23.3 C
São Paulo
segunda-feira, julho 4, 2022
- Publicidade -
-Publicidade-
Inicio Revistas Grãos Cresce o tratamento de sementes com nematicidas no algodoeiro

Cresce o tratamento de sementes com nematicidas no algodoeiro

Autores

Leonardo Galdi
Engenheiro agrônomo – Universidade do Oeste Paulista (Unoeste)
Diego Henriques Santos
Engenheiro agrônomo da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo (Codasp)
dihens@bol.com.br

A cultura do algodão possui um valor agregado muito alto, devido à produção de fibra e também de caroço, sendo essa uma das principais culturas cultivadas no País. Diante disso, observa-se a monocultura em determinadas regiões, ou a má implementação da cultura em si.

Dessa forma, os nematoides, um dos problemas fitossanitários mais graves para o algodoeiro, tem ganhado força, devido à grande sensibilidade da cultura a estes parasitas.

Estima-se que os nematoides consumam aproximadamente 10% da produção agrícola global, levando a perdas econômicas anuais avaliadas em mais de US$ 125 bilhões.

No Brasil, a quantificação de perdas não é precisa, devido principalmente às interações com danos provocados por pragas e outras doenças, mas é fato que as nematoses estão entre as fitossanidades mais importantes nos cultivos a campo ou em sistema protegido, tendo como representante principal o gênero Meloidogyne incognita, conhecido como nematoide das galhas radiculares.

Prejuízos e controle

Os danos vão da diminuição do crescimento da raiz, consequentemente reduzindo absorção de nutrientes e água, além da susceptibilidade maior à infecção por doenças.

Dentre as estratégias de controle disponíveis aos produtores, tem-se a rotação de culturas com espécies não hospedeiras e uso de cultivares resistentes. No entanto, esses métodos não são de fácil aceitação pelos agricultores, que preferem os métodos de resposta imediata e mais simples, como o uso de nematicidas químicos e biológicos.

Tratamento de sementes

No Brasil, assim como no mundo, estão disponíveis diversos tipos de nematicidas, o que se deve à alta demanda em função dos prejuízos causados pelos nematoides. Nesse sentido, os agricultores têm enfatizado a dificuldade em aplicar nematicidas diretamente no sulco de semeadura e até mesmo por cobertura, surgindo então como opção o tratamento de sementes com os produtos.

Os produtos comerciais com essas características não são tão numerosos quanto os de aplicação via sulco, mas têm se destacado muito em função da alta eficiência e também fácil implementação no campo.

Produtos que utilizam como princípio ativo a Abamectina já estão há algum tempo disponíveis no mercado e possuem determinada eficiência, sendo por isso muito utilizados pelos produtores rurais no Brasil, não só na cultura do algodão, mas em outras, como a soja.

Outro exemplo, este por sua vez inseticida/acaricida, bastante difundido e utilizado para tratamento de sementes, é o princípio Imidacloprido com Tiodicarbe, ou seja, além do controle de nematoides pode controlar também outras pragas, devido à sua formulação conjunta.

Inovações

As novidades no mercado são tomadas pelos nematicidas via tratamento de sementes com agentes de controle biológico em sua formulação. Assim, garantem-se diversas vantagens tanto ao produtor como para a cultura, como por exemplo, fácil aplicação, não deixam resíduos no produto final, não causam desequilíbrio na microbiologia do solo e na rizosfera, portanto, não agredindo o meio ambiente, não favorecem a população resistente de nematoides e possuem excelente relação custo x benefício.

Um novo produto tem como princípio biológico o fungo Pochonia chlamydosporia, que possui todas as características benéficas de um produto 100% natural e orgânico, com eficiência aprovada em diversos testes e experimentos científicos, o que comprova sua eficácia no controle, que parasita os ovos e os nematoides adultos.

Assim, tem sido muito utilizado em tratamento de sementes de culturas anteriores ao algodoeiro, como milheto, por exemplo. Portanto, quando semeado o algodão, o fungo já está no solo agindo contra os nematoides, mas pode ser utilizado no tratamento das sementes do algodoeiro normalmente também.

A novidade que está por aparecer no mercado brasileiro no segmento de controle biológico de nematoides, já comercializado nos Estados Unidos, é um produto para tratamento de sementes que promete promover controle de insetos e nematoides com a bactéria Bacillus cepa e também com a adição de ganhos biológicos, aumentando a atividade microbiológica da rizosfera e disponibilizando os nutrientes presentes no solo para a planta.

Alerta geral

O controle de nematoides é bastante complexo, e o agricultor deve ter a consciência de que a erradicação é praticamente impossível, porém, a adoção correta de determinadas práticas podem reduzir populações do patógeno e danos por ele causados.

O mercado cresce e as novidades sempre estão chegando. Vale a pena observar com atenção a demanda e necessidade da propriedade e da cultura, consultar um engenheiro agrônomo para que se faça o uso correto dos nematicidas, afim de não permitir a explosão populacional destes nematoides, com significativas perdas de produtividade, como tem acontecido atualmente em algumas propriedades rurais no País.

Inicio Revistas Grãos Cresce o tratamento de sementes com nematicidas no algodoeiro