Café vulcânico

0
145
Café vulcânico – Foto: Divulgação

Poços de Caldas, no Sul de Minas, é destino de muitos turistas atraídos pelas belezas do município. Agora também deseja aproveitar essa potencialidade e dar mais visibilidade para a região, por meio da criação de uma marca coletiva de café denominada Cafés da Região Vulcânica.

A marca foi lançada oficialmente em 2020, durante a Semana Internacional do Café, mas segundo a produtora e secretária da Associação dos Produtores do Café Vulcânico, Ana Maria Cagnani, o projeto para a criação da marca iniciou em 2018, com auxílio da Emater-MG, vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), e do Sebrae. De acordo com a secretária, o objetivo de criar a marca é torná-la única, além de desenvolver ações que beneficie os produtores, dar visibilidade ao potencial cafeeiro, além de propiciar reconhecimento do local.

Ana Maria conta que o café produzido na região vulcânica tem uma qualidade distinta devido à condição geográfica. “O clima mais frio e a altitude das lavouras que variam entre 700 e 1.300 metros, o solo rico em minerais e a tradição que a região possui no cultivo do café possibilitam uma produção diferenciada, um produto com boa acidez e intenso”, afirma.

O extensionista agropecuário da Emater-MG Aparecido Venâncio Martins explica que a denominação Café Vulcânico é por causa das características de área de solo vulcânico na região, entre o sul de Minas Gerais e o nordeste do estado de São Paulo, local onde são produzidos o café da marca coletiva.

A região abrange doze municípios localizados na caldeira de um vulcão extinto há 80 milhões de anos. As cidades que fazem parte dessa área no estado de Minas Gerais são Andradas, Bandeira do Sul, Botelhos, Cabo Verde, Caldas, Campestre, Ibitiúra de Minas e Poços de Caldas. Já Águas da Prata, Caconde, Divinolândia e São Sebastião da Grama estão no estado de São Paulo.

Ana Maria acrescenta que pretende estender a certificação da marca também para o queijo, a uva, o azeite e o turismo rural.

A marca Cafés da Região Vulcânica é regulamentada, controlada e protegida pela Associação dos Produtores do Café da Região Vulcânica, que está em atividade desde 2012, sendo formada por membros e parcerias.