29.4 C
Uberlândia
quarta-feira, fevereiro 28, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosFlorestasFundos florestais é a tendência do mercado financeiro

Fundos florestais é a tendência do mercado financeiro

Felipe Souto – CEO da Bloxs Investimentos

Floresta – Crédito: Shutterstock

Pouco falado aqui no Brasil, o investimento em ativos florestais é uma prática recente em todo o mundo, mas é uma tendência já experimentada em mercados mais evoluídos, como os Estados Unidos.
Para se ter uma ideia, o setor florestal brasileiro é um dos mais competitivos e avançados do mundo, pois nossos insumos são essenciais para a fabricação de produtos como papel e celulose, carvão vegetal, chapas, painéis e compensados, móveis, pisos, lenha, óleos e resinas, fármacos, cosméticos e alimentos.


O setor florestal responde por 3% do PIB brasileiro e, segundo o Instituto Brasileiro de Árvores (Ibá ), em 2019 o nicho de árvores plantadas e florestas faturou R$ 97,4 bilhões em 2019. O saldo da balança comercial da indústria de base florestal chegou a US$ 11,3 bilhões, segundo melhor resultado nos últimos 10 anos.


Além disso, US$ 11,3 bilhões foi a receita das exportações de produtos florestais, o equivalente a 4,3% de remessas brasileiras ao exterior, capaz de gerar mais de três milhões de empregos diretos, indiretos e resultantes do efeito-renda do setor.
Diante de tais dados, confirmamos que o segmento florestal é extremamente diversificado e apresenta uma demanda que não para de crescer. E é exatamente por isso que tem atraído cada vez mais investidores institucionais no Brasil. Esses fundos são usados, principalmente, por grandes investidores que buscam diversificar, proteger e rentabilizar sua carteira com ativos reais – modalidade que se refere a bens físicos, direitos e valores, relacionados à economia real, com menos volatilidade e sendo mais rentável para interessados em renda recorrente no longo prazo.

Retorno financeiro

O que ainda é pouco falado é que investimentos nesse mercado oferecem excelente retorno financeiro, em especial os ligados à produção de madeira e insumos essenciais para a indústria. Além disso, os ativos florestais são capazes de gerar benefícios ambientais, sociais e de governança (ESG, na sigla em inglês).
E é por isso que todo investidor que deseja diversificar sua carteira com ativos sustentáveis e altamente lucrativos não pode ficar de fora do setor florestal.

Por onde começar

Para os interessados em captar ou investir em ativos florestais, já é possível ter uma forcinha extra da tecnologia, por meio da atuação de plataformas de crowdfunding especializadas neste mercado, pois muitas delas têm sido responsáveis por democratizar o acesso a esse segmento.
Vale lembrar que, além desse segmento ser extremamente rentável, ele conversa e contribui muito para o meio ambiente em si, com a redução da pressão sobre as florestas naturais e a conservação de ecossistemas. Da mesma forma, contribui muito para o cultivo das florestas plantadas (para a produção de madeira), florestas naturais e seminaturais (com o manejo voltado para a produção de madeira), produtos não madeireiros e sequestro de carbono e conservação da biodiversidade.
Por fim, reforço que os investimentos nesse segmento beneficiarão todos os envolvidos e, principalmente, o meio ambiente. Esse tipo de modalidade veio para ficar, seja para pequenos empresários, pessoas comuns e até grandes grupos.
Acredito ser um setor com alto potencial de negócios, por meio de projetos sólidos e confiáveis, de forma desburocratizada, segura e essencial para uma carteira de longo prazo focada em geração de valor e proteção de patrimônio.

ARTIGOS RELACIONADOS

Mercado de biológicos está se consolidando no Brasil

A produção nacional de alimentos deve crescer e o mercado de biológicos vai no mesmo caminho.

Gergelim brasileiro conquista o Oriente Médio

Trader de commodities Thomas Raad conta como a iguaria entrou na pauta de exportações para a região

Inovações contribuem para manter a piscicultura em crescimento

Brasil produziu um pouco mais de 840 mil toneladas de peixe. O mercado da piscicultura cresceu 5% de 2020 para 2021.

Acácia negra: No pódio das mais demandadas

Atualmente, o Brasil é o maior produtor de acácia negra no mundo, seguido pela África do Sul, com 170.000 e 110.000 hectares plantados, respectivamente.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!