformação focada em resultados. Os produtores precisam de uma colheita de extrema qualidade,...

Bahia Farm Show 2017 chega com a perspectiva de bons resultados

O clima é de otimismo entre os organizadores da Bahia Farm Show 2017, a maior feira de tecnologia agrícola e de negócios do Norte/Nordeste...

Aplicação foliar como ferramenta de manejo para a soja

  Tadeu TakeyoshiInoue Marcelo Augusto Batista Doutores e professores da Universidade Estadual de Maringá ttinoue@uem.br Murilo Andrade Barbosa Rodrigo Sakurada Lima Evandro AntonioMinato Mestrandos em Agronomia Paulo Henrique Polizel Alexandre Graduando em Agronomia   A cultura...

Pesquisa desenvolve hidrogel, fertilizante de baixo custo

Àprimeira vista até parece canela em pó, pela cor e textura, mas é um fertilizante de liberação controlada desenvolvido à base de hidrogel com...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!