19.6 C
Uberlândia
quinta-feira, junho 20, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioMercadoCusto das frutas segue variado, mas maçã tem queda de preços nas...

Custo das frutas segue variado, mas maçã tem queda de preços nas Ceasas

As maçãs plantadas no Vale do São Francisco tem apresentado cada vez mais melhores qualidades - Crédito Embrapa
Crédito Embrapa

Os preços das principais frutas e hortaliças comercializadas nas Centrais de Abastecimento mais representativas do país não apresentaram movimento uniforme em março. O destaque foi a maçã, que registrou baixa em seis das sete centrais analisadas. É o que revela o 4º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Ceasas em 2017, divulgado nesta terça-feira (25), pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A queda no preço da maçã se justifica pela grande oferta da fruta no mercado, com percentuais negativos variando entre 22,44% em Belo Horizonte/MG (R$ 2,93/kg), e 6,96%, em Brasília/DF (R$ 5,02/kg). Na contramão das Ceasas analisadas, Fortaleza/CE teve um aumento de 2,72%, com o quilo da fruta comercializado a R$ 5,63.

Com as demais frutas, não houve tendência definida na dinâmica dos preços. No caso da banana, os preços variaram entre aumento de 20,92% em Recife/PE (R$ 1,73/kg) e queda de 23,93% em Rio Branco/AC (R$ 1,54/kg). Quanto à laranja, em cinco das sete centrais houve aumento no preço do quilo da fruta: 5,8%, em Brasília (R$ 1,73), e 2,31% em Belo Horizonte (R$ 1,88). Espera-se que a partir de maio, com a colheita da nova safra, o preço da laranja ao consumidor final caia.

Em relação ao mamão, mesmo com grande oferta, a qualidade foi comprometida por causa das chuvas. Assim, o aumento foi relevante em São Paulo/SP (41,11%) e Belo Horizonte (36,94%), com preços de R$ 2,82/kg e R$ 1,68/kg, respectivamente. Já a melancia subiu 36,12% em Vitória (R$ 1,15/kg) e 30,17% em Belo Horizonte (R$ 1,15/kg).

Hortaliças ” Tomate, batata, alface, cebola e cenoura apresentaram alta nas cotações de preços na maioria das Ceasas estudadas. O quilo do tomate foi comercializado em Vitória por R$ 2,08 e a R$ 3,17 em São Paulo. Mesmo assim, os preços continuam em baixos patamares para o produtor desde o segundo semestre de 2016. Esse cenário pode acarretar para os próximos meses diminuição de área plantada, retornando o movimento de alta da hortaliça.

A análise de preços praticados pelas centrais de abastecimento é feita mensalmente pelo Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort) da Conab, a partir de informações fornecidas pelos principais entrepostos de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Pernambuco, Ceará, Acre e Distrito Federal.

A íntegra do boletim pode ser acessada no site www.prohort.conab.gov.br

 

Mais informações para a imprensa:
Gerência de Imprensa
(61) 3312-6338/ 6344/ 6393/ 2256
imprensa@conab.gov.br

ARTIGOS RELACIONADOS

Queima-das-pontas das folhas da cebola

A queima-das-pontas das folhas da cebola pode estar relacionada ao excesso de nitrogênio na planta.

Manejo nutricional otimiza produção da beterraba

Bruno Novaes Menezes Martins Engenheiro agrônomo e doutorando em Agronomia (Horticultura) - FCA/UNESP, campus de Botucatu (SP) brunonovaes17@hotmail.com Letícia Galhardo Jorge Bióloga e mestranda em Botânica - IBB/UNESP,...

Escolha da variedade da manga – O ponto-chave

Moacir Brito Oliveira Rafael Pereira Sales Irani Pereira Mangaclara " Consultoria e Serviços Especializados em Fruticultura mangaclara@nortecnet.com.br   A escolha da variedade de manga a ser plantada é um...

No dia do agricultor, é preciso valorizar quem tem a responsabilidade de alimentar o mundo

A produção global de alimentos deve aumentar 50% até 2050 para alimentar aproximadamente 10 bilhões de pessoas no planeta. E para suprir boa parte desta demanda,...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!