18.6 C
Uberlândia
quarta-feira, maio 22, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosDiagnose assertiva na fertirrigação do tomateiro

Diagnose assertiva na fertirrigação do tomateiro

Uma fertirrigação eficaz para o tomateiro requer uma diagnose assertiva, compreendendo as necessidades específicas da planta para um cultivo saudável e produtivo.

Glaucio da Cruz Genuncio
Doutor em Agronomia e professor de Fruticultura – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
glauciogenuncio@gmail.com

De modo geral, a análise nutricional de quaisquer culturas fertirrigadas englobam: análise foliar em seus diferentes estádios, análises periódicas de solo, monitoramento e manejo adequado da solução nutritiva utilizada para a fertirrigação.

Ofotômetro na fertirrigação é um aparelho portátil e confiável
Crédito: Maurício Rezende

Assim, analisar os teores de macro e micronutrientes em seus diferentes estádios no tomateiro é fundamental para a obtenção da produtividade esperada e de qualidade de frutos. Esta análise é feita, rotineiramente, coletando-se tecidos foliares de forma adequada (seguindo-se procedimentos para tal) e enviando-as para um laboratório de análises de solo e plantas.

Metodologia

Atualmente, têm-se métodos de campo para análise de nitrogênio (amônio e nitrato), cálcio, magnésio, potássio, sulfato, fosfato e ferro, a partir da utilização de fotômetros.

De qualquer maneira, a análise periódica do solo no qual as plantas estão sendo cultivadas é recomendável, assim como o monitoramento de variáveis como pH e EC da solução de fertirrigação, além das relações nutricionais em função de curva de absorção do tomateiro fertirrigado.

Diagnose

A diagnose na fertirrigação do tomateiro é um parâmetro importante para a constatação dos adequados teores em cada fase da planta. Porém, uma análise foliar programada é recomendável para se ter resiliência no manejo nutricional da cultura.

Entre os benefícios de utilizar ferramentas como o fotômetro na fertirrigação do tomateiro estão maior acessibilidade de dados a campo, pois é um aparelho portátil, de fácil uso e de leitura confiável.

Entretanto, trata-se de um investimento de R$ 7.000,00, ou seja, para alguns produtores o valor ainda é algo a se programar para a aquisição.

Riscos

O tomateiro é uma cultura técnica, principalmente quando envolve fertirrigação, que pode chegar a custar R$ 25.000,00 por hectare, somente com fertilizantes.

Assim, não acompanhar de forma agronômica o estado nutricional da cultura no seu ciclo pode levar ao produtor prejuízos desnecessários.

É importante ressaltar que o ganho em produtividade e qualidade não perfaz somente o manejo nutricional de uma cultura, mas também manejos de irrigação, fitossanitário, além de adequados tratos culturais, como podas de condução em tomateiros de crescimento indeterminado.

Conhecimento é tudo

Existem poucos técnicos no mercado que realmente entendam de um manejo adequado quando se envolve fertirrigação. Assim, a capacitação e aprendizado continuado minimizaram erros e melhorarão a tomada de decisão de: quando se coletar amostras para análises químicas de nutrientes, tanto em tecidos vegetais como no solo.

Somando-se a isto, o conhecimento de química de soluções, além da recomendação baseada em curvas de absorção, é uma área que necessita de pessoas capacitadas para que o uso da fertirrigação chegue em sua excelência.

A boa notícia é que este processo está ocorrendo e existem cursos de formação específicos para técnicos de fertirrigação voltados para um maior entendimento sobre essa ferramenta de fundamental importância para a horticultura.

Erros fatais

Entre os principais erros da fertirrigação estão o uso da tecnologia sem o devido conhecimento; o não monitoramento das variáveis citadas anteriormente e o uso de formulações prontas sem avaliações.

Entre elas, estão: qualidade da água, aporte de nutrientes no solo, necessidade de adubação de base, calagem, uso de cobertura verde, assim como mulching, teor de argila no solo, bulbo úmido, adequação do sistema de fertirrigação com a irrigação, monitoramento climático em função da precipitação, avaliação da umidade do solo, ou da tensiometria, assim como da tomada de decisão em função do estado nutricional da planta e monitoramento efetivo deste.

Consequências do manejo inadequado

O manejo inadequado leva à baixa produtividade em função do custo de produção, refletindo em uma ideia errada de que a fertirrigação não é viável. O produtor chega à conclusão que investiu muito com pouco retorno.

Porém, geralmente não seguiu todo o roteiro que é necessário para se obter sucesso com a decisão do uso da fertirrigação.

Por outro lado, os resultados esperados ao utilizar uma diagnose assertiva na fertirrigação do tomateiro são o aumento da produtividade. Para banana, pode triplicar, para maracujá dobrar, segundo dados não publicados, mas constatados pelas pesquisas desenvolvidas por nosso grupo.

ARTIGOS RELACIONADOS

Plástico Verde da Braskem é apresentado em linha de tubos da Irritec na Feira Internacional da Irrigação 2018

Feito à base de cana-de-açúcar, material possui mesma resistência, durabilidade e peso do plástico convencional A Irritec, fabricante de origem italiana, apresenta na Feira Internacional...

Melão – Sabor conquista consumidores

  A região Nordeste, onde as temperaturas atingem níveis escaldantes, é propícia para a produção de melão - de grande valor de mercado no País...

Mosca-branca provoca danos e prejuízos ao tomateiro

As espécies de mosca-branca do complexo Bemisia tabaci são consideradas uma das ...

Potencial de uso de bioestimulantes na cebola

  Elisamara Caldeira do Nascimento Talita de Santana Matos Doutoras em Agronomia - UFRRJ Glaucio da Cruz Genuncio Professor de Fruticultura - DFF/DAAZ/UFMT glauciogenuncio@gmail.com Bioestimulantes ou biopromotores são termos...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!