20.6 C
Uberlândia
sábado, abril 20, 2024
- Publicidade -
InícioDestaquesCooperativa indígena exporta castanha do Brasil para a Europa

Cooperativa indígena exporta castanha do Brasil para a Europa

Cooperativa indígena fortalece laços culturais e econômicos ao exportar castanhas do Brasil para a Europa.

Cerca de 600 famílias da etnia Kayapó, totalizando quase 3 mil indígenas, foram diretamente impactadas pela exportação de 6 toneladas de castanha do Brasil para um comprador no Reino Unido, realizada pela COOBA’Y, cooperativa Kayapó de Produtos Florestais. A coleta do produto, realizada de forma tradicional, gera renda para as famílias ao mesmo tempo em que preserva castanhais nativos presentes em mais de 9 milhões de hectares de floresta tropical, distribuídos em três territórios indígenas.

Créditos: Divulgação

Todos os trâmites de preparação para a exportação do lançamento da castanha do Brasil PI’Y, como a inclusão da habilitação no RADAR da Receita Federal, a obtenção do cadastro no Ministério da Agricultura e Pecuária (MAPA), incluindo a área de Desenvolvimento de Negócios Comunitários e a adesão junto à World Fair Trade Organization (WFTO), foram realizados pela Conexsus – Instituto Conexões Sustentáveis, que atuou como assessoria comercial durante o processo. O objetivo era auxiliar a COOBA’Y a diversificar a comercialização de produtos gerados a partir de práticas sustentáveis, com recursos da biodiversidade brasileira, e em benefício da promoção e manutenção das práticas e saberes dos povos tradicionais.
  Em atuação desde 2011, a COOBA’Y superou dois desafios com a exportação de castanhas para a empresa Hodmedod’s British Pulses, Grains & Seeds. Além de alcançar mercados internacionais por meio de novos canais de comercialização, também mostrou que preservar a floresta em pé pode ser sinônimo de exportação de produtos sustentáveis e geração de renda para os povos tradicionais.

ARTIGOS RELACIONADOS

Consórcio para o agronegócio cresce 100% no Brasil

Apesar de ser uma modalidade mais conhecida para aquisição de bens como imóveis e automóveis ..

Castanhas : As pequenas grandes notáveis

A produção mundial de amêndoas subiu de 550 mil toneladas em 2004 para 1,1 milhão de toneladas em 2016, enquanto que, para o mesmo período, a noz-europeia passou de 350 mil para 850 mil toneladas, o pistache de 425 mil para 735 mil toneladas, a castanha-de-caju de 544 mil para 754 mil toneladas, a avelã de 325 mil para 397 mil toneladas, a macadâmia de 26 mil para 54 mil toneladas, a castanha-do-brasil de 27 mil para 28 mil toneladas, e a noz-pecã evolui de 68 mil toneladas em 2004 para 118 mil toneladas em 2016.

Desafios na produção de sementes

Em conversas nas nossas redes sociais, percebemos que várias pessoas têm dúvidas e curiosidades sobre a produção de sementes de hortaliças. Pensando em esclarecer...

Onde se formam os ciclones no Brasil?

O meteorologista Ruibran dos Reis explica como ocorre a formação dos ciclones extratropicais, como os registrados no Sul do Brasil em julho.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!