19.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 20, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosCalagem eleva o pH e disponibiliza nutrientes

Calagem eleva o pH e disponibiliza nutrientes

Antonio Carlos Vargas Motta

Professor de Química e Fertilidade do Solo na Universidade Federal do Paraná (UFPR)

mottaacv@ufpr.br

Julierme Zimmer Barbosa

Doutorando em Ciências do Solo na UFPR

A maioria dos solos brasileiros apresenta restrição ao crescimento das principais plantas cultivadas pelo excesso de acidez, presença de alumínio tóxico (Al3+) e baixos teores dos nutrientes essenciais cálcio (Ca) e magnésio (Mg). Contudo, esses fatores prejudiciais ao cultivo agrícola podem ser manejados pela prática da calagem.

Para a calagem, o produtor deve investir na análise do solo - Crédito Valtra
Para a calagem, o produtor deve investir na análise do solo – Crédito Valtra

Entenda melhor

Quando estamos com excesso de acidez no estômago, é comum tomar algum produto contendo bicarbonato de sódio (NaHCO3) para aliviar esse desagradável distúrbio digestivo, uma vez que tal produto atua como um antiácido. No caso do solo, a calagem age de forma muito semelhante, eliminando a acidez excessiva do solo pela aplicação de materiais (carbonatos de cálcio e magnésio ” CaCO3 e MgCO3) com reação que consome os compostos responsáveis pela acidez.

A acidez varia em função da quantidade de íons hidrogênio (H+). Assim, quanto mais H+, maior é a acidez, seja no solo ou no estômago. Para conhecer o nível dessa acidez, utiliza-se o pH, que apresenta máxima acidez no valor zero e mínima, 14.

O pH

No Brasil, praticamente todas as análises químicas de solo realizadas têm pH indicado por duas metodologias: pH água (H2O) ou pH com solução salina (CaCl2). Em geral, o primeiro é 0,6 a mais que o segundo, ou seja, o pH água de 6,0 corresponde pH CaCl2 de 5,3.

A que pH devemos elevar o solo? Em geral, as principais culturas do Brasil crescem bem entre pH 5,4 a 6,0 medido em água, ou 4,8 a 5,4 medido em CaCl2. Mas não existe uma recomendação comum a todos, em razão da grande variação entre tipo de solo, clima e cultivar.

Normalmente, boa disponibilidade de água, elevado teor de matéria orgânica e nutrientes no solo, uso de variedades resistentes e outros aspectos podem permitir o desenvolvimento satisfatório das plantas abaixo das faixas de pH indicadas.

A calagem fornece cálcio e magnésio às plantas - Crédito Shutterstock
A calagem fornece cálcio e magnésio às plantas – Crédito Shutterstock

Com a aplicação de um antiácido, os H+ são retirados da solução, geralmente pela ação de oxidrilas (OH-), formando água (H2O), ou seja, reduzindo a acidez pela elevação do pH. Outro produto do bicarbonato ou do carbonato é o gás CO2, que é formado quando colocamos o bicarbonato na água. Esse mesmo gás surge quando colocamos um ácido sobre o calcário ou mármore.

Vantagens

Em decorrência da elevação do pH ocorre a eliminação do Al3+ do solo. Esse elemento inibe o crescimento radicular de plantas não adaptadas, o que abrange algumas das principais plantas cultivadas, como soja, milho, trigo, tomate, cebola, beterraba, batata e videira.

Dessa forma, a calagem é vantajosa por permitir que um volume maior de solo seja explorado pelo sistema radicular, possibilitando melhor aproveitamento do estoque de nutrientes e água do solo pelas plantas.

Além disso, a calagem é benéfica por fornecer dois nutrientes essenciais para o crescimento e desenvolvimento das plantas ” o Ca e o Mg. Outra vantagem da calagem é favorecer o crescimento de bactérias do solo que são responsáveis pela nodulação das raízes de plantas leguminosas, como a soja, uma vez que as bactérias que formam os nódulos geralmente são sensíveis ao baixo pH do solo.

Tabela 1. Alteração da fertilidade do solo após a aplicação de calcário.

pH-CaCl2

Al3+

H + Al3+

Ca2+

Mg2+

——————- cmolc dm-3 ———————

Sem calagem

4,4

2,5

5,0

0,9

0,5

Com calagem

5,4

0,0

2,5

2,5

1,5

 Essa matéria completa você lê na edição de Julho da revista Campo & Negócios Grãos. Clique aqui e faça a sua assinatura.

ARTIGOS RELACIONADOS

Novidade – Alface frisée conquista mercado

Jean de Oliveira Souza Engenheiro agrônomo e pós-doutorando em Agronomia - Melhoramento Vegetal no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba (CCA/UFPB) jsoliveira1@hotmail.com   A alface,...

Barragens transformam Cristalina em exemplo sustentável do uso da irrigação agrícola

Captação de água das chuvas e uso de quase 700 pivôs valoriza recursos naturais e aumentam a produtividade O uso sustentável da água para irrigação...

Ácidos húmicos disponibilizam nutrientes retidos no solo

Nilva Terezinha Teixeira Engenheira agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas e professora de Nutrição de Plantas, Bioquímica e Produção Orgânica do Centro...

Em mais um evento da Fundação MT, a integração das áreas agrícolas é evidenciada

Encerrou nesta quinta-feira (10) o IX Encontro Técnico Algodão da Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso, Fundação MT. O evento aconteceu...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!