18.1 C
São Paulo
quinta-feira, agosto 11, 2022
-Publicidade-
Inicio Revistas Hortifrúti Genética a favor da lavoura de pimentão

Genética a favor da lavoura de pimentão

Autores

Paula Taísa Arantes Martins
Thalisa Georgia Skaff Santana
Engenheiras agrônomas
Roberta Camargos de Oliveira
Pós-doutora em Fitotecnia – Universidade Federal de Sergipe (UFS) e professora em Una Uberlândia
robertacamargoss@gmail.com

Créditos Shutterstock

O pimentão (Capsicum annuum L.) é uma das 10 hortaliças mais plantadas no Brasil e é cultivado em toda a extensão do território nacional, ocupando aproximadamente 13.000 ha de área e atingindo a produção de aproximadamente 290 mil toneladas de frutos. A principal região produtora é o sudeste, sendo as principais áreas de cultivos: São Paulo e Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro.

Os pimentões têm alcaloides pungentes (carotenoides e capsaicina) e antioxidantes naturais extensivamente estudados por seus efeitos biológicos, que são de relevância farmacológica. Estes incluem: influência cardioprotetora, efeito antinflamatório e analgesia, influência termogênica, potencial valor clínico para alívio da dor, prevenção do câncer, perda de peso e cicatrização de úlceras gástricas.

Com relação à constituição nutricional, os pimentões são fonte das vitaminas A, B1, B2, e C. Para se ter uma ideia da importância deste fruto na alimentação, pesquisas revelaram que 100 gramas do pimentão vermelho possui em torno de 180 miligramas de vitamina C, sendo esta quantidade suficiente para satisfazer as necessidades nutricionais diárias de até seis pessoas.

Opções

Diversos cultivares de genótipos comerciais de pimentão estão disponíveis no mercado. Os produtores possuem ao seu dispor no mercado grande diversidade de tipos de frutos, tamanhos, cores, sabores e pungência. A base genética ampla, com muitas possibilidades, permite aos programas de melhoramento genético vasta capacidade de exploração e obtenção de materiais diferenciados, com a combinação de vários caracteres importantes para o bom desempenho no campo e alta produtividade.

Os mais importantes grupos de pimentão disponíveis no mercado brasileiro são: cônico; boocky; retangular; e quadrado. O pimentão cônico possui frutos de dimensões cônicas para consumo in natura, com vários pesos e cores, é o favorito do mercado nacional e mais adequado para cultivo em campo aberto.

O pimentão retangular e o pimentão quadrado contêm frutos de formatos retangulares e quadrados, respectivamente; ambos com coloração verde, vermelha e amarela quando maduro; representam um nicho crescente de mercado e são mais indicados para plantio em cultivo protegido. Já o pimentão blocky apresenta frutos com comprimentos e colorações exóticas para mercados especiais em expansão que requerem produtos diferenciados.

Melhoramento genético

A grande colaboração do melhoramento genético das hortaliças é o desenvolvimento de novas cultivares e híbridos, devido aos incrementos de produtividade e diminuição dos custos de produção. Além disso, pode-se considerar a contribuição com relação aos manejos, em controle integrado de pragas e doenças, originando produtos de qualidade superior do ponto de vista toxicológico.

Dessa forma, o melhoramento genético tem beneficiado os produtores de pimentão, que podem contar com maior proteção em áreas antes afetadas pelas principais doenças que ocorrem na cultura, além de conseguirem maiores ganhos de produção.

Xanthomonas campestris pv Vesicatoria

A mancha bacteriana, também conhecida como pústula, é causada pela bactéria Xanthomonas campestris pv. Vesicatoria. Esta é a mais importante doença bacteriana da cultura do pimentão. Sua gravidade é maior na fase de mudas, canteiros e sementeiras, mas pode infectar todas as fases de desenvolvimento do pimentão, sendo todos os órgãos aéreos da planta afetados.

Na planta doente, as folhas mais velhas manifestam lesões assimétricas com coloração verde-escura, seguido de amarelecimento e desfolha da planta, ocasionando uma menor produtividade da planta, favorecendo a queima dos frutos pela exposição aos raios solares. No caule ocorre o desenvolvimento de lesões alongadas de cor marrom, e nos frutos podem surgir pequenas pústulas de formato circular, semelhantes a verrugas.

O desenvolvimento da mancha bacteriana é beneficiado por épocas chuvosas, temperaturas entre 20 e 30ºC e umidade relativa entre 95 e 100%.

A resistência genética é o método de controle mais aconselhado, por ser mais acessível e prático; especialmente quando se analisam os custos, o risco potencial de resíduos químicos nos frutos e a resistência do patógeno aos produtos químicos empregados.

Híbridos

O uso de sementes híbridas no setor de hortaliças passou a ser uma realidade no Brasil, que veio se desenvolvendo desde a década de 80, com o pimentão, a couve-flor, o repolho, tomate e melão, e se ampliando atualmente a praticamente todas as culturas.

As cultivares híbridas de pimentão expressam alguns benefícios em relação às outras cultivares, sustentando as necessidades do mercado e do produtor por possuir atributos de elevado potencial produtivo; superior adequação aos sistemas de cultivo; resistência às principais pragas e doenças da cultura, como ao vírus do mosaico amarelo da pimenta (PepYMV), mancha bacteriana (Xcv), vírus do vira-cabeça do tomate (TSWV) e tobamovírus (PepMov).

Os híbridos apresentam também frutos mais uniformes, com boa qualidade e polpa grossa; alto vigor de planta; homeostase; maturação precoce e uniformidade das plantas, permitindo a colheita concentrada. Todas essas características possibilitam o aumento da qualidade do cultivo e garantem o retorno do investimento.

Os principais híbridos de pimentão disponíveis no mercado são Ariel, Magali R., Martha R., Fortuna, Mayara e Priscila do grupo cônico. Bruno, Lúcia R., Margarita, Escarlata, Zarco, Matador, Tendence e Valdor do grupo retangular. Citrino, Gianni, Théo, Crema do grupo blocky. E Aquaríum, Commandant e Roxa Samara do grupo quadrado.

Manejo para aproveitar o potencial dos híbridos

A escolha do híbrido correto para cada circunstância é certamente a mais importante decisão de manejo dentre todas as que são conduzidas pelo agricultor. Cada material genético disponível no mercado apresenta várias informações concedidas pela empresa que a comercializa, de modo que os agricultores possam se beneficiar do seu máximo potencial produtivo.

É imprescindível respeitar as peculiaridades de cada material genético, como as regiões próprias para o cultivo; clima ideal; espaçamento adequado; época de semeadura; temperaturas máxima, mínima e ótima; profundidade de semeadura recomendada; altura sugerida para transplante; tamanho ideal da cova; ciclo; estágio de colheita; entre outros atributos que, se respeitados, darão um elevado retorno financeiro ao produtor.

É indispensável reconhecer que para alcançar esse potencial também é fundamental que híbridos de alto potencial sejam cultivados em ambientes apropriados, com fornecimento oportuno de água, controle de doenças, insetos e plantas infestantes, além de adequada fertilidade do solo.

O conhecimento do produtor das necessidades e particularidades das principais cultivares possibilita a seleção do material genético mais adequado à realidade de sua lavoura.

Inicio Revistas Hortifrúti Genética a favor da lavoura de pimentão