Fósforo é determinante na tomaticultura

0
15

Leandro Hahn
Engenheiro agrônomo, doutor e pesquisador em Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas na Epagri e professor – Universidade Alto Vale do Rio do Peixe (Uniarp)
leandrohahn@epagri.sc.gov.br
Camila Moreira
Graduanda em Agronomia – Uniarp
camilamoreiraa0310@gmail.com
Jonatan Hickman
Graduando em Agronomia – Uceff-Itapiranga
jonathan.hickmann@hotmail.com

O tomate (Solanum lycopersicum L.) é considerado, dentre as hortaliças, uma das espécies mais exigentes em fósforo (P). O elemento atua no metabolismo das plantas, tendo um papel importante na respiração, na transferência de energia da célula e na fotossíntese.
Além disso, é componente estrutural dos genes e cromossomos, coenzimas, fosfoproteínas e fosfolipídeos, permitindo um desenvolvimento adequado das raízes e aceleração da maturidade. Plantas com teores adequados de P apresentam crescimento vigoroso, com elevado pegamento de frutos de maior calibre.

Absorção nutricional

A eficiência de absorção dos nutrientes pelo tomateiro é baixa. Estudos mostram que a eficiência de absorção dos fertilizantes fosfatados no tomate é de aproximadamente 10%, com o restante ficando adsorvido no solo e indisponível às plantas.
Portanto, limitações ou equívocos no fornecimento de P no início do ciclo vegetativo podem resultar em restrições no desenvolvimento da planta, podendo não ser revertido, mesmo com o aumento do suprimento de P a níveis adequados em etapas posteriores.

Diagnóstico da deficiência de P no tomate

Como o P é um nutriente essencial para as plantas, é necessário estar atento a sua falta. Os sintomas de deficiência de P não são identificados facilmente no tomateiro. No entanto, algumas características devem ser observadas pelos tomateiros e podem auxiliar a identificar esta deficiência.
A taxa de crescimento das plantas é reduzida desde os primeiros estádios de desenvolvimento, o caule se torna fino e fibroso e as folhas mais velhas apresentam coloração roxa na parte inferior (nem sempre visível). Essas folhas caem prematuramente e a planta retarda sua frutificação. A produtividade de frutos de maior valor comercial é drasticamente reduzida.

Análise

A análise foliar para diagnóstico do estado de P na planta deve ser realizada na 4ª folha completamente expandida da haste principal no momento da maturação do primeiro fruto. Para lavoras com altas produtividades, a concentração de P considerada ótima para as folhas do tomateiro é de 4,0 a 8,0 g/kg.
Quando essa concentração fica abaixo de 2,0 g/kg, ocorre a diminuição no crescimento vegetativo e na produção de frutos. Amostragens de folha fora deste período podem ser realizadas quando se suspeita que as plantas não estão bem atendidas com o elemento, porém, devem-se coletar também folhas de plantas assintomáticas, com o objetivo de comparar as duas amostras.

Como aplicar fósforo no tomate

Para ler o restante deste artigo você tem que estar logado. Se você já tem uma conta, digite seu nome de usuário e senha. Se ainda não tem uma conta, cadastre-se e aguarde a liberação do seu acesso.