21.6 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 21, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosHortifrútiBayer apresenta ao mercado de frutas novo aliado no combate a plantas...

Bayer apresenta ao mercado de frutas novo aliado no combate a plantas daninhas

 

Fotos Luize Hess
Fotos Luize Hess

O Brasil ocupa a terceira colocação no ranking da produção mundial de frutas e é responsável por 4,8% do volume global colhido, com uma produção de 40,2 milhões de toneladas, de acordo com o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA).

A lavoura da banana é a mais representativa, seguida pela laranja, uva, abacaxi e maçã. No entanto, para que o cultivo de frutíferas seja assegurado, o controle de plantas daninhas precisa ter atenção total do produtor.

Neste contexto, a Bayer aproveitou a Hortitec, evento em que participa desde o princípio, para comunicar que estendeu o uso do herbicida Alion® para oito frutíferas: caju, goiaba, coco, dendê, uva, manga, maçã e banana, sendo os quatro últimos cultivos prioritários para a empresa.

Trata-se de uma tecnologia que revolucionou o manejo de plantas daninhas para os cultivos de café, citros e cana-de-açúcar. Ao todo foram 150 campos demonstrativos em todo o Brasil que comprovaram a eficácia do produto no manejo de lavouras frutíferas.

“Além de impedir a germinação de plantas daninhas resistentes e de difícil controle, por ter um residual prolongado, Alion® contribui para a sustentabilidade do negócio do produtor, pois sua ação permite aplicações otimizadas, contribuindo para a redução do consumo de água, maquinário, CO2, além da otimização da mão de obra no trato das lavouras“, afirma Alessandro Moreto, gerente de clientes de cultura HF.

Nesse contexto, a missão da Bayer é produzir cada vez mais, com mais qualidade e melhor tecnologia, tanto de produção quanto de produto.

Daninhas

A infestação de plantas daninhas é uma das principais problemáticas da agricultura moderna. No Brasil, a extensão territorial, a diversidade de solo e os altos índices pluviométricos são fatores que contribuem para a disseminação de plantas de difícil controle, aumentando os custos de produção e reduzindo a produtividade no campo.

O herbicida pré-emergente atua diretamente no solo. Inibe a germinação e emergência de plantas daninhas, possibilitando um número reduzido de aplicações com residual prolongado. “O produto pede apenas uma aplicação na infestação da lavoura“, informaAlessandro Moreto.

A tecnologia, aliada ao manejo correto e às boas práticas agrícolas, é uma ferramenta estratégica para o produtor rural produzir mais e melhor, pois controla plantas que competem por água, espaço e luz com a principal cultura. Assim, ele poderá ter uma produção maior por hectare, com custo otimizado e maior qualidade do produto final.

Atenta a este cenário, a Bayer como uma empresa de ciência e inovação busca cada vez mais apresentar soluções que possam contribuir para o desempenho da agricultura no Brasil. “Temos o compromisso de impulsionar a agricultura moderna por meio de tecnologias provenientes de pesquisa e desenvolvimento. Assim, estender o uso dessas moléculas a outras culturas, por meio de produtos como o Alion®, é fundamental para nós, que estamos ao lado do produtor, ouvindo e entendendo suas necessidades para oferecer exatamente o que ele precisa para desenvolver seu negócio de forma sustentável“, expõe Alessandro Moreto.

Sobre a Bayer

 Equipe da Bayer durante a Hortitec
Equipe da Bayer durante a Hortitec

A Bayer é uma empresa global com competências em Ciências da Vida nas áreas de agricultura e cuidados com a saúde humana e animal. Seus produtos e serviços são desenvolvidos para beneficiar as pessoas e melhorar sua qualidade de vida.

Além disso, a companhia objetiva criar valor por meio da inovação. A Bayer é comprometida com os princípios do desenvolvimento sustentável e com suas responsabilidades sociais e éticas como uma empresa cidadã. Em 2017, o Grupo empregou cerca de 99 mil pessoas e obteve vendas de € 35 bilhões. Os investimentos totalizaram € 2.4 bilhões e as despesas com Pesquisa & Desenvolvimento somaram € 4.5 bilhões.

Essa matéria você encontra na edição de agosto da Revista Campo & Negócios Hortifrúti. Adquira o seu exemplar.

Ou assine

ARTIGOS RELACIONADOS

Pragas e doenças da bananicultura

Wilson da Silva Moraes Engenheiro agrônomo, doutor em Fitopatologia e pesquisador da APTA wilson@apta.sp.gov.br   Bananeiras são alvos constantes dos microrganismos fitopatogênicos que interferem em diferentes processos fisiológicos...

Simpósio Brasileiro de Manejo Biológico do Café e o debate sobre manejo agroecológico de pragas

A pesquisadora da Epamig, Madelaine Venzon, participará do Simpósio que acontece no dia 6 de outubro. Todos os detalhes na matéria completa.

Como identificar a mancha de phoma no cafeeiro?

Autores Cássio Pereira Honda Filho Doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (/UFLA) cassiop.hondafv@gmail.com Mariana Thereza Rodrigues Viana Doutora em Fitotecnia –...

Produção de coentro em cultivo protegido

Roberta Camargos de Oliveira Engenheira agrônoma e doutora em Fitotecnia robertacamargoss@gmail.com Ernane Miranda Lemes Engenheiro agrônomo, fitopatologista e doutor em Fitotecnia ernanelemes@yahoo.com.br João Ricardo Rodrigues da Silva Engenheiro agrônomo joaoragr@hotmail.com   O coentro (Coriandrumsativum...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!