CERC lança serviço inédito

0
20
Campo – Crédito: Shutterstock

A CERC Central de Recebíveis, registradora de títulos de crédito homologada pelo Banco Central, lança um produto inédito para o agronegócio: o serviço de consulta de exposição do produtor à CPR, a Cédula de Produto Rural. A ferramenta digital foi lançada dia 1º de julho com o objetivo de estimular o crédito para o setor.

O serviço de consulta de exposição a CPR nasceu das mudanças implementadas pela Lei do Agro (13.986/2020). Desde o dia 1º de janeiro, a CERC é uma das empresas que registram, a pedido dos emissores, CPRs acima de R$ 1 milhão, conforme determina a nova regulamentação. A partir do novo serviço, os financiadores poderão consultar, via CPF ou CNPJ, se o produtor possui CPR registrada na CERC ou em qualquer outra registradora. Para isso, é preciso o consentimento do emissor.

Como explica Fernando Fontes, CEO da CERC, a consulta à exposição é o primeiro grande benefício que o produtor rural irá colher desde a implementação da Lei do Agro. “A consulta permitirá reduzir as assimetrias de informação sobre o título, trazendo mais segurança para a oferta de crédito a um setor tão importante para o desenvolvimento da economia brasileira”, diz Fontes.

A CPR, título que existe desde 1994, representa a promessa de entrega de produtos rurais, como a parcela de uma safra ou também a promessa de pagamento em dinheiro. Os produtores emitem a cédula em nome de um financiador ou fornecedores de insumos, como fertilizantes ou tratores, para financiar a plantação, cultivo e colheita. Com o novo serviço de consulta lançado pela CERC, bancos, fundos de investimento e fornecedores terão uma visão melhor sobre a capacidade do produtor tomar mais crédito ou não.  

A obrigatoriedade de registro de CPRs, conforme o valor dos título, será feita da seguinte maneira: a partir de 1º de janeiro de 2022, as células superiores a R$ 250 mil; em 1º de janeiro de 2023, começam os CPRs de mais de R$ 50 mil.

CERC Central de Recebíveis: A empresa é a primeira registradora de recebíveis autorizada a funcionar pelo Banco Central do Brasil. Parte da infraestrutura do mercado financeiro, a sua ambição é aumentar a segurança e eficiência no uso de recebíveis em operações de crédito realizadas por bancos, fintechs e no mercado de capitais. Com isso, a CERC visa tornar possível um crescimento acelerado e sustentável na oferta de crédito a empresas de todos os tamanhos. A plataforma está preparada para registrar duplicatas, recebíveis de cartão de crédito, títulos bancários, recebíveis do agronegócio e imobiliários, entre outros. (https://www.cerc.inf.br/)