21.6 C
Uberlândia
sábado, abril 13, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosDeficiência de potássio afeta peso da soja

Deficiência de potássio afeta peso da soja

A deficiência de potássio pode afetar significativamente o peso da soja, já que esse nutriente é essencial para o seu crescimento e desenvolvimento saudável.

Bruna de Jesus Silva
Engenheira agrônoma e mestranda em Melhoramento Genético de Plantas – Universidade Federal de Uberlândia (UFU)
brunajs@outlook.com.br

Pensando em nutrição da soja, depois do nitrogênio (N) o potássio (K) é o nutriente que a soja mais remove do solo. Disponibilizar o potássio de maneira adequada significa favorecer o aumento de nodulação e dos componentes de produção, além de tornar a planta mais resistente ao estresse biótico e abiótico.

A falta de potássio na cultura da soja pode impactar fortemente no acúmulo de biomassa, rendimento e qualidade dos grãos.

Os baixos teores de K ocasionam funcionamento inadequado de várias enzimas, diminuição da taxa fotossintética, da translocação de açúcares, da abertura e fechamento dos estômatos e regulação osmótica, resultando em atraso na maturação da planta, hastes verdes, retenção foliar, vagens chochas, grãos pequenos, enrugados, deformados, com baixo vigor e poder germinativo. Tudo isso compromete a qualidade final dos grãos.

Reflexos diretos

As consequências da limitação nutricional de potássio se manifestam principalmente no terço superior das plantas. Isso é mais evidente em cultivares de soja com tipo de crescimento indeterminado.

Nestas cultivares, os nutrientes são demandados em maior quantidade, inicialmente na formação dos grãos do terço inferior e médio. Isso acaba provocando o aparecimento da deficiência no terço superior das plantas.

Por ser facilmente translocado pelos vasos condutores dentro da planta, em sua deficiência ocorre o amarelecimento foliar até a necrose. Esse processo inicia nas margens externas das folhas no sentido da ponta em direção à base da folha.

Nestas condições de baixa disponibilidade, a planta realoca o nutriente das folhas mais velhas para atender as exigências nutricionais das partes mais jovens.

Plantio direto

É importante se atentar que quando os sintomas da falta de K forem visíveis em reboleiras, as áreas próximas e sem sintomas provavelmente também estarão sendo afetadas pela baixa disponibilidade do nutriente, o que é conhecido como “fome oculta”.

Para evitar a falta de potássio, utiliza-se de análise do solo, interpretação dos resultados e a aplicação das doses de K recomendadas para a adubação dessa cultura. Estes manejos podem auxiliar a não ter perdas futuras.

Outros procedimentos que podem ajudar na fixação de K são o parcelamento da adubação com a adoção de sistemas conservacionistas do solo que agreguem carbono e, por consequência, aumentem a CTC do solo.

Em equilíbrio

A aplicação de potássio precisa ser fornecida de forma equilibrada, pois em altas doses, sem levar em consideração a CTC do solo e o equilíbrio de bases, pode ocorrer lixiviação, onde se perde ou ocorre fitotoxidez à planta.

Para auxiliar na tomada de decisão, podemos levar em consideração dois índices, o MET e MEE. A primeiro está relacionado à dose de fertilizante, em que a produtividade deixa de aumentar e passa a ser reduzida.

Isso porque o excesso de fertilizante passa a ser tóxico para as plantas, levando à redução da produtividade. Já a MEE leva em consideração o preço do fertilizante e da soja. Estes índices são de valia para auxiliar os produtos a reduzir os gastos, um desafio dos produtores.

A deficiência deste nutriente não afeta apenas a soja, mas também outras plantas. Na soja, pode afetar crescimento, tornando-o vagaroso, desenvolvendo pouco o sistema radicular, com frutos pequenos e, no caso de sementes e/ou grãos, o tegumento pode apresentar características de enrugamento, dentre outros.

ARTIGOS RELACIONADOS

Aplicação inicial de fungicidas na soja é essencial contra doenças

Autores Amanda Sabino do Nascimento amandasabinonascimento@outlook.com Bruna Cristina de Andrade andradebruna2020@gmail.com Engenheiras agrônomas e mestrandas em Proteção de Plantas/Fitopatologia - Universidade Estadual de Maringá...

DATAGRO corta estimativa da safra brasileira de soja 2021/22 para 124,73 mi de t

Consultoria prevê 118,73 mi de t para as duas safras de milho.

Rally Cocamar de produtividade

No norte do Paraná, estiagem no final de 2020, seguida de má-distribuição de chuvas, produziu atrasos e diferenças nas regiões, o que vai tornar a safra mais longa

Fertilizantes biológicos – resultados na produção de pimentão

Os biofertilizantes são adubos que podem ser produzidos localmente e que, por sua natureza, podem trazer benefícios não só à produção em si, mas também se relacionam com a proteção fitossanitária da planta e ao equilíbrio do solo e do ambiente que o cerca.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!