29.4 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioNotíciasEntidades indicam ações para amenizar efeitos da estiagem no Rio Grande do...

Entidades indicam ações para amenizar efeitos da estiagem no Rio Grande do Sul

Texto: Nestor Tipa Júnior/AgroEffective

Milho Estiagem: Crédito: Paulo Pires Divulgação

FecoAgro/RS é signatária de carta aos governos Estadual e Federal que tem, entre outros pontos, pedido de incentivo à irrigação

A Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado do Rio Grande do Sul (FecoAgro/RS), juntamente com a Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag/RS), Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) e Emater/RS, assinaram documento conjunto pedindo medidas para minimizar os impactos da estiagem no Estado. A carta das entidades foi encaminhada aos governos Federal e Estadual.

Segundo o presidente da FecoAgro/RS, Paulo Pires, o cooperativismo agropecuário do Rio Grande do Sul está muito preocupado com esta questão da estiagem que assola o Rio Grande do Sul desde a safra 2019/2020 onde se perdeu 31% da produção de milho e 47% da safra de soja. “E agora, em 2020, tivemos a questão do trigo, perdido em um primeiro momento por geada e depois por causa da falta de chuva. Calculamos que, com os os dois fatores climáticos, ultrapasse os 30% de quebra”, destaca.

Conforme o dirigente, a safra de milho já está altamente comprometida. As lavouras plantadas entre agosto e outubro, basicamente o grande volume produzido no Estado, que é o milho de sequeiro, conta com prejuízos irreversíveis. “A região das Missões, a região de Santa Rosa, que passam por toda a faixa da região Noroeste do Estado, costeando todo o Rio Uruguai, praticamente perdeu a safra. Mesmo essa chuva que ocorreu agora não tem impacto positivo sobre o milho. Realmente é um problema seríssimo”, salienta, acrescentando que ainda não se pode avaliar os impactos sobre a soja pois ainda está no início do plantio.

Entre as propostas apresentadas está a verificação do Proagro. O presidente da FecoAgro/RS salienta que estas vistorias devem ser feitas com a maior agilidade possível, e que este produtor que tenha mais de 60% de prejuízo consolidado possa implantar uma outra cultura quando chover, ou outro plantio de milho, já que ainda dá tempo, ou uma cultura de soja ou feijão, pois o produtor não pode ficar sem renda. Para os produtores de proteína animal também foi proposta a disponibilidade de compra de milho balcão para a composição da ração.

Uma questão importante, de acordo com Pires, é o incentivo à irrigação para trazer segurança ao produtor. “O produtor não pode conviver com esta incerteza que o clima do Rio Grande do Sul nos apresenta. Temos chuvas suficientes, mas elas são mal distribuídas. É um lugar perfeito para nós implantarmos a irrigação. Mas para que ela se torne mais importante e participativa algumas questões precisam ter acordo, ter uma evolução convergente”, observa.

Entre as questões citadas pelo dirigente estão a agilidade das licenças ambientais e a isenção de tributos, já que os equipamentos pagam 7% de ICMS. “Se houvesse um incentivo fiscal nesse sentido, uma área irrigada verticaliza sua produção, além de diminuir o risco ela traz um potencial produtivo muito maior e vai gerar imposto para o Estado. Todos os lugares onde houve o crescimento da irrigação, o desenvolvimento destas comunidades foram muito maior”, complementa.

ARTIGOS RELACIONADOS

Pioneer® avança na liderança de milho verão e safrinha no Brasil

A Pioneer®, marca da Corteva Agriscience, segue líder pelo 14º ano consecutivo no mercado de sementes de milho no Brasil, de acordo com pesquisas realizadas pelas empresas Kleffmann (milho verão) e Spark (milho safrinha), especializadas em estudos para o agronegócio.

Panorama nacional da produção de pêssego

Leo Rufato leo.rufato@udesc.br Aike Anneliese Kretzschmar Professores da Universidade do Estado de Santa Catarina " Lages Pricila Santos da Silva Doutoranda em Produção Vegetal - Universidade do Estado de...

Panorama da Vitivinicultura brasileira 2014

  Loiva Maria Ribeiro de Mello Pesquisadora da Embrapa Uva e Vinho loiva@cnpuv.embrapa.br Fazendo uso dos dados do IBGE, observou-se que em 2014 ocorreu aumento de 1,64% na...

Floema traz soluções nutricionais para seu cultivo

É com grande satisfação que a Floema é parceira do Seminário do Café, um evento que, com sua seriedade, busca o envolvimento de todos...

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!