29.7 C
Uberlândia
domingo, fevereiro 25, 2024
- Publicidade -
InícioArtigosHortifrútiUtilização do fosfito na cultura do pepino

Utilização do fosfito na cultura do pepino

Autores

Douglas José Marques
Professor de Olericultura e Melhoramento Vegetal – Universidade José do Rosário Vellano (UNIFENAS)
douglas.marques@unifenas.br
Hudson Carvalho Bianchini
Professor de Fertilidade do Solo – UNIFENAS

Créditos Shutterstock

Na cultura do pepino a utilização de fosfitos, além de aumentar a produtividade, também eleva o teor de sólidos solúveis do fruto e melhora a estado geral de sanidade das plantas. O fosfito pode ser utilizado na produção de pepino, mas, para se obter uma melhor eficiência do produto, alguns cuidados devem ser tomados.

Ação e reação

O fósforo (P) é um macronutriente essencial para as todas as culturas, sendo o nutriente que mais limita a produção vegetal nas regiões tropicais, especialmente no Brasil, devido à baixa disponibilidade no solo.

A manutenção do P disponível para as plantas é difícil, pois, dependendo o pH do solo, ele forma compostos insolúveis com o Ca, Al e Fe (principalmente), que as plantas não conseguem aproveitar de imediato.

Devido à fixação do P nos solos, há necessidade da aplicação de altas doses de adubação, apesar do P ser o macronutriente primário exigido em menores quantidades pelas plantas. A sua concentração nas plantas varia entre 0,1 e 0,5%, sendo absorvido na forma de H2PO4- e HPO42, dependendo do pH do solo.

Para os fertilizantes fosfatados normalmente empregados na adubação do pepino, a taxa de absorção é bastante variável, dependendo do tipo de solo, sendo que a maioria do fósforo aplicado tende a ficar retido no solo em estado mais ou menos disponível, dependendo da forma, das condições e do tempo em que os fosfatos ficam em contato com o solo.

O fósforo aplicado via adubação fica adsorvido nos coloides do solo, precipitado com o ferro e o alumínio (em pH alto pode haver precipitação com o cálcio) ou podem formar compostos mineralogicamente estáveis, que não estão disponíveis para as plantas.

Para suprir o P do solo, aplicam-se adubos fosfatados, como superfosfato simples ou triplo, entre outros. Uma fonte alternativa para fornecer P para as plantas é o fosfito, que pode ser utilizado para aumentar a produtividade de várias culturas.

O fosfito proporciona vários efeitos positivos às culturas:

] Aumenta o teor de clorofila na planta;

] Estimula a fotossíntese;

] Favorece o desenvolvimento radicular;

] Aumenta a produção;

] Eficaz no controle de várias doenças;

] É uma fonte de fósforo prontamente assimilável pelas plantas;

] Aumenta a produtividade das culturas e a qualidade das partes colhidas.

Ganhos produtivos

Devido ao seu caráter sistêmico, os fosfitos podem ser aplicados em pulverização foliar, por fertirrigação, fazendo imersão das mudas no produto, entre outras. A aplicação via foliar é a mais comumente utilizada, já que é utilizada em conjunto com outros agroquímicos no controle de pragas e doenças. De maneira geral, o manejo recomendado deve ser o seguinte:

º O fosfito deve ser aplicado durante o ciclo de desenvolvimento das culturas, iniciando-se na fase vegetativa da planta;

º A aplicação de fosfitos deve ser realizada com pulverizadores, aplicando a solução de maneira a efetuar uma cobertura uniforme de toda a cultura, evitando-se a pulverização durante as horas mais quentes do dia;

º A utilização de fosfitos na produção vegetal deve ser, principalmente, de forma preventiva;

º A aplicação pode ser feita na planta toda, pois o caráter sistêmico dos fosfitos favorece a sua rápida absorção e sua distribuição para caules e folhas;

º O uso do fosfito via foliar favorece o aumento na absorção de vários nutrientes essenciais, resultando em incremento na produção;

º A dosagem da aplicação do fosfito irá variar em função do produto aplicado;

º Recomendam-se de sete a 10 aplicações quinzenais até o final da fase vegetativa da cultura.

Dosagem

Geralmente o custo de aplicação do fosfito não é alto, ficando entre R$20,00 a R$40,00 por aplicação, dependendo da fonte de fosfito utilizada e da quantidade de aplicações. Pode ser utilizado o fosfito de potássio, fosfito de magnésio, fosfito de zinco, fosfito de cálcio, fosfito de molibdênio, sendo facilmente encontrados no comércio.

O custo-benefício da aplicação de fosfitos nas diferentes culturas normalmente compensa, pois ele controla e previne doenças fúngicas, devido à produção de fitoalexinas que inibem o desenvolvimento de fungos, além de favorecer a absorção de vários nutrientes e a nutrição mineral das plantas, o que aumenta a atividade fotossintética e a produtividade.

Sua absorção pela planta é rápida acontecendo via raízes, córtex do tronco, ramos e folhas, o que irá proporcionar maior brotação, floração e pegamento das flores e frutos.

Mais eficiência

A aplicação de fosfitos deve ser realizada em pulverizações foliares, aplicando a solução de maneira a efetuar uma cobertura uniforme de toda a cultura. Alguns aspectos técnicos devem ser considerados nesta operação:

Œ Deve-se evitar a pulverização durante as horas mais quentes do dia;

 Os melhores resultados são obtidos utilizando vazões superiores a 200 L ha-1;

Ž Armazenar o produto em local fresco, seco e ventilado, ao abrigo dos raios solares.

ARTIGOS RELACIONADOS

Algas – Mais proteção para a laranja

Autores Bruno Novaes Menezes Martins Engenheiro agrônomo e doutor em Agronomia/Horticultura – FCA/UNESP brunonovaes17@hotmail.com Letícia Galhardo Jorge Bióloga e mestranda em Botânica - IBB/UNESP...

Adubação inteligente na couve-flor

Pertencente à família das Brassicáceas, a couve-flor (Brassica oleracea var. botrytis), é uma hortaliça que vem sendo cultivada no Brasil durante o ano inteiro, graças aos programas de melhoramento genético, que desenvolveram cultivares e híbridos adaptados à altas temperaturas.

Nutrição foliar – A ferramenta para o aumento de produtividade

As folhas, órgãos fotossintéticos, podem absorver elementos dissolvidos e a ela fornecidos. Essa capacidade originou a prática da adubação foliar, em que soluções de um ou mais nutrientes são aspergidas sobre a parte aérea das plantas, atingindo principalmente as folhas, para correção ou prevenção de deficiências nutricionais.

Deficiência de cálcio causa queda de flores e frutos no pimentão

Devido a ser um elemento estrutural na planta, o cálcio é um elemento pouco móvel, e os sintomas de sua deficiência podem ser observados em partes novas das plantas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui
Captcha verification failed!
Falha na pontuação do usuário captcha. Por favor, entre em contato conosco!