26.6 C
Uberlândia
sexta-feira, junho 14, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiConsorciação de culturas

Consorciação de culturas

Humberto Rollemberg Fontes humberto.fontes@embrapa.br 

José Henrique de Albuquerque Rangel jose.rangel@embrapa.br

Engenheiros agrônomos e pesquisadores da Embrapa Tabuleiros Costeiros

Coqueiro – Fotos: Shutterstock

As entrelinhas de plantio dos coqueiros podem ser utilizadas para cultivo com outras culturas, principalmente durante a fase que antecede ao início da produção, que corresponde, em média, aos quatro primeiros anos de cultivo, favorecendo o desenvolvimento do coqueiro.

A consorciação é utilizada, principalmente, por pequenos produtores durante o período chuvoso do ano, utilizando culturas de subsistência, tais como, milho, feijão e mandioca entre outras. Além de proporcionar receita para reduzir os custos de implantação do coqueiral, apresenta outras vantagens como: maior proteção do solo favorecendo a reciclagem de nutrientes; melhor aproveitamento pelo coqueiro da adubação e tratos culturais dispensados à cultura consorciada; maior eficiência de uso do solo, entre outras.

Nos cultivos realizados em sequeiro, recomenda-se que sejam utilizadas, preferencialmente, culturas de ciclo curto, cultivadas durante o período chuvoso do ano e colhidas no início do período seco, utilizando a palhada como cobertura morta na zona de coroamento ou incorporada ao solo. Para o plantio dessas culturas, deve-se manter um raio de aproximadamente 2 m de distância a partir do coleto do coqueiro e realizar adubação e tratos culturais necessários, como forma de evitar competição e facilitar o manejo da cultura principal.

Em irrigação

Em sistemas irrigados, a consorciação com fruteiras semi-perenes também poderá ser recomendada como uma prática que possibilita bons resultados ao produtor de coco, uma vez que possibilita melhor utilização da água de irrigação. A cultura do mamoeiro tem se constituído uma das principais alternativas de consórcio, sendo utilizada entre coqueiros na mesma linha de plantio.

Nesse caso, pode-se deslocar um dos microaspersores para o meio da linha onde são plantados em média quatro mamoeiros entre dois coqueiros. Considerando-se que o ciclo da cultura do mamoeiro é de, aproximadamente, três anos, ao final do mesmo inicia-se a fase produtiva do coqueiro, permitindo assim ao produtor a obtenção de receita desde a implantação do projeto.

Outra alternativa seria o plantio das culturas consorciadas na zona de abrangência dos microaspersores, mantendo-se uma distância de aproximadamente 2,0 m de distância, utilizando-se duas ou quatro plantas consorciadas para cada coqueiro.

De acordo com trabalhos realizados pela Embrapa Tabuleiros Costeiros, a cultura da bananeira constitui-se também como alternativa de consórcio, uma vez que, a despeito de reduzir inicialmente o desenvolvimento da circunferência do coleto dos coqueiros, proporcionou melhores resultados em relação ao sistema solteiro.

[rml_read_more]

Uso da Gliricidia sepium para adubação verde

O plantio de leguminosas arbóreas perenes para adubação verde, pode ser considerado como uma alternativa viável para fornecimento ao coqueiro de nitrogênio fixado biologicamente, tendo em vista que, após o seu estabelecimento, o fornecimento da biomassa pode ser realizado de forma permanente a partir de cortes periódicos da parte aérea da planta para deposição na zona de coroamento do coqueiro onde se concentra a maior parte das suas raízes.

A gliricídia destaca-se como uma leguminosa arbórea perene de múltiplo uso que pode ser utilizada para adubação verde, apresentando um teor de aproximadamente 3% de nitrogênio na matéria seca, (folhas e ramos tenros) constituindo-se como alternativa para compor sistemas integrados de produção.

Esta espécie caracteriza-se por apresentar crescimento rápido e alta capacidade de regeneração, facilidade de propagar-se por sementes e por estacas, apresentando enraizamento profundo e alta tolerância à seca.

Apresenta alto valor forrageiro para ruminantes (20% a 30% de proteínas), podendo ser utilizada ainda para formação de cercas vivas forrageiras. Quando o objetivo principal é a realização da adubação verde para suprimento de nitrogênio fixado biologicamente, recomenda-se que o plantio das mudas de gliricídia seja realizado concomitantemente ao plantio do coqueiro, obedecendo a linha principal de plantio mantendo-se um distanciamento de aproximadamente 2,5 m a 3,0 m em relação ao coleto do coqueiro. A partir do primeiro ano de idade, devem ser realizados cortes da biomassa aérea da glriricídia (folhas e ramos tenros), com intervalos de 3 a 6 meses, para deposição na zona de coroamento. 

De acordo com trabalhos realizados pela Embrapa Tabuleiros Costeiros, avaliando-se o consórcio do coqueiro híbrido com a gliricídia conclui-se que durante a fase de crescimento do coqueiro, o melhor desenvolvimento das plantas foi observado para o tratamento consorciado com 12 plantas de gliricídia superando inclusive o tratamento com adubação química com ureia.

ILPF em ação

A depender das condições locais de clima e solo e do manejo a ser aplicado no coqueiral, a associação com animais poderá tornar-se também uma alternativa economicamente viável para o produtor de coco, desde que sejam observadas práticas de manejo cultural e fitossanitário recomendadas para a cultura. 

Deve-se observar no entanto, que durante a fase de coqueiro jovem, que corresponde em média aos primeiros quatro a seis anos de idade a depender da cultivar utilizada, a associação com animais deve ser evitada, tendo em vista não somente os danos provocados pelos animais aos coqueiros, como também o aumento da competição por água e nutrientes exercida pela vegetação de cobertura, principalmente em se tratando de gramíneas.

Na fase adulta, quando o sistema radicular do coqueiro já está estabelecido, e a depender da profundidade do solo e do manejo cultural utilizado, a associação com animais passa a ser uma alternativa viável ao produtor.

De maneira geral, deve-se levar em consideração que os sistemas integrados de produção visam à melhoria da rentabilidade do sistema de produção como um todo, e neste caso, uma eventual perda de produção do coqueiro poderá ser compensada pelo aumento da produção de outras culturas como também de carne e/ou leite.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Organominerais: Estimulam proliferação de microrganismos

Os fertilizantes organominerais são adubos orgânicos enriquecidos com nutrientes minerais.

Vantagens – Adubação verde e plantio direto em hortaliças

Sebastião Wilson Tivelli Doutor e pesquisador da APTA tivelli@apta.sp.gov.br Luis Felipe VillaniPurqueiro Doutor e pesquisador do IAC-APTA felipe@iac.sp.gov.br Cristiani Kano Doutor e pesquisador do Polo Regional Leste Paulista- APTA ckano@apta.sp.gov.br   Há uma escassez...

Tecnologia no desenvolvimento de sementes de alface 

Cultivares do tipo crespa se destacam no plantio em campo aberto e hidropônico

Fosfito x pinta-preta no mamoeiro

A pinta-preta [Asperisporium caricae (Speg.) Maubl.] ou varíola é uma importante doença ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!