23.5 C
Uberlândia
quinta-feira, fevereiro 29, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosGrãosComo o solo se comporta na ausência da calagem

Como o solo se comporta na ausência da calagem

 

Wellington Eduardo Xavier Guerra

Engenheiro agrônomo, pesquisador, doutor em Agronomia, membro do Grupo de Pesquisa Agropecuária do Oeste Paulista ” GPAGRO, pós-doutorando da Universidade do Oeste Paulista ” Unoeste ” Presidente Prudente (SP)

xguerra1@hotmail.com

 Crédito Wellingon Xavier
Crédito Wellingon Xavier

Os solos brasileiros apresentam limitações para estabelecer e desenvolver os sistemas de produção de culturas de interesse econômico em decorrência dos efeitos da acidez. Com isso, torna-se necessário eliminar os efeitos negativos da acidez do solo por meio da calagem, que tem como objetivo corrigir a acidez do solo, diminuindo ou anulando os efeitos do alumínio (Al) e do manganês (Mn), que podem ser tóxicos em alta concentração.

É fundamental, além do fornecimento de cálcio (Ca) e magnésio (Mg), adequar o pH da solução do solo, para que os macro e micronutrientes se tornem assimiláveis pelas raízes de diversas culturas, bem como ativar os processos biológicos nos solos por meio da ação dos microrganismos, importantes para a disponibilidade dos nutrientes e também para favorecer a decomposição da matéria orgânica.

A calagem é, portanto, um dos pilares para a obtenção de maiores e melhores produções agrícolas.

As plantas

Os solos que apresentam teores elevados de Al3+, associados ou não à presença de Mn2+, em condições de acidez elevada, podem apresentar limitações no crescimento e desenvolvimento radicular das plantas.

Os efeitos tóxicos de elevadas concentrações de Al3+ podem ser observados no engrossamento das raízes e diminuição nas suas ramificações, em consequência da absorção de nutrientes e água.

BOX

Danos

Alguns efeitos tóxicos em plantas podem estar relacionados a altas concentrações de Mn. Estes efeitos ocorrem, principalmente, na parte aérea das plantas, afetando o crescimento foliar, com reflexos negativos na produção final.

Os efeitos do Al em concentrações tóxicas manifestaram-se tanto na parte aérea como no sistema radicular, por meio de sintomas anatômicos e também morfológicos e de redução de crescimento.

Manejo

A quantidade de calcário a ser aplicada é determinada por características do solo, como o pH, a textura e a quantidade de matéria orgânica, o tipo e a granulometria do calcário, as cultivares e os aspectos econômicos. Com isso, a melhor maneira para se determinar a necessidade de uma nova calagem é analisando-se o solo.

As amostras de solo devem ser feitas a cada três anos, mais frequentemente em solos arenosos. Alguns fatores influenciam a frequência da calagem, como a textura do solo (solos arenosos precisam receber nova calagem com mais frequência do que solos argilosos).

Já no sistema plantio direto, como não há movimentação mecânica do solo, o calcário aplicado na superfície e o acompanhamento da fertilidade deve ter uma maior atenção. A dose de adubação nitrogenada com altas doses de adubos NH4+ que são amoniacais, geram considerável acidez.

A taxa de remoção pelas culturas, no caso as leguminosas elas removem mais Ca e Mg do que as não leguminosas. Quanto à quantidade de calcário aplicada, doses mais elevadas normalmente significam que o solo não necessita de nova calagem com frequência.

Chegaram a dobrar as produtividades de milhocom aplicação de 04 t ha-1 de calcário - Crédito Ademir Torchetti
Chegaram a dobrar as produtividades de milhocom aplicação de 04 t ha-1 de calcário – Crédito Ademir Torchetti

Quando aplicar

A época de aplicação do corretivo de acidez do solo está relacionada com o seu grau de solubilidade. Como a solubilidade dos calcários na solo demanda tempo e exige a sua incorporação para aumentar a superfície de contato entre o calcário e o solo, a calagem deve ser realizada pelo menos três meses antes do início do plantio de verão, sempre baseada, porém, na análise química do solo, realizada em laboratórios credenciados e especializados.

Com isso, seu efeito no solo pode se manifestar já no primeiro cultivo. Porém, o sucesso da calagem depende da disponibilidade de água no solo.

Essa matéria completa você encontra na edição de agosto de 2018 da Revista Campo & Negócios Grãos. Adquira o seu exemplar para leitura completa.

Ou assine

ARTIGOS RELACIONADOS

Calagem com fósforo garante melhor correção do solo

  Djalma Martinhão Gomes de Sousa Pesquisador da Embrapa Cerrados djalma.sousa@embrapa.br Uma das vantagens da calagem é proteger o fósforo de ficar retido no solo, deixando-o mais disponível...

Telados reduzem a incidência de doenças no tomateiro

  Glaucio da Cruz Genuncio Engenheiro agrônomo, doutor em Nutrição Mineral de Plantas glauciogenuncio@gmail.com Everaldo Zonta Professor de Fertilidade do Solo da UFRRJ Elisamara Caldeira do Nascimento Doutoranda do CPGA-CS...

Acadian Plant Health – Otimizando a saúde das plantas cultivadas

Marcos de Oliveira Bettini Senior Manager - Acadian A Acadian Seaplants Limited, empresa canadense líder mundial em soluções bioativadoras e bionutricionais cientificamente comprovadas para aumentar os...

Os organominerais proporcionam redução de perdas por volatilização?

Autor Thales Barcelos Resende Doutorando em Agronomia/Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA) thales_br@outlook.com Dentre os maiores desafios encontrados na aplicação de fertilizantes está a...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!