20.6 C
Uberlândia
domingo, maio 26, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosGrãosCondições climáticas adversas reduzem a produtividade do milho

Condições climáticas adversas reduzem a produtividade do milho

Conab prevê safra de 118,53 milhões de toneladas, 10,2% menor se comparada à safra anterior.

Foto Pixabay

Os produtores brasileiros deverão colher 312,3 milhões de toneladas de grãos na safra 2023/24, volume 2,4% inferior ao obtido na temporada passada, de acordo com o terceiro levantamento do ano realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), no dia 7 de dezembro.

A queda na estimativa da produção de grãos é explicada pela baixa ocorrência de chuvas e as altas temperaturas registradas nos estados do Centro-Oeste, enquanto que no Sul do país, principalmente no Rio Grande do Sul, pelo excesso das precipitações.

Essas condições climáticas adversas afetam o desenvolvimento de importantes culturas, entre elas o milho, segundo a Conab, cuja produção total está prevista em 118,53 milhões de toneladas, um decréscimo esperado de 10,2%, comparando-se à safra anterior.

O plantio da primeira safra do milho atrasou devido à falta de chuva em alguns estados, como Mato Grosso. No Sul, em contrapartida, choveu bastante, também dificultando o plantio. Assim, pode haver um atraso na colheita desta safra, reduzindo a janela de plantio para a segunda safra, o que reduz sua segurança em termos climáticos.

Desta forma, a  qualidade do grão depende de vários fatores, entre eles o desenvolvimento da planta durante o ciclo produtivo. Nessa fase, é importante cuidar da nutrição, da irrigação e do controle de pragas e doenças. O teor de umidade do grão também influencia o preço final do produto, pois afeta a qualidade e o rendimento dos grãos.

Por outro lado, se o grão estiver muito seco pode sofrer danos mecânicos. Se os grãos estiverem muito úmidos, eles podem gerar custos adicionais para o produtor, que terá que secá-los antes de armazená-los. Então, caso haja ocorrência de chuvas durante a colheita, o produtor deverá esperar que as espigas sequem para retomar a atividade e evitar problemas como a proliferação de fungos e bactérias.

O percentual de umidade ideal para armazenagem do grão é de 14%, mas, se o agricultor possui  tecnologia para o processo de secagem artificial,  é possível realizar a colheita com até 25% de umidade. No entanto, a melhor umidade para a colheita do milho deve ficar entre 16% e 18%.

Para verificar o teor de umidade e o ponto certo da colheita do milho, o medidor de umidade de grãos é o instrumento mais indicado para o produtor rural.  De acordo com Fernanda Rodrigues da Silva, gerente de Relacionamento com o Cliente, da  empresa Loc Solution, detentora da marca Motomco de medidores de umidade, os instrumentos de medição de umidade precisam passar por um rigoroso controle de qualidade, desde o momento de sua fabricação até seu uso, com calibração bem ajustada para apresentar um resultado preciso.

“Com um medidor preciso e calibrado, os produtores poderão assegurar que os grãos estejam com a umidade adequada para tomar decisões sobre a colheita, armazenamento e processamento”, afirma Fernanda, acrescentando que além disso,o controle de umidade dos grãos é importante para garantia de qualidade do produto e como forma de avaliar comercialmente grãos.

O ideal, segundo ela, é usar um aparelho bem ajustado e, no momento da comercialização do grão, buscar por cooperativas, tradings entre outras empresas que ofereçam equipamentos com uma medição confiável, certificados e homologados pelo Inmetro.

Loc Solution: A Loc Solution é uma empresa que atua no mercado de medidores de umidade de grãos, oferecendo a qualidade e a confiabilidade da marca Motomco, há  quase três décadas.  A empresa tem sua sede em Curitiba (PR) e é especializada na locação de equipamentos, atendendo a diversas regiões agrícolas do Brasil. De origem canadense, a Motomco é líder nacional no segmento de medidores de umidade de grãos. Mais  informações motomco.com.br.

ARTIGOS RELACIONADOS

Quelatos orgânicos favorecem produtividade

A novidade contribui para um aumento geral na produtividade das culturas de até seis sacas a mais por hectare

Clima favorável beneficia produção de café

Após período de secas e geadas, produtores devem colher 50,3 milhões de toneladas

Mudança climática: o que temos a ver com isso?

Escrito por Caia Amoroso, sob coordenação de Januária Cristina Alves, obra traz um panorama sobre como as atitudes humanas impactam todo o planeta.

Tecnologia Antecipe: mais produtividade do milho segunda safra

Diferentes estudos mostraram ganhos de produtividade proporcionados pela tecnologia Antecipe desenvolvida pela Embrapa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!