20.5 C
Uberlândia
segunda-feira, julho 15, 2024
- Publicidade -spot_img
InícioArtigosHortifrútiCusto de produção

Custo de produção

Pedro Maranha Peche Engenheiro agrônomo, mestre, doutor e pós-doutorando em Fitotecnia – Universidade Federal de Lavras (UFLA)pedmpeche@gmail.com

Atemoia – Créditos: Shutterstock

O custo de produção agrícola é uma ferramenta de controle e gerenciamento das atividades produtivas que gera informações importantes para ajudar as tomadas de decisões pelos produtores rurais.

Para administrar com eficiência e eficácia um pomar, é importantíssimo o domínio da tecnologia e do conhecimento dos gastos com os insumos e serviços em cada fase produtiva da lavoura, que tem no custo um indicador importante das escolhas do produtor.

Para confeccionar o custo de produção, o produtor necessita levantar e quantificar os Custos Variáveis (A) e Fixos (B) do empreendimento, que juntos formarão o Custo Operacional (C). Abaixo segue lista dos itens utilizados pela CONAB, a serem levantados pelos produtores e técnicos para a elaboração do custo de produção:

  1. Custo variável

I – Despesas de custeio da lavoura

1 – Operação com máquinas e implementos

2 – Mão de obra e encargos sociais e trabalhistas

3 – Sementes

4 – Fertilizantes

5 – Defensivos

6 – Despesas com irrigação

7 – Despesas administrativas

8 – Outros itens

II – Despesas pós-colheita

1 – Seguro agrícola

2 – Transporte externo

3 – Assistência técnica e extensão rural

4 – Armazenagem

5 – Despesas administrativas

6 – Outros itens

III – Despesas financeiras

1 – Juros

B) Custo fixo

IV – Depreciações e exaustão

1 – Depreciação de benfeitorias e instalações

2 – Depreciação de máquinas

3 – Depreciação de implementos

4 – Exaustão do cultivo

V – Outros custos fixos

1 – Mão de obra e encargos sociais e trabalhistas

2 – Seguro do capital fixo

C) Custo operacional (A + B)

[rml_read_more]

Para cada item listado anteriormente, deve-se quantificar as operações e tempo gasto para realização das tarefas, no caso de uso de implementes e mão de obra contratada. E o número de produtos gastos para a realização dessas tarefas.

Para o cálculo da depreciação de máquinas e implementos o produtor ou técnico pode utilizar o seguinte método:

Onde:

VN = Valor do bem novo

VR = Valor residual do bem

VUh = Vida útil do bem definida em horas

HSTR = Total de horas trabalhadas por hectare pelo bem.

Fonte: CONAB 2010.

Já para construções e benfeitorias, pode-se utilizar o seguinte método:

Onde:

VN = valor do bem novo

VR = valor residual do bem

VUA = vida útil do bem definida em anos

TOCUP = taxa de ocupação do bem, definida como sendo o percentual de utilização deste bem em uma determinada lavoura, obtido a partir da média de utilização.

Fonte: CONAB 2010.

Para exemplificar um custo de produção, simularemos duas etapas do processo de produção da atemoia – a implantação e formação Tabela 1 e a plena produção Tabela 2. É importante destacar que ambos os custos foram levantados para uma propriedade que permita mecanização. No caso de propriedades que não possuam essa característica, os custos poderão ser maiores do que os exemplificados.

Tabela 1 – Custo de implantação e formação de um hectare de atemoia

  Tabela 1 – Custo de Implantação e formação de um hectare de Atemoia                 
Espaçamento : 4x 6 m            
Densidade (pés/ha): 416            
Variedade: Thompson            
A- OERAÇÕES MECANIZADAS
      Formação
Descrição Especificação V.U Ano 1 Ano 2
    R$ Qtde Total Qtde Total
A1 – Preparo de Solo            
Revolvimento do Solo HM TP 4X2 80cv + Grade Aradora 14×26 272,87 2,00 545,74    
Gradagem niveladora HM TP 4X2 80cv + Grade Niveladora 28×20 83,25 1,40 116,55    
Calagem HM TP 4X2 80cv + Distribuidor Calcário 2,3 m³ 110,87 2,00 221,74    
Construção dos Terraços HM TP 4X2 80cv + Terraceador de arrasto 14 disco 100,97 0,70 70,68    
Construção de Carreadores Motoniveladora 125cv 215,62 0,40 86,25    
A 2 -Implantação       0,00    
Sulcamento da linha de plantio HM TP 4X2 80cv + Sulcador 1 linha 81,12 6,00 486,72    
Distribuição de mudas HM TP 4X2 80cv + Carreta madeira (4000 kg) 100,25 1,30 130,33    
Replantio HM TP 4X2 80cv + Carreta madeira (4000 kg) 82,02 0,30 24,61    
A 3 -Tratos culturais       0,00    
Roçagem HM TP 4X2 80cv + Roçadeira central 108,57 1,20 130,28 2,40 260,57
Adubação HM TP 4X2 80cv + Adubador à lanço (1150 kg) 104,36 2,70 281,77 2,70 281,77
Aplicação de Herbicida xHM TP 4X2 80cv + Pulverizador 2000l 107,54   0,00 1,20 129,05
Pulverização HM TP 4X2 80cv + Pulverizador Turboatomizador 2 111,75 8,00 894,00 2,00 223,50
Transportes internos HM TP 4X2 80cv + Carreta madeira (4000 kg) 100,25   0,00 2,00 200,50
Manutenção de Carreador HM TP 4X2 80cv + Plaina Traseira 2,3m 78,62 1,20 94,34 1,20 94,34
A 4 – Irrigação       0,00    
Irrigação das mudas HM TP 4X2 80cv Tanque 4000L 103,45 60,00 6207,00    
Irrigação por micro asperção conjunto de irrigação 4633 1 4633,00    
Subtotal A       13923,01   1189,73
B- OPERAÇÕES MANUAIS
B1 – Preparo do solo            
Calagem Homem-dia 70,00 3,00 210,00    
B 2 – Implantação            
Sulcamento da linha de plantio Homem-dia 80,00 0,60 48,00    
Prep, Estaca/ Dermac, Cova Homem-dia 80,00 0,70 56,00    
Abertura de cova Homem-dia 80,00 0,70 56,00    
Refazer covas/ Estaqueamento Homem-dia 80,00 0,40 32,00    
Adubação de cova Homem-dia 80,00 2,12 169,60    
Distribuição de mudas Homem-dia 80,00 0,12 9,60    
Plantio e Constr, das bacias Homem-dia 80,00 5,00 400,00    
Rega das mudas Homem-dia 80,00 1,05 84,00    
Replantio Homem-dia 80,00 0,20 16,00    
B 3 – Tratos culturais       0,00    
Desbrota das mudas (3x) Homem-dia 80,00 0,39 31,20 0,39 31,20
Capina manual/ Coroamento Homem-dia 80,00 6,75 540,00 6,51 520,80
Adubação Homem-dia 80,00 0,57 45,60 0,57 45,60
Pulverização Homem-dia 80,00 0,52 41,60 0,52 41,60
Combate à formiga Homem-dia 80,00 1,20 96,00 1,20 96,00
Aplicação de esterco Homem-dia 80,00     0,50 40,00
B 4 – Colheita            
Colheita Homem-dia 80,00        
Transportes internos Homem-dia 80,00        
Subtotal B       1835,60   775,20
C- INSUMOS
C 1 – Fertilizantes     304,72 1145,62 280,44 441,19
C 2 – Fitossanitários            
Inseticida R$/Litro 50,00 0,40 11,60 0,40 20,00
Fungicida R$/Litro 145,83   29,17   0,00
Formicida R$/Litro 15,00 4,00 48,00 4,00 60,00
Espalhante adesivo R$/Litro 15,00 0,02 0,30 0,03 0,45
C 3 – Herbicidas   13,25     0,60 7,95
C 4 – Mudas            
Mudas R$/Unidade 13,00 460,00 5980,00    
Subtotal C       7214,69   529,59
D – ADMINISTRAÇÃO
Administrador/Auxiliares R$/ha 792,00 1,00 792,00 1,00 792,00
Agrônomo próprio/visita R$/ha 500,00 3,00 1500,00 3,00 1500,00
Contabilidade/Escritório R$/ha 264,00 1,00 264,00 1,00 264,00
Luz/Telefone R$/ha 528,00 1,00 528,00 1,00 528,00
Viagens R$/ha 141,59 1,00 141,59 1,00 141,59
Conserv,/Manutenção R$/ha 18,66 1,00 18,66 1,00 18,66
Impostos/taxas % Receita 2,30%        
Subtotal D       3.244   3.244
Custo Total (R$/ha/ano)       26.218   5.739

Fonte: Adaptado Agrianual 2018

Na ponta do lápis

Para a confecção do custo na plena produção, foi necessário simplificar e agrupar os itens dos custos variáveis e fixos, a fim de evitar más interpretações, devido a diferenças nos sistema produtivo dos diversos produtores de Atemoia.

Alguns itens também foram adotados para a realização do custo em plena produção.  Foi considerada uma propriedade com uma média de funcionários por hectare por ano de 0,65, sendo que durante os processos de colheita, classificação e embalamento 60% desses funcionários ficam dedicados à cultura da atemoia, ou seja 0,43 funcionários por hectare por ano. Produção de 120 mil caixas (3,7 kg), aproximadamente 24 toneladas de frutos.

Tabela 2 – Custos em plena produção para pomar mecanizado de atemoia.

Gasto Valor (R$)/ha
Mão de obra extra (poda, desbrota, colheita e ensacamento) 4.071,36
Correção do solo e adubação 2.698,33
Mão de obra fixa 20.000
Defensivos 4.554,78
Custo packing (classificação e embalagens) 18.159,74
Custo de frete e combustível 5.936,67
Custo proteção do cultivo (malha e ensacamento) 2.240,96
Custos administrativos 2.842,27
Infraestrutura e depreciação 6.475,98
Total 66.980,09
Custo por quilo de fruta produzido 2,8

Em vista do levantado, conclui-se que o custo para implantação e manutenção no primeiro ano de um hectare de atemoia fica em R$ 26.218, e a manutenção no segundo ano tem um custo de R$ 5.739. Já na plena produção o custo é de R$ 66.980,09.

Expectativa de produção

A produtividade de pomares de atemoieira varia muito, de acordo com o sistema de produção adotado pelo produtor, principalmente em relação ao espaçamento (que pode variar entre 4 x 2 m a 6 x 4 m) e a utilização de insumos.

Uma expectativa que é muito usada pelos produtores é que cada planta tenha de 80 a 200 frutos de 400 g cada, ou seja, uma produção por planta de 32 a 80 kg por planta. Esses dados refletem um produtividade de 13,3 a 33,3 t/ha, pensando em um espaçamento de 6 x 4 m que é mais comum entre os produtores.

Mercado potencial:

A atemoia é uma fruta com o mercado em expansão, devido a ser uma frutífera que produz no outono/inverno, época de baixa oferta de frutas, além de ser uma planta muito rica em nutrientes e polifenóis, o que atrai ainda mais os consumidores.

Outro ponto que contribui para a expansão dessa fruta é o fato de ela ter um caráter de novidade em várias regiões e/ou de melhoria de qualidade, pois entra como substituta da pinha, que é muito produzida e consumida, principalmente no nordeste.

A vantagem da atemoia sobre a pinha é o fato de ela não rachar quando está madura, aumentando a vida útil, ser mais doce e ter a polpa lisa/cremosa, sem aquela “areia” comumente encontrada na pinha.

Outro fator que auxilia na expansão é a ampla adaptação da planta, podendo ser cultivada em quase todas as regiões brasileiras.

Artigo anterior
Próximo artigo
ARTIGOS RELACIONADOS

Panorama nacional da produção de banana

Maria Geralda Vilela Rodrigues Engenheira agrônoma, D.Sc. e pesquisadora da Epamig Norte/bolsista da FAPEMIG magevr@epamig.br   O cultivo da banana é praticado em todo o território nacional,...

Gotejamento subterrâneo revoluciona produção de pastagem

Essa técnica precisa e adaptável promove a sustentabilidade agrícola e reduz os impactos ambientais.

Para produzir pêssegos, requer condições climáticas específicas?

Com a proximidade do fim do ano, algumas frutas ganham destaque nas bancas de sacolões e supermercados. É o caso do pêssego, fruta típica de clima...

Produção nacional de maçãs

Ricardo Ferrari Lucas Assistente administrativo da Associação Brasileira dos Produtores de Maçã (ABPM) abpm@abpm.org.br A produção de maçãs brasileiras escolheu o Sul do País como seu polo...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!